Quinta Cultural será expandido para outras regiões do DF

Projeto se chamará Q Cultural e será lançado nesta quinta-feira (1º), no Setor Comercial Sul. Ceilândia vai ser a próxima a receber o evento, previsto para julho, ao lado da Feira Central

A junção de música autoral, gastronomia e outras intervenções artísticas do Quinta Cultural, no Setor Comercial Sul, será expandida para outras regiões administrativas. O Q Cultural, projeto da Secretaria Adjunta do Trabalho, será lançado nesta quinta-feira (1º), a partir das 17h30, no estacionamento da Quadra 6 do Setor Comercial Sul.

Parte do Centro Legal, programa do gov.erno de Brasília de revitalização do Setor Comercial Sul, o Quinta Cultural teve 30 edições. Agora, ele vai ganhar um novo significado: não será apenas um evento específico de outra iniciativa, mas um projeto de governo.

O mais importante é mostrar que a cidade é de todos. “Queremos levar o sentimento de pertencimento às regiões. Mostrar que a ocupação de espaço público é responsabilidade e direito de todos”, diz o secretário adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour.

Os recursos necessários para a ampliação da iniciativa foram captados por meio de emenda parlamentar — cerca de R$ 200 mil, destinados pelo presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT) — e executados junto à Secretaria de Cultura, parceira da pasta do Trabalho na iniciativa.
Atividades artísticas e gastronômicas no Q Cultural

Shows de artistas locais são parte da ocupação do Q Cultural. A ideia é dar destaque a trabalhos autorais.

Músicos e bandas interessados em participar do evento devem procurar a secretaria (SCS, Quadra 6, Edifício Guanabara) para fazer inscrição.

Nesta quinta-feira, as atrações são música — Dillo, DJ Barata, DJ Nagô e Márcio Marinho —, food trucks e apresentação de malabaristas de rua.
Ceilândia, primeira parada do Q Cultural fora do Setor Comercial Sul

Duas regiões administrativas já estão em negociação para promover as suas próprias edições do Q Cultural: Ceilândia e Gama.

A meta é levar o projeto para Ceilândia em julho, ao lado da Feira Central. Para isso, a Secretaria do Trabalho vai capacitar os integrantes do #vempracei, coletivo interessado em levar a iniciativa para a região.

“O Quinta Cultural ajudou a mudar a ideia de que o Setor Comercial Sul é um lugar perigoso à noite, queremos fazer o mesmo em Ceilândia”, afirma Sérgio Souza, de 38 anos, integrante do #vempracei.

Para o Gama, ainda não há previsão.

NBN Brasil

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo