Mudança no estilo de vida favorece resultado positivo no tratamento do câncer

Resultado de imagem para Mudança no estilo de vida favorece resultado positivo no tratamento do câncer
Acompanhamento nutricional e instituição de hábitos alimentares saudáveis fazem a diferença no processo de recuperação de pacientes com tumores malignos. 

De acordo com o documento “Estimativa 2018 – Incidência de Câncer no Brasil” – elaborado pelo Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) em parceria com o Ministério da Saúde (MS) –, estima-se que, no biênio 2018-2019, sejam diagnosticados cerca de 600 mil novos casos de câncer por ano no país (mais de 1 milhão de novos casos até o final do próximo ano). Entre os mais incidentes em todas as regiões brasileiras, estão os cânceres de próstata, pulmão, mama, intestino e reto. Considerando-se apenas o centro-oeste, entretanto, observa-se uma ocorrência maior de tumores de próstata, mama, pulmão, intestino, colo do útero e estômago. 

Em se tratando dos métodos utilizados para o tratamento de tumores, em que há grande chance de tratamento com quimioterápicos ou com doses de radiação, a manutenção de hábitos saudáveis – com alimentação equilibrada e prática regular de atividade física – são fundamentais para melhorar a qualidade de vida dos pacientes durante e após as intervenções clínicas. 

Segundo o oncologista Marcos França, responsável técnico do Hospital do Câncer Anchieta, os tratamentos oncológicos causam efeitos colaterais, que podem impactar de forma negativa na alimentação dos pacientes. Muitos deles, inclusive, apresentam perda de peso durante esse período. Sintomas como prisão de ventre, gases, dor de estômago e náuseas, por exemplo, podem ser minimizados com a ajuda de uma alimentação adequada. “Além disso, sabe-se que um paciente sem distúrbios nutricionais responde muito melhor ao tratamento oncológico do que alguém que se encontra desnutrido. Isso demonstra que um bom estado nutricional pode, sim, interferir de forma positiva no prognóstico do paciente”, ressalta. 

No entanto, não existem regras fixas quando se fala em hábitos alimentares. Cada paciente deve ser avaliado individualmente, de acordo com a sua bioquímica, para que a intervenção escolhida gere a melhora ou a manutenção de um bom estado nutricional, sem que essa mudança de padrão afete o aspecto emocional do enfermo. “O paciente oncológico precisa de um acompanhamento nutricional individualizado, focado nos seus sinais e sintomas e o mais importante: uma mudança no seu estilo de vida, de forma a se tornar mais saudável e sustentável por toda a vida. Uma alimentação saudável e individualizada pode fazer toda a diferença no tratamento desses pacientes, assim como ajudar na prevenção de um novo câncer”, destaca França. 

A relação entre a alimentação e o câncer vem sendo estudada há décadas. O relatório publicado pelo World Cancer Research Fund Internacional e o American Institute for Cancer Research (WCRF/AICR) em 2018 trouxe as principais recomendações para aqueles que desejam prevenir e tratar um câncer: 

- Tenha um peso saudável; 
- Seja fisicamente ativo; 
- Tenha uma dieta rica em fibras, vegetais, frutas e grãos; 
- Limite o consumo de fast-foods e outros alimentos processados, ricos em gorduras, amido e açúcares; 
- Limite o consumo de carne vermelha e carnes processadas; 
- Limite o consumo de açúcares e bebidas açucaradas; 
- Limite o consumo de álcool; 
- Não utilize suplementos de vitaminas e minerais para prevenção de câncer sem uma orientação profissional; 
- Para as mães: amamente seu bebê se você puder; 
- Depois do diagnóstico de câncer: seguir as recomendações acima se puder. 

Durante o tratamento de câncer também são necessários alguns cuidados com a higienização dos alimentos. Isso porque o sistema imunológico do paciente fica debilitado, deixando o organismo mais suscetível a infecções. “É imprescindível que se tenha atenção redobrada nesse período. Oriento sempre o paciente a lavar bem frutas e legumes, deixando-os de molho em solução clorada de 15 a 20 minutos, além de evitar o consumo de alimentos de procedência duvidosa, inclusive comidas cruas ou que não estejam bem cozidas”, finaliza França. 
Mais informações sobre sintomas, diagnósticos e tratamentos de câncer podem ser obtidas no site do Hospital do Câncer Anchieta: www.hcanchieta.com.br.

Por Rayane Bueno
Assessoria de Imprensa

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.