Paula Belmonte se destaca no processo de renovação política na eleição do DF

Vários nomes se apresentaram para participar dessa renovação. São pessoas que nunca militaram em partidos políticos e que enfrentam as urnas pela primeira vez. Entre esses nomes está o da empresária Paula Belmonte

A aversão à classe política é um fenômeno mundial. Eleições têm sido ganhas por candidatos que até recentemente não eram políticos e partidos recém-criados. A sociedade brasileira exige renovação política em todas as esferas.

Dos oito representantes do Distrito Federal na Câmara dos Deputados, quatro não concorrem à reeleição. Pode-se dizer que a renovação será no mínimo de 50%. Mas para essa renovação ser efetiva e concreta, é preciso que novos nomes sejam eleitos. Não adianta trocar seis por meia dúzia.

Vários nomes se apresentaram para participar dessa renovação. São pessoas que nunca militaram em partidos políticos e que enfrentam as urnas pela primeira vez. Entre esses nomes está o da empresária Paula Belmonte.

Além de nova na política, Paula pode contribuir para aumentar o número de representantes mulheres na Câmara dos Deputados.

O Distrito Federal pode dar exemplo ao país em termos de renovação. O número de deputados federais no Brasil tentando se reeleger deve ser recorde. Nove em cada dez deputados federais devem concorrer à reeleição por um simples motivo: manter o foro privilegiado para reduzir a probabilidade de que venham a ser presos por denúncias de corrupção.

O tempo de campanha será menor — só 45 dias —, tornando mais difícil para novos candidatos ficarem conhecidos, o que aumenta a importância da base eleitoral consolidada daqueles que já têm mandato.

Parlamentares concorrendo a novas eleições sempre tiveram muito mais poder de barganha nas negociações com os partidos por tempo de tevê, mas agora também têm acesso a mais recursos do fundo eleitoral criado por eles mesmos para financiar suas candidaturas.

Esses são alguns desafios que a sociedade enfrentará para renovar a classe política. E nomes como Paula Belmonte precisam ter as propostas conhecidas pela sociedade. São pessoas engajadas nessa renovação que podem fazer a diferença.

Paula Belmonte e Reguffe
Quando anunciou a intenção de participar das eleições, Paula Belmonte foi disputada por vários partidos. Recebeu convites, mas no final decidiu aceitar a recomendação do senador brasiliense José Antônio Reguffe para se filiar no PPS.

As propostas apresentadas por Paula foram elogiadas por Reguffe. Os dois possuem a mesma ideia de como fazer política, com seriedade, ética e honestidade. Representar o cidadão com o respeito que ele merece e ser realmente o seu representante, sem se envolver nas negociatas que infestam o Congresso Nacional.

Paula é casada com o advogado Luis Felipe Belmonte, que também foi convidado a entrar na política. Luis Felipe foi convidado para ser candidato a vice-governador de Alberto Fraga (DEM), mas como já havia um outro nome indicado, tomou a opção de ser primeiro suplente de senador de Izalci Lucas (PSDB).

Luis Felipe declarou que houve consenso na escolha do vice, e que ele faria tudo para harmonizar o grupo. “Tivemos uma conversa muito boa com o Fraga e disse a ele que para o bem do grupo, eu manteria minha posição e aceitaria o convite do Izalci para ser o primeiro suplente ao Senado, conforme configuração anteriormente definida”, enfatizou o advogado.

NBN Brasil

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.