Sindicato pede afastamento do secretário de Saúde do DF

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

O pedido acontece três dias após a UTI Pediátrica do Hospital Regional de Santa Maria ser fechada. Terceirizados estavam há nove meses sem receber salários

Após o fechamento da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) na última terça-feira (7), o Sindicato dos dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (Sindsaúde) apresentou um pedido de afastamento das funções do secretário de saúde do Distrito Federal, Humberto Fonseca, ao Tribunal de Contas (TCDF) na última sexta-feira (10).

Para os trabalhadores, o fechamento foi feito “sem aviso prévio ou planejamento”. Após o desmonte, crianças foram transferidas para outras unidades e para a enfermaria — mesmo sem ter alta. A empresa terceirizada responsável pela unidade (Intensicare) interrompeu as atividades por causa de atrasos sucessivos no pagamento de salários.

Em nota, a empresa afirma que “tal inércia, somada ao descaso demonstrado pela secretaria de saúde em relação aos profissionais que durante anos prestaram valioso serviço à população de Santa Maria, culminaram com o pedido de afastamento da equipe médica, que optou por não continuar trabalhando no HRSM devido à falta de garantias de segurança para os pacientes e de salvaguarda dos seus direitos trabalhistas”.Foto: Rayra Paiva Franco/Jornal de Brasília.

Sem salário

O pagamento dos salários estava suspenso há nove meses e, segundo o sindicato, o Governo do Distrito Federal foi avisado de que o atendimento seria suspenso, mas “não tomou nenhuma medida para solucionar o caso”. Em junho, a Saúde comunicou à Intensicare sua decisão em assumir os serviços médicos das UTIs do HRSM.

A empresa afirma, em comunicado oficial, que apresentou propostas e emitiu comunicados à pasta com o intuito de “realizar uma transição organizada e sem impactos para os pacientes”. No entanto, não obteve retorno para a maioria dos questionamentos e sugestões.

No documento apresentado ao TCDF, o sindicato considera que a saúde pública do DF está em “situação de abandono”. Pede, ainda, a intimação do secretário para dar explicações sobre o encerramento das atividades na UTI. A reivindicação é que a unidade seja reaberta imediatamente. “Até que seja melhor examinado e apresentado um plano de ação, a fim de não prejudicar o atendimento dos pacientes, assim como a suspensão das funções do secretário”, diz o texto.

Versão oficial
A secretaria de saúde afirma, em nota, que “as mudanças em andamento no Hospital Regional de Santa Maria fazem parte do plano de reestruturação dos leitos intensivos da rede”. Conforme a pasta, a UTI pediátrica do HRSM funcionará, por enquanto, como Unidade de Cuidados Intermediários (Ucin), com 15 leitos.

A Saúde garantiu que os pacientes com perfil crônico foram transferidos para leitos intensivos em outras unidades hospitalares, como o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) e o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), além da enfermaria de cuidados prolongados em pediatria do Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

O GDF, por sua vez, informou ao JBr. que “não vê qualquer razão para o afastamento do Secretário de Saúde, a não ser a motivação política do sindicato”.

Fonte: JBr.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.