Crescimento da violência repercute entre distritais

Destaque para casos de agressão às mulheres

O crescimento da violência no Distrito Federal foi um dos assuntos mais debatidos pelos deputados distritais, durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa, desta quarta-feira (8). Os parlamentares destacaram que a realidade é muito pior do que os números oficiais apontam.

O líder do PT, deputado Ricardo Vale, disse que ao contrário do que alguns representantes do GDF divulgam, a violência tem crescido, especialmente nos casos de homicídio, furtos e assaltos. Segundo ele, as maiores vítimas são os jovens, as mulheres e as minorias como a população LGBT.

Na avaliação do deputado, a Câmara tem contribuído com a aprovação de lei para ajudar o Estado e a sociedade para enfrentar o problema, mas esbarra na pouca ação do governo. Ele citou como exemplo lei de sua autoria sobre o combate ao machismo e que prevê ações na rede pública de ensino, mas que até agora tem sido ignorada pelo GDF.

Vale classificou os casos de feminicídio como os que mais assustam. De acordo com o distrital, só no ano passado o DF registrou 20 casos de feminicídio. "A gente faz as leis, mas o governo se recusa a cumprir", criticou. O deputado cobrou mais políticas públicas de prevenção para reverter o quadro atual.

A deputada Telma Rufino (PROS) defendeu mudanças na legislação para endurecer as penas como estratégia para reduzir a violência contra as mulheres. Para ela, as punições precisam ser mais severas e defendeu até mesmo a castração dos homens violentos.

Já o deputado Prof. Reginaldo Veras defendeu que a solução para o problema passa por uma mudança de cultura. Para ele, é necessário ampliar o debate sobre a questão de gênero, papel da mulher na sociedade de hoje, entre outros temas relevantes. O deputado criticou que o assunto seja sempre polemizado em função de um falso discurso sobre "ideologia de gênero", que nada contribui.

Para a deputada Luzia de Paula (PSB), a questão da violência, especialmente contra a mulher, é fruto da desconstrução da sociedade. Na opinião dela, é necessária uma "luta incansável" para que as escolas tenham sustentação para fazer as discussões necessárias".

Na visão do deputado Wellington Luiz (PMDB), o crescimento da violência é causado pela tolerância e pela impunidade, o que gera grande reincidência. "Na minha opinião, lugar de estuprador é na cadeia ou no cemitério", disparou, defendendo também a castração de abusadores sexuais.

Luís Cláudio Alves
Fotos: Raphaella Bechepeche (Gab. Ricardo Vale)
Comunicação Social – Câmara Legislativa

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo