Número de homicídios em dezembro de 2016 é o menor em dez anos

Comparação considera o mesmo mês desde 2006. Em balanço divulgado nesta sexta (13), Segurança Pública atribui resultado ao policiamento comunitário e ao Viva Brasília.

A secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar Araújo, em balanço divulgado pela pasta nesta sexta-feira (13). Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Dezembro de 2016 teve o menor número de homicídios desde 2006, na comparação com o mesmo mês nos últimos dez anos. Foram 48 mortes, 29,4% a menos que as 68 registradas em dezembro de 2015, por exemplo.

No acumulado de 2016, a taxa desse crime foi a mais baixa dos últimos 23 anos, com 19,7 ocorrências a cada 100 mil habitantes. Os dados constam do balanço da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, divulgado nesta sexta-feira (13) em coletiva à imprensa.

De acordo com a secretária Márcia de Alencar Araújo, os números são consequência do policiamento comunitário e do Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida, que tem ações com foco em resultado. “Brasília está em uma posição destacada em relação ao restante do País. A taxa Brasil [de homicídios] é de 29,5 a cada 100 mil habitantes”, ressaltou. Segundo ela, a pasta vai continuar priorizando o policiamento integrado nas áreas mais críticas, em dias, horários e locais apontados pelo monitoramento da Segurança.

A pasta também apresentou números dos primeiros 12 dias de 2017. Foram dez assassinatos a menos que o mesmo período do ano passado, e a queda se repete em outros cinco dos nove tipos de crimes analisados. Apenas latrocínio (três ocorrências a mais que em 2016) e roubo a residência (cinco casos a mais) tiveram aumento. Casos de lesão corporal seguida de morte (um caso a menos), roubo a pedestre (menos 73), roubo de veículo (menos 33), roubo a transporte coletivo (menos 17), roubo em comércio (menos 51) e furto em veículo (menos cinco) diminuíram neste início de ano.
"É preciso atenção ao caminhar falando ao celular, com o fone de ouvido, de cabeça baixa"Márcia Araújo, secretária da Segurança Pública e da Paz Social

A secretária acredita ser importante que, aliado às ações policiais, a população se previna contra os chamados crimes de oportunidade e não reaja aos bandidos. “É preciso atenção ao caminhar falando ao celular, com o fone no ouvido, de cabeça baixa”, pontuou. De acordo com Márcia, os latrocínios ocorrem, na maior parte das vezes, quando a vítima reage ao roubo.
Crimes contra o patrimônio

Os crimes contra o patrimônio têm sido o grande desafio do governo desde o ano passado, quando foram registrados 2.129,6 casos a cada 100 mil habitantes. O número, também a cada 100 mil habitantes, é superior ao de 2015 — 1.788,9 — e menor do que o de 2014 — 2.153,1.

Em alguns casos, o esforço apresentou resultados ainda em dezembro. Em roubos em comércio, por exemplo, registraram-se 217 episódios em 2016, contra 239 no ano anterior. O mesmo ocorreu com furto em veículo, que teve queda de 1,8% — de 962, em 2015, para 945, em 2016.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo