Parlamentar no estímulo à prática esportiva no Distrito Federal

O deputado distrital Júlio Cesar (PRB) assumiu em 2012, o cargo de secretário-adjunto de Esporte, assumindo no final deste mesmo ano a função de Secretário do Esporte. Durante sua administração em frente à secretaria, implantou 11 Centros Olímpicos nas Regiões Administrativas. Ele foi eleito deputado distrital em 2014, na CLDF uma das missões é dar continuidade ao seu trabalho que dá apoio aos atletas brasilienses. O deputado foi autor da Lei que institucionalizou o projeto Compete Brasília, que estimula o cenário olímpico e paraolímpico na capital.
FOTO: DIVULGAÇÃO
Erika Manhatys

O que o deputado fez neste primeiro semestre que considera mais relevante?

Neste primeiro semestre trabalhei incansavelmente em prol de várias demandas da sociedade. Tivemos cinco projetos de Lei sancionados, que visam contribuir para melhorar o bem-estar da sociedade. Para elaboração dos projetos de Lei, procuro sempre escutar as carências e necessidades da população, para que as leis realmente ajudem e sejam eficazes para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Foram aprovados projetos que visam valorizar a juventude e os cantores gospel. Agora é lei o projeto que desobriga o recadastramento para emissão do passe livre às pessoas com deficiência cuja avaliação médica seja “invalidez ou incapacidade permanente. Também virou lei esse semestre o PL, que dispõe sobre a obrigatoriedade de prestação de informações pelos cartórios sobre as transações de compra e venda de veículos terrestres. Outra conquista foi para os professores de Educação física, pois agora será obrigatório a presença de professor licenciado em Educação Física no sistema de ensino.

Houve algum projeto que não conseguiu concretizar? Após o recesso, quais são as suas prioridades na CLDF?

Esse semestre tivemos vitórias em diversas administrações administrativas, um bom exemplo são as conquistas de Samambaia, onde foi inaugurado dois terminais de ônibus, cinco creches, um CIL- Centro Interescolar de Línguas, mais de 1.000 escrituras foram entregues para moradores por meio do programa Habita Brasília, que aguardavam há mais de 20 anos, conseguimos motoqueiros policiais para fortalecer a segurança da cidade e bem breve será entregue à população o centro Cultural e a reforma do estádio Rorizão. No Riacho Fundo II, também foi entregue um terminal de ônibus, entregamos moradia e houve a entrega de escrituras por meio do Programa Habita Brasília. Outra grande conquista para a região foi o início da construção da feira permanente, uma reivindicação antiga dos moradores, que agora saiu do papel, além de 18 licitações para a implementação de praças recreativas na cidade. Estamos trabalhando para deixar um legado para a população. 

Quanto ao governo Rollemberg, qual o seu posicionamento? E o que o senhor faria diferente do governador?

Sou da base do governo, o que não quer dizer que quando não concordo não me posiciono, pois meu único compromisso é com a sociedade que me elegeu para lutar por seus interesses. Sou um parlamentar que acredita que o mandato é feito com a participação da sociedade. É notório que nossa cidade, assim como muitas Capitais está enfrentando problemas sérios, na educação, segurança e principalmente na saúde que impacta diretamente na vida do cidadão. São problemas urgentes que precisam ser minimizados com a maior rapidez possível e com medidas eficazes. Mas como visito muitas regiões administrativas também tenho visto o esforço do governo em resolvê-las. Ainda não é o suficiente, mas é preciso perceber que o governador está buscando mecanismo para sana-las, mesmo diante uma crise financeira que não está concentrada somente na Capital Federal, mas em muitas Federações.

Esteve à frente da Secretaria do Esporte e tem levantado esta bandeira também na CLDF. Quais medidas o governo deveria tomar para alavancar o cenário do esporte brasiliense?

Ao longo do mandato alcançamos muitas vitórias para o segmento esportivo. Tornamos o Programa Compete Brasília em Lei, onde os atletas e paratletas além das passagens aéreas e terrestres serão beneficiados, com alimentação e hospedagem, uma reivindicação antiga em nossa cidade. O programa Boleiros foi implantado por mim durante o período que estive à frente da Secretaria de Esporte, também foi sancionado e agora garante recursos para o futebol amador e outras modalidades esportivas. 
Também alteramos a Lei para que os atletas e paratletas possam ser beneficiados pelo Programa Bolsa Atleta, mesmo que já possuam patrocínio ou outros benefícios. Outra solicitação do segmento esportivo foi atendida, derrubamos no Plenário da Casa um veto do governador Rodrigo Rollemberg ao projeto de Lei, que dispõe sobre a obrigatoriedade da presença de professor licenciado em Educação Física no sistema de ensino, uma grande conquista, pois a disciplina de educação física deve ser ministrada por profissionais da área, afinal são profissionais que se especializaram para entender as necessidades e limitações de cada aluno. Acompanho há muito tempo o quanto o esporte é uma ferramenta fundamental na inserção social e o quanto tem a capacidade de transformar de vidas. Ao longo do trabalho que estamos realizando cada vez mais tenho certeza da necessidade de promover mecanismos que contribuam para o crescimento e desenvolvimento desse segmento.

Além do esporte, quais são as demais frentes parlamentares que o deputado integra?

Como presidente da Frente Parlamentar do Idoso na CLDF, represento esse segmento tão carente de políticas públicas, o que é uma grande incoerência, pois a população está vivendo cada vez mais. Por isso, atuo fortemente na elaboração de Leis para favorecê-los. Já é Lei a vacinação domiciliar para os idosos, um serviço que já é oferecido em alguns Estados e agora no DF. Outro projeto que foi elaborado com apoio do segmento é tornar obrigatório à instalação de sistemas de monitoramento em instituições destinadas ao atendimento de pessoas idosas, pois é notório que em algumas instituições existe maus tratos. Isso é inadmissível. As pessoas com deficiência requerem medidas especificas. Foi aprovado e agora é Lei a desobrigação do recadastramento para emissão do passe livre às pessoas com deficiência cuja avaliação médica seja “invalidez ou incapacidade permanente”, uma demanda que foi colhida durante de uma Audiência Pública que realizei na CLDF, com portadores de deficiência. Outra reivindicação foi a elaboração de um projeto de Lei, que assegure a disponibilização de equipamentos com adaptação específica para mulheres com comprometimento da função física, para realização de exames de rotina à prevenção de câncer de mama e de colo uterino, que já está em tramitação na Casa.

E quais são suas pretensões para as eleições de 2018?

Até as próximas eleições têm muita coisa que precisa ser realizado no mandato para qual fui eleito, mas a ordem natural do processo é que eu seja pré-candidato a deputado Federal. Nesse momento estou focado em terminar meu mandato honrando cada voto recebido e à disposição do meu partido e da sociedade.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo