Cidades Limpas reduz em 85% casos de dengue, zika e chicungunya

Riacho Fundo II recebe a 20ª edição do programa a partir de hoje (7). Ações de limpeza e revitalização urbana têm como um dos objetivos a prevenção ao mosquito Aedes aegypti.

A 20ª edição do programa Cidades Limpas chega ao Riacho Fundo II a partir desta segunda-feira (7). As ações de limpeza e revitalização urbana têm como um dos objetivos a prevenção ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, do zika vírus e da febre chicungunya.

As medidas contribuíram para a queda de 85% nos casos dessas doenças, que o Distrito Federal alcançou em 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. O percentual de redução é recorde nacional.

Para isso, diversos órgãos do governo de Brasília, coordenados pela Secretaria das Cidades, executam medidas como poda de árvores, tapa-buracos, capina e roçagem, remoção de entulhos, recuperação de iluminação pública e manejo ambiental.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, esteve nesta manhã no lançamento do programa no Riacho Fundo II. “Com essas e outras ações de governo, estamos tendo a maior redução do número de casos dessas doenças no Brasil”, observou

“Com essas e outras ações de governo, estamos tendo a maior redução de casos dessas doenças no Brasil”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

Ele ficou satisfeito com o impacto do programa na saúde pública e no controle das epidemias. “É algo em torno de 85% de redução em relação ao mesmo período do ano passado”, destacou Rollemberg. 

Além de melhorar a saúde da população, o Cidades Limpas também fortalece o sentimento de pertencimento da comunidade, de acordo com o secretário das Cidades, Marcos Dantas. “As ações também aumentam a autoestima das pessoas”, disse. 

No Riacho Fundo II, um dos focos do programa será a segurança no trânsito. Está prevista a colocação de 40 quebra-molas em 11 quadras e na Avenida Principal — os pontos foram indicados pela administração regional como prioritários.

A força-tarefa também executará ações de poda de árvores, tapa-buracos, capina e roçagem, remoção de entulhos, recuperação de iluminação pública e manejo ambiental para o combate ao Aedes aegypti.

O contato direto dos órgãos do governo com os moradores permite o atendimento das demandas locais. Uma delas é a instalação dos quebra-molas. A colocação das estruturas permite a redução da velocidade dos veículos na via. 

Lançado em novembro do ano passado, o Cidades Limpas já promoveu operações no Gama, Itapoã, Paranoá, Ceilândia, Brazlândia, Estrutural, Planaltina, São Sebastião, Fercal, Sobradinho II, Vila Planalto, Guará, Sobradinho, Samambaia, Taguatinga, Riacho Fundo I, Santa Maria e Recanto das Emas.

O objetivo do programa é promover uma melhoria imediata do ambiente urbano para que a população tenha mais qualidade de vida.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo