Violência contra mulheres: parceria intensifica combate a abusos no metrô

Protocolo de intenções foi assinado na manhã desta terça-feira (23). Na ocasião, a companhia também lançou a campanha Assédio é Crime.

Para intensificar as ações de combate ao assédio, ao abuso e às violências contra mulheres, foi assinado nesta terça-feira (23) protocolo de intenções entre a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), a Polícia Civil do DF e a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.Para intensificar as ações de combate ao assédio, ao abuso e às violências contra mulheres, foi assinado nesta terça-feira (23) protocolo de intenções entre o Metrô-DF, a Polícia Civil do DF e a Secretaria do Trabalho. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Com a parceria, os órgãos trabalharão em campanhas e ações conjuntas nas estações. O objetivo é prevenir crimes praticados contra as mulheres no sistema metroviário.

A parceria, formalizada na Estação Central, na Rodoviária do Plano Piloto, também visa à capacitação de empregados do Metrô-DF sobre temáticas relacionadas à campanha.

Colaboradora do governo, Márcia Rollemberg destacou a política de integração entre órgãos. “Isso traz maior eficácia dos serviços e segurança de direitos”, ressaltou.

A integração também foi destaque na fala do secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes.
A parceria, formalizada na Estação Central, na Rodoviária do Plano Piloto, também visa à capacitação de empregados do Metrô-DF sobre temáticas relacionadas à campanha

A ação integra o Brasília Cidadã e também vai ao encontro do quinto item da lista dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), relacionado à igualdade de gênero.
Assédio é Crime

No evento, também houve o lançamento da campanha Assédio é Crime, do Metrô-DF. A ação conta com a veiculação de peças publicitárias nos trens e nas estações.

De acordo com o diretor-presidente da empresa pública, Marcelo Dourado, as ações voltadas a esse fim tiveram início em 2015, com a campanha Não Existem Desculpas: Assédio Sexual É Crime.

A solenidade contou ainda com a participação da Companhia de Teatro Bisquetes, formada por atores da Estrutural que fizeram apresentações relacionadas à temática do evento.
Quem disse que não dá em nada? Dá sim

Na ocasião do lançamento, foi ainda reforçada a campanha Quem disse que não dá em nada? Dá sim!, da Polícia Civil. “Essa história de ‘quem disse que não vai dar em nada?’ e de ‘você sabe com quem está falando?’ tem que acabar. Todos somos iguais, temos que ser respeitados e temos que respeitar”, frisou o diretor-geral da Polícia Civil do DF, Eric Seba de Castro.
A ação alerta para o fato de que importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo é crime previsto na Lei de Contravenções Penais

A ação alerta para o fato de que importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo é crime previsto na Lei de Contravenções Penais.

“Se houver o emprego de violência ou grave ameaça, a gente pode estar diante de uma tentativa de estupro”, reforçou a delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Sandra Gomes.

De acordo com ela, o gatilho da campanha foi uma ocorrência deste ano, no metrô. “O autor, ao ser filmado, desafia a vítima, as testemunhas, e diz que poderia filmar, que isso não daria em nada. Ele foi identificado e responsabilizado penalmente”, disse.

Para denunciar assédio, abuso e violências contra mulheres
Delegacia Especial de Atendimento à Mulher: (61) 3207-6195
Disque denúncia da Polícia Civil do DF: 197
Central de Atendimento à Mulher: 180

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.