Zoológico de Brasília participará pela primeira vez da Campus Party

Evento ocorre em Brasília de 30 de maio a 3 de junho. Zoo estará no Espaço Arena, com informações sobre o sistema de monitoramento dos animais.

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília vai estrear na Campus Party em 2018. O zoo vai apresentar ao público sua experiência com um sistema de monitoramento remoto implementado graças à parceria com a Escola Técnica de Brasília (ETB), que participou da primeira edição do evento de tecnologia, no ano passado, e agora retorna ao lado da fundação.

O acordo foi fechado depois de uma visita do diretor-presidente do Jardim Zoológico, Gerson Norberto, à Campus Party de 2017. “Isso significa trazer a tecnologia para facilitar o trabalho de conservação e melhorar o bem-estar animal”, avalia. O objetivo é entender como ações externas impactam no dia a dia dos bichos.

Foi pouco tempo desde a conversa até o primeiro protótipo, em novembro do ano passado. A partir de então, alunos comandados pelo professor temporário João Irimar de Resende dividem tarefas específicas para modernizar constantemente o conjunto de equipamentos. “Juntamos o que havia de sensores mais modernos para adaptar ao projeto”, conta o docente.

“Estamos cercados por duas rodovias e ficamos próximo ao aeroporto. Sempre tivemos a preocupação de saber o impacto desse cenário”, complementa Gerson Norberto.
Estações do sistema de monitoramento no zoológico

São cinco estações. Quatro estão espalhadas pelos recintos da coruja, do mico-leão-dourado, do elefante e no serpentário. Os dados são analisados pela equipe técnica do local e servem para aprimorar a infraestrutura física e alguns procedimentos internos.

A quinta estação monitora a área geral do zoológico e pode ser acompanhada inclusive pelo público. A escolha foi técnica, uma vez que, por ficarem mais perto da administração, os lugares recebem melhor sinal de internet.
Equipamentos avaliam fatores como ruídos, temperatura, umidade, iluminação, pressão atmosférica e velocidade do vento

No entanto, o zoológico já se prepara para adquirir mais 53 conjuntos de equipamentos para outros recintos, a exemplo de aves sensíveis à luminosidade e grandes animais, como o rinoceronte. Eles, segundo Norberto, sentem vibrações nas patas.

A ideia é também checar até que ponto visitantes que gritam próximo aos recintos podem afetar o bem-estar de bichos como os primatas, que têm grande interação com o público.

Os equipamentos já avaliam ruídos, temperatura, umidade, iluminação, pressão atmosférica, velocidade do vento e ponto de orvalho. Em breve, também será possível aferir a vibração nos espaços.
Monitoramento levou a mudança na rotina do Zoológico de Brasília

Uma das mudanças graças ao monitoramento foi a adaptação do tipo de limpeza feita próximo ao recinto das corujas. Antes, com os animais no local, era utilizado um soprador para retirar as folhas que ficavam perto do viveiro. Hoje, as aves são retiradas e devolvidas só depois do fim do procedimento. “São mudanças que parecem bobas, mas que trazem mais conforto ao animal”, destaca o diretor-presidente.
Informações sobre o monitoramento do Zoológico de Brasília serão apresentadas no Espaço Arena da Campus Party

Segundo ele, ainda não há dados suficientes para dizer se o ruído alterou o comportamento dos animais. As informações serão estudadas pelos biólogos durante os etogramas — observações contínuas de cada animal e análises comportamentais em horários específicos.

Com a implementação, os alunos da Escola Técnica de Brasília também passaram a ter no zoológico mais um ambiente de estudo, onde ajudam com a recepção dos dados e o aprimoramento da ferramenta.

O caso de sucesso será apresentado no Espaço Arena da Campus Party, exclusivo para pagantes. A feira ocorre de 30 de maio a 3 de junho, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.
Sobre a Campus Party

A Campus Party, que estreou em Brasília em 2017, conta hoje com mais de 540 mil campuseiros cadastrados em todo o mundo.

Já ocorreram edições em países como Alemanha, Argentina, Colômbia, El Salvador, Equador, Holanda, México e Panamá.

A iniciativa está presente no Brasil há dez anos e, em 2018, terá edições na Bahia, no Distrito Federal, em Minas Gerais, no Rio Grande do Norte, em Rondônia e em São Paulo.

Fonte: Agencia Brasilia

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.