Acelaradora de startups chega a Brasília para impulsionar negócios

Aceleradora de startups ACE chega a Brasília. Foto: Divulgação

ACE pretende capacitar e investir em empreendimentos da capital com inovação




Incerteza de mercado, falta de recursos financeiros e até ausência de conhecimentos técnicos. Essas falhas travam empreendedores que buscam a inovação tecnológica e, por isso, é preciso buscar ajuda. Uma empresa aceleradora de startups chega a Brasília neste mês e promete capacitar e investir em empreendimentos da capital. Para iniciar com o pé direito, nesta quinta-feira (23) há um evento gratuito de inauguração do escritório, em que serão debatidos marketing, vendas e investimento.

Há seis anos atuando como aceleradora, a Ace possui sedes em São Paulo, Curitiba, Goiânia e Rio de Janeiro. Nesse tempo, já foram mais de 200 empresas aceleradas. Uma delas é a brasiliense Bike Registrada – serviço de cadastro de bicicletas e ciclistas, que auxilia principalmente em casos de roubos. Das 200 startups, nove foram vendidas – são as chamadas “exits”.

Potencial

Aqui em Brasília, a impulsionadora de startups ficará no espaço The Brain de coworking, na Asa Norte. Para Pedro Waengertner, CEO da Ace, embora o mercado brasiliense ainda esteja voltado ao funcionalismo público, o Distrito Federal tem grande potencial para diversificar a prestação de serviços. “Já recebemos um volume grande de inscrições de empreendedores de Brasília. Mesmo longe, acompanhamos essa curva de crescimento na procura por projetos inovadores”, afirma.

“Estabelecer um posto da Ace em Brasília é criar um laço e interagir com empreendedores que não sabiam onde procurar uma aceleração. O mercado está desatento no sentido do empreendedorismo. Queremos encontrar talentos na capital e conectá-los com o Brasil inteiro”, completa Waengertner.Pedro Waengertner, CEO da Ace

Processo seletivo simples
O CEO da Ace garante que não é preciso haver muitas etapas burocráticas para participar da aceleração. A vontade de mudar é o grande impulsionador. “É um processo bem simples. A empresa tem que fazer a inscrição no site e nossa equipe vai avaliar aquele empreendimento. Se for aprovada, já entramos em contato e vamos começar nosso programa de aceleração”, explica.

Entre os requisitos para as inscrições está a exigência de que a empresa já tenha saído do papel. “O produto tem de estar rodando, não adianta ter só ideia. De preferência, que tenha clientes pagantes. Aí, entramos com nossa metodologia e, a depender do estágio, já desenvolvemos um contrato que vai envolver o nosso investimento”, aponta Waengertner.

O investimento da Ace pode ser em benefícios econômicos por meio de parceiros como Google, Ramper e RD Station, bem como o aporte de R$ 150 mil. “Esse valor pode vir do nosso próprio fundo e, ao final, nos tornaremos sócios e pegamos uma participação minoritária da empresa. Ou por meio de investidores parceiros”, conta.

Evento de inauguração
A inauguração oficial da operação brasiliense da ACE será feita no dia 23 de agosto, em um evento que contará com a presença de Pedro Waengertner, fundador e CEO da ACE e autor do livro “A Estratégia da Inovação Radical”. “Teremos palestras e apresentações para que empreendedores de startups locais e até integrantes de grandes corporações possam tirar suas dúvidas da nossa metodologia”, conclui o CEO da aceleradora.
No dia 24, Pedro Waengertner apresentará em evento fechado para empresários locais alguns dos principais conceitos utilizados para fazer com que empresas tradicionais se tornem mais inovadoras.

Programação do evento (23/08)
18h – Credenciamento e Networking
18h30 – Palestra sobre marketing e vendas, com Gabriel Ferreira
19h – Painel com Ítalo Nascimento e Startups ACE
19h45 – Panorama do investimento no Brasil, com Pedro Waengertner
20h15 – Como vai ser a ACE em Brasília, com Pedro Waengertner e Grupo Beiramar
Endereço: Casa Thomas Jefferson – Auditório (SEPS 706/906, Via W5 Sul – Asa Sul, Brasília – DF)

Fonte: Jornal de Brasilia

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.