Saúde bucal é parte do atendimento da Estratégia Saúde da Família

Responsável pelo serviço na Unidade Básica de Saúde do Lúcio Costa, a dentista Érika Mendonça ministra palestras para gestantes, crianças e pessoas com doenças crônicas.

A rotina da dentista Érika Mendonça, servidora da Secretaria de Saúde, é agitada. Além dos atendimentos no consultório, com hora marcada ou por ordem de chegada, ela visita escolas, creches e ministra palestras para grupos específicos, como grávidas, diabéticos e hipertensos.
A dentista Érika Mendonça faz atendimentos no consultório, visitas a escolas e creches e ministra palestras para grupos específicos, como grávidas, diabéticos e hipertensos como parte da Estratégia Saúde da Família. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Lotada na Unidade Básica de Saúde do Lúcio Costa, ela integra a Estratégia Saúde da Família desde julho, depois que optou por fazer parte do processo de conversão da atenção primária.

“Aqui, eu vejo que o que estou fazendo está mudando a forma de viver das pessoas, está se multiplicando.”

Para Érika, a saúde bucal está relacionada diretamente com o bem-estar integral do paciente. “São muitos os casos em que a pessoa não melhora, mas, depois que passa pelo tratamento adequado da boca, se estabiliza”, conta.

“São muitos os casos em que a pessoa não melhora, mas, depois que passa pelo tratamento adequado da boca, se estabiliza”Érika Mendonça, dentista da UBS do Lúcio Costa

Crianças, gestantes, hipertensos e diabéticos são grupos que participam de ações específicas, recebem orientações precisas em encontros constantes com a equipe de profissionais. No entanto, qualquer pessoa pode ter acesso ao cuidado.

Como no restante da estratégia, o foco é na promoção, proteção e recuperação da saúde e no acompanhamento integral do paciente. No DF, um grupo de odontologia atende cerca de 7 mil pacientes.

A expectativa, segundo o gerente de Odontologia, da Secretaria de Saúde, Maurício Bartelle Basso, é que ao fim do processo de conversão haja uma equipe de saúde bucal para cada 3,5 mil pessoas — quantidade atendida por um grupo de profissionais da Estratégia Saúde da Família.

Integração entre os profissionais para o cuidado ao paciente;

A dona de casa Lainara Irlanda e a filha Agatha, de 1 ano, já são assistidas pela dentista. Grávida, Lainara já tem garantido o atendimento ao bebê após um mês de nascido. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

A dona de casa Lainara Irlanda, de 24 anos, soube do acompanhamento que teria com Érika ao procurar consultas para acompanhar a gestação. O bebê será atendido logo quando completar 1 mês de nascido.

“Esse cuidado é muito bom. Aprendemos coisas simples sobre nutrição e alimentação.” Ela e a filha Agatha, de 1 ano, já são assistidas pela dentista.

A rede pública ainda conta com dez centros odontológicos na atenção secundária. De acordo com Basso, a pasta trabalha para organizar todos os níveis de atenção à saúde bucal.

No dia 17, o governador Rodrigo Rollemberg anunciou a nomeação de, entre outros profissionais, 39 cirurgiões-dentistas e 39 técnicos em saúde bucal, que serão distribuídos em unidades de urgência e emergência.

“A ideia é qualificar o atendimento nesses níveis de atenção”, explica Basso. Ele detalha que a secretaria trabalha para qualificar o acesso dos pacientes à saúde básica, com o planejamento para implementar a classificação de risco para atendimentos odontológicos e a capacitação dos profissionais para melhor atender crianças.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo