Bancos de leite de Brasília estão 'no limite', diz Secretaria de Saúde

Coleta de janeiro e fevereiro foi de 2,5 mil litros; ideal seriam 3 mil litros.

Por Luiza Garonce, G1 DF

Leite materno armazenado no Hospital Materno-Infantil de Brasília (Foto: André Borges/Agência Brasília/Divulgação)

Os bancos de leite materno do Distrito Federal fecharam o primeiro bimestre do ano "no limite", segundo a Secretaria de Saúde. "Isso é algo que está acontecendo no país inteiro e preocupa muito a gente", disse ao G1 a coordenadora geral dos bancos de leite humano, Miriam Santos.

Entre janeiro e fevereiro, os 14 bancos que compõem a rede de aleitamento na capital – sendo 10 públicos e 4 privados – recolheram 2.549 litros. O valor está abaixo do mínimo ideal para dois meses, que é de 3 mil litros.

"Dá pra atender com 1.500 litros por mês, mas o ideal mesmo seria 3 mil litros. Assim, a gente poderia atender casos de mães que têm algum problema de saúde e, por estarem internadas, não conseguem amamentar."

Bebê internado em UTI neonatal em Brasília é amamentado com leite materno doado (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília/Divulgação)

Atualmente, somente bebês internados em UTIs neonatais recebem o leite doado. Mulheres com filhos saudáveis que, por algum motivo, deixam de amamentar têm de recorrer a outros recursos, como o leite em pó.

"Não damos conta da demanda externa."

Nos dois primeiros meses do ano, os bancos de leite atenderam 1.553 crianças novas – que entraram para o programa a partir de 1º de janeiro.
Bancos de leite do Distrito Federal
Litros de leite materno coletados por ano
LitrosLeite coletado201420152016201715.50016.00016.50017.00017.50018.000
Fonte: Secretaria de Saúde do DF

Entre os principais motivos apontados por Miriam para a queda nas doações estão o período de férias e a redução no número de nascimentos. "Geralmente, no verão, período de férias escolares e carnaval, é assim. Sempre esperamos coletar um pouquinho mais no ano anterior para segurar a onda."

"A gente até tem dado conta, mas muito no limite."

Segundo a coordenadora dos bancos de leite humano, no ano passado, houve ainda uma redução significativa no número de nascimentos pelo medo de contração do vírus da Zika. "E para ter doação, tem que ter mulher amamentando."

Potes de leite materno doado armazenados em Hospital Regional de Taguatinga, em Brasília (Foto: Dênio Simões/Agência Brasília/Divulgação)

Um potinho de leite de 300ml a 400ml pode amamentar até dez crianças, segundo Miriam. "Tem bebê que recebe 1 ml por dia." Isso singifica que 20 potes poderiam suprir a demanda diária de 200 bebês internados nas redes pública e privada.

A falta de conhecimento sobre a importância do leite materno e os procedimentos de coleta são um empecilho à doação. "Por mais que a gente divulgue, ainda tem muitas mulheres que não sabem que podem doar. Não sabem como doar", afirmou a coordenadora.

"Outra preocupação é orientação dessas mulheres sobre a amamentação."

Mulher coleta leite em Hospital Regional de Brazlândia, no Distrito Federal (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília/Divulgação)

Segundo Miriam, as indústrias farmacêutica e alimentícia, assim como alguns médicos, estimulam a redução da amamentação e a introdução de alternativas não naturais.

"Várias pessoas falam que o leite [materno] é fraco, que existem outras fontes de alimento. É uma competição desleal."

Como doar?

Para doar leite materno é preciso tomar alguns cuidados higiênicos. Veja as recomendações da Secretaria de Saúde:
Prender os cabelos com touca e proteger a boca e nariz com máscara ou pano
Lavar mãos e braços com sabão e os seios, apenas com água
Massagear a mama e descartas as primeiras gotas de leite
Esterelizar o frasco de vidro onde o leite será depositado – basta colocá-lo em uma panela com água fervendo
Identificar o potinho com uma etiqueta com a data e hora da primeira coleta
A cada coleta, o pote deve voltar ao congelador para manter a qualidade
O pote não pode ser enchido até a tampa, porque racha ao congelar

Mulher do Corpo de Bombeiros recolhe potes de leite materno em casa em Taguatinga, no Distrito Federal (Foto: Tony Winston/Agência Brasília/Divulgação)

Para entregar a doação, é possível ir pessoalmente aos bancos de leite ou solicitar que Corpo de Bombeiros recolha em casa. Neste caso, é preciso ligar no Disque 160, opção 4, ou agendar o atendimento pelo site da secretaria.

Por app

As orientações sobre como fazer a coleta, doação e sobre como amamentar o próprio bebê estão disponíveis no aplicativo para celulares "Amamenta Brasília". A tecnologia funciona como ponte entre mães doadoras, Corpo de Bombeiros e bancos de leite.

A plataforma também permite maior controle da Secretaria de Saúde sobre a quantidade de leite coletado e as regiões onde são recolhidos. No app, estão os contatos dos bombeiros, dos bancos de coleta e endereços.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.