Profissionais do ensino especial são homenageados pela Câmara Legislativa

Reconhecimento à dedicação dos educadores

Os profissionais que atuam em escolas e instituições de ensino especial do Distrito Federal foram homenageados, na manhã desta quinta-feira (1º), pela Câmara Legislativa em sessão solene realizada por iniciativa dos deputados Joe Valle (PDT), Robério Negreiros (PSDB) e Wasny de Roure (PT). A sessão contou com a presença de alunos, professores, familiares, representantes da comunidade, parlamentares e autoridades do governo que lotaram o auditório da Casa.

Ao abrir a sessão, o presidente da Câmara Legislativa, deputado Joe Valle, conclamou a sociedade a se mobilizar na busca da ampliação de recursos orçamentários essenciais ao atendimento de demandas em apoio ao ensino especial do DF. Destacou que a homenagem prestada pela Câmara representa o reconhecimento à atuação valiosa dos profissionais, das instituições e escolas que agem em prol da educação, da inclusão social e dos direitos das pessoas com deficiência.

O deputado Robério Negreiros parabenizou os profissionais que atuam no ensino especial do DF pelo empenho, dedicação e amor com que desempenham suas atividades. Informou que disponibilizará recursos de emendas parlamentares para dar suporte às atividades dos 14 centros de ensino especial e entidades credenciadas do governo local. O deputado observou que a atual gestão da Câmara Legislativa tem colocado em prática medidas que apoiam a inclusão social das pessoas com deficiência. Como exemplo, informou que a Casa vai disponibilizar ao público serviços de intérpretes de Libras durante as atividades parlamentares e também na programação da TV Legislativa que voltará ao ar brevemente.

Mobilização - O deputado Wasny de Roure ressaltou que o momento atual, marcado pela escassez de recursos públicos e mudanças em prioridades do governo, exige mobilização da sociedade em defesa dos mais vulneráveis, como é o caso dos portadores de necessidades especiais. Observou que o governo local tem priorizado a folha de pagamento dos servidores públicos em detrimento de políticas públicas que devem ser respeitadas, como é o caso do atendimento das pessoas com deficiência.

O deputado Delmasso (Podemos) agradeceu aos profissionais do ensino especial por não desistirem de pessoas portadoras de necessidades especiais, como é o caso da filha dele, Manoela, atendida pelo Centro de Ensino Especial nº 1 do Guará. Disse que graças à atenção recebida pelos profissionais da instituição, sua filha obteve uma evolução gradativa e alcançou algumas importantes conquistas, como falar.

"A maior deficiência está no preconceito, que se revela em algumas atitudes e no olhar das pessoas. Mas a falta de acessibilidade também é preconceito. Os profissionais de ensino especial merecem todo o respeito e apoio da sociedade porque exercem suas funções não pelo dinheiro, mas pelo amor à causa", acrescentou Delmasso.

O deputado federal Eduardo Barbosa (PSDB/MG), que preside a Federação das Apaes de Minas Gerais, também destacou a necessidade de mobilização para a garantia e ampliação de direitos e conquistas na área do ensino especial. Ressaltou que as medidas voltadas ao fortalecimento das entidades e profissionais que atuam no DF servem como exemplo para a demais unidades da Federação.

Ampliação - O subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação Educacional da Secretaria de Educação do DF, Fábio Pereira de Sousa, lembrou a luta para manutenção dos centros de ensino especial, que estavam em ameaça de extinção. Garantiu, sob aplausos, que o ensino especial do DF não vai acabar, mas sim, será ampliado. Lembrou que atualmente existem 13 centros de ensino especial no DF, além de entidades conveniadas que dão suporte ao atendimento a alunos com deficiência.

De acordo com dados da secretaria de educação, existem aproximadamente 573 mil pessoas que se declaram com algum tipo de deficiência no DF, ou seja, 22,23% da população local. Muitas dessas pessoas recebem serviços das instituições especializadas, que são prestados há mais de 40 anos por uma rede de profissionais – entre professores, fisioterapeutas, psicólogos, monitores e da carreira de assistência - que atuam no ensino especial.

Vários representantes de entidades ligadas ao ensino especial também prestaram suas homenagens aos profissionais da área. Entre eles: Daniela Alessandra Oliveira, da Secretaria de Educação, o diretor do Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais, Airton Dutra de Farias; o diretor do CEAL, padre Giuseppe Rinaldi, o presidente da Associação Nacional de Ecoterapia, Coronel Dorneles, a mãe de aluno, Valquíria Elena Gonçalves Theodoro; e o aluno da Associação Pestalozzi de Brasília, Luciano Rocha Araújo.

Durante a sessão solene, foram apresentados vídeos institucionais com depoimentos de familiares de estudantes e detalhes das atividades desenvolvidas por instituições especializadas. A programação incluiu apresentações do Coral do Centro de Ensino especial nº 1 de Taguatinga e de dança pelo grupo Inclusive Danço, do CEAL Houve também a entrega de moções de louvor a dezenas de personalidades ligadas ao ensino especial e homenagens póstumas às professoras Gláucia Gomes de Oliveira e Cláudia de Fátima da Silva Borges, falecidas a pouco tempo, que dedicaram suas vidas ao trabalho de inclusão e defesa dos direitos das pessoas com deficiência.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo