DF registrou 415 casos de estupro apenas no primeiro semestre deste ano

O número de ocorrências é 32,2% maior do que o do ano passado. Ceilândia é a cidade satélite com mais registros

Os registros de casos de estupro continuam a crescer na capital federal. É o que aponta o Balanço da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social divulgado na manhã desta sexta-feira (7). Apenas nos primeiros seis meses de 2017, foram registrados 415 ocorrências, sendo considerado o maior índice dos últimos 4 anos. Ceilândia é a cidade satélite com mais ocorrências.

Só em Junho, foram registrados 77 estupros no DF. De acordo com a pasta, quase 70% dos casos de abusos sexuais são contra vulneráveis. “Meninas adolescentes são as vítimas mais comuns. Porém, o que mais chama atenção é que 81% dos estupros de vulneráveis aconteceu na própria residência da vítima ou do autor, que geralmente possuem algum tipo de vínculo”, revelou a secretaria.

O secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Edson Novaes, atribui a dificuldade de prevenção do crime ao fato de que a maioria dos casos acontece em locais fechados. “Não tem como colocar um policial dentro da casa das pessoas”, explica. Ele também relembra que nem todos os casos de Junho aconteceram no mês de fato. “Muitas das vítimas só registram ocorrência depois de um certo tempo”.

Já a coordenadora de Política para Mulheres da secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEDESTMIDH), Miriam Pndaag, afirma que o estupro é uma “violência invisível”, uma vez que muitas vítimas têm medo de denunciar. Ela, no entanto, acredita que esse cenário está mudando aos poucos. “Nós podemos perceber que as pessoas estão tomando mais coragem para denunciar. Por isso, devemos continuar conscientizando a população e dar visibilidade para o problema dos estupros”, comenta Miriam.

Roubos em residência aumentam nas férias

O balanço também apontou que o mês de junho deste ano teve 36,8% mais roubos em residência do que o ano passado. O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Nunes de Oliveira, diz que esse tipo de crime tende a crescer no período de férias, já que muitas pessoas viajam e deixam suas residências vazias. “Se você tiver que deixar a casa sozinha por causa de uma viagem é importante sempre avisar vizinhos e familiares para ficarem atentos. Deixar alguém cuidando da casa também reduz o risco dos roubos”, afirma o coronel.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo