Polícia Civil forma líderes comunitários para fortalecer combate à violência contra a mulher

Iniciativa da Deam, projeto foi lançado nesta segunda (7), no DPE. Oitenta representantes da sociedade vão participar das primeiras oficinas de capacitação.

Para envolver a sociedade no combate à violência contra a mulher no DF, foi lançado nesta segunda-feira (7) o projeto Lidera — Empoderar para Multiplicar. A proposta é formar lideranças comunitárias para auxiliar na resolução de conflitos.

Por meio de oficinas, a população será capacitada para aumentar o conhecimento sobre questões de gênero e as diferentes formas de prevenir a violência, além de saber como ajudar as vítimas.

Até quarta-feira (9), 80 líderes comunitários selecionados participam das atividades, ministradas por policiais civis.

A iniciativa da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) integra a comemoração dos 30 anos de existência da unidade, criada em 1º de setembro de 1987.


Foi lançado nesta segunda-feira (7) o projeto Lidera — Empoderar para Multiplicar. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

No lançamento, o diretor-geral da Polícia Civil do DF, Eric Seba, parabenizou a todas e ressaltou o papel da corporação como instrumento para a procura de uma sociedade mais justa. “Precisamos empoderar aqueles que buscam uma cultura de paz, sem intolerância de nenhum tipo.”

Com a capacitação, as lideranças conseguirão reconhecer o impacto da violência contra a mulher, as causas, os instrumentos legais de proteção e enfrentamento e os serviços disponíveis na Polícia Civil do Distrito Federal, em especial na Deam (204/205 Sul), e na rede de proteção às mulheres no DF.


“É uma forma de atuarmos ativamente junto à sociedade para que possamos fazer intervenções mais estruturantes”Sandra Gomes, delegada-chefe da Deam

“É uma forma de atuarmos ativamente junto à sociedade para que possamos fazer intervenções mais estruturantes: empoderar as lideranças para que elas multipliquem a prevenção pela educação”, reforçou a delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher, Sandra Gomes.

Segundo ela, é preciso dar orientação “para que aqueles que são mais procurados, como líderes espirituais [pais e mães de santo, por exemplo], saibam como agir para acolher essas vítimas e como denunciar”, acrescentou a delegada-chefe.

No primeiro dia da programação, Sandra apresentou a palestra Questões de Gênero, Violência contra a Mulher e o Atendimento no âmbito da Polícia Civil do DF e da Deam. O evento ocorreu no Departamento de Polícia Especializada (DPE), sede da corporação, na mesma data em que a Lei Maria da Penhacompleta 11 anos.

A colaboradora do governo Márcia Rollemberg destacou a importância de compartilhar as informações sobre o assunto e de mobilizar a população. “Todos temos um papel para construirmos uma sociedade mais justa”, resumiu.

“A realidade só será mudada com o reconhecimento das nossas responsabilidades e com a participação social como direito”, acrescentou. Márcia enumerou ações do Brasília Cidadã como política pública essencial para construir uma nova consciência de paz social no DF.

O secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes, acrescentou que a política pública será importantíssima para minimizar danos da violência local.

Lideranças interessadas no projeto podem obter mais informações pelo e-mail deam-projetolidera@pcdf.df.gov.br.
Casa da Mulher Brasileira reúne serviços de atendimento às mulheres do DF

Segunda unidade inaugurada no Brasil, a Casa da Mulher Brasileira de Brasíliareúne, no mesmo espaço (601 Norte), serviços para a mulher e os filhos, como brinquedoteca, acolhimento, atendimento psicossocial, alojamento de passagem e promoção à autonomia econômica.

Ligue 180
Telefone da Central de Atendimento à Mulher para denunciar casos de violência doméstica

Além da Deam, funcionam no local Centro Especializado de Atendimento à Mulher, Ministério Público, Defensoria Pública e Centro Judiciário da Mulher.

Denúncias de casos de violência doméstica podem ser feitas pelo telefone 180 da Central de Atendimento à Mulher. A ligação é gratuita.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo