Líder comunitário cria app para agilizar denúncias de crimes no DF

João Dito, morador do P Sul, idealizou o aplicativo Emergência Cidadão, lançado hoje. Foto: Gabriel Jabur

Com a intenção de melhorar o contato entre os cidadãos do Distrito Federal e as forças de segurança pública, o líder comunitário João Benedito Santarém, 42, conhecido no P Sul (Ceilândia) como João Dito, idealizou o aplicativo Emergência Cidadão. A plataforma, lançada hoje para smartphones com sistema operacional Android, cataloga telefones para contato, endereço, número de WhatsApp e endereço de e-mail de delegacias e grupamentos militares de quatro regiões administrativas — Brazlândia, Ceilândia, Recanto das Emas e Samambaia. O objetivo é ampliar a facilidade para todo o DF. Não há previsão de lançamento para a versão compatível com sistema iOS.

“Ceilândia é um local de risco. Todo mundo sabe. Há duas semanas, 11 pessoas foram alvejadas por tiros. Sabemos de assaltos e outros crimes o tempo todo, por grupos on-line. Como nasci no P Sul, me senti na obrigação de fazer algo para que a polícia possa agir rápido”, explica João Dito.

Há duas semanas, o criador do Emergência Cidadão entrou em contato com um amigo, dono de empresa de design e desenvolvimento de softwares, para propor uma parceria. “Ele fez tudo de graça”, comemora Dito. “Em vários desses dias, trabalhamos dias, noites e madrugadas”, lembra.

O resultado é uma interface que facilita a interação dos usuários. Ao baixar o aplicativo, disponível na loja Google Play, o usuário não tem dificuldades para encontrar os meios de contato com as polícias, como atestou o JBr.. Caso queira comunicar um crime em Ceilândia, por exemplo, o cidadão tem, na palma da mão, várias maneiras de fazê-lo. Primeiro, deve clicar no nome da cidade. Em seguida, escolher como dirá isso aos policiais — via WhatsApp, ligação telefônica ou e-mail.

O aplicativo direciona o usuário para a tela de mensagens ou de ligações do celular. “Assim, ele não precisa ir atrás de números, pedir para terceiros. O contato será mais rápido e diminuirá a burocracia”, acredita.

Para o criador da ferramenta, o envolvimento da população com as forças de segurança tende a aumentar. “Aquelas pessoas que não denunciavam ou não registravam ocorrências vão se sentir mais motivadas. Esperamos que cerca de um milhão de pessoas baixem o aplicativo, porque lançamos em cidades populosas”, prospecta. “O aplicativo também servirá de incentivo para delegacias que não trabalham com mensagens por WhatsApp providenciem isso”. Ele dá o exemplo de Ceilândia, onde a 23ª DP disponibiliza o canal, ao contrário da 24ª.

Versão oficial

Em nota, a PMDF informou que o meio mais eficaz de contato com a corporação é o 190. “Outros não são meios oficiais para informar o cometimento de crimes”, declarou.

JBr

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.