Saiba como é o atendimento espiritual na casa de João de Deus, em Abadiânia

O Correio acompanhou o atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola, que foi mantido nesta quarta-feira mesmo sem a presença do médium, que deixou o local dizendo ter passado mal

 Otávio Augusto - Enviado especial

Visitantes aguardam atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Abadiânia (GO) — Apesar do tumulto após breve passagem do médium João de Deus, nesta quarta-feira (12/12), os atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola ocorrem normalmente, conduzidos por outros médiuns que atendem no local. O Correio acompanhou esse processo. 

Em grupo, as pessoas passam por um atendimento que ocorre em etapas, em diferentes recintos. No início, vestidos de branco, todos se enfileiram para entrar em um salão reservado, onde ocorre o que se chama de passe magnético, ou seja, uma troca de energia entre os consulentes e as entidades. 

Ali, os médiuns fazem orações e pedem "entrega". Segundo eles, é a fé de cada um que cura e traz benção. "Sua força, sua energia e seu merecimento trará o que você quer, o que você precisa", explicou um deles. 

Em cadeiras largas, algumas pessoas aparentam estar desacordadas, algumas com panos brancos cobrindo a cabeça. A disposição das cadeiras forma um corredor, por onde os visitantes passam. Ao fundo do recinto, muitas imagens de santos católicos e de anjos. Há também cristais por toda parte. As paredes são brancas e azuis, com muitos quadros e pinturas.

Ao fim desse primeiro trajeto, outro médium oferece um pequeno copo d’água. É o que eles chamam de "água fluidificada". O líquido, afirmam, foi abençoado pelas entidades. "Que Cristo esteja convosco", diz o religioso, ao entregar a água para o fiel.

A fila continua em direção a um terceiro espaço, ainda mais reservado. Bancos e macas estão por toda a parte. Alguns se deitam, outros sentam. Neste momento, pede-se que todos fechem os olhos. A prática seria uma espécie de "permissão" para as entidades trabalharem em cada um. 

"Elas sabem das suas necessidades, das suas carênciais. Elas estão aqui, nesta casa de fé, de amor e de respeito para ajudar a quem precisa. Basta acreditar, basta praticar, basta se entregar", prega o médium que conduz essa parte do trabalho. 

Banho de cristais 
Após alguns minutos em silêncio, uma nova prece é feita. O religioso convida para um banho de cristais. O "tratamento energético" é feito no prédio mais distante da Casa Dom Inácio de Loyola. 

Em salas restritas, um maca e muitas pedras. Com roupas de banho ou vestimentas normais, deita-se sobre os cristais. Médiuns deixam as gemas caírem pelo corpo. Esse processo dura certa de 15 minutos. 

Após o atendimento, os consulentes são levados para uma palestra, na qual uma médium explica o uso da água fluidificada e dos remédios vendidos no local. A água chega a custar R$ 26, dependendo do tamanho da garrafa. 

A água deve ser tomada em pequenos goles, em temperatura ambiente. Já os remédios, tratados como "pílulas energizantes", são adquiridos em três guichês de atendimento. A pessoa escreve o nome, a data de nascimento e o endereço completo em uma cédula, entrega o papel a um dos atendentes e recebe um pote com cerca de 40 comprimidos. 

A prescrição ocorre de duas formas: a entidade incorporada receita ou o atendente sente, "pela energia", de qual remédio cada pessoa precisa. Quem faz o uso não pode consumir pimenta de nenhum tipo e não deve ingerir bebidas alcoólicas. 

"É um processo de entrega. Quando você passa suas informações, você emana sua energia para o irmão.

Ver galeria . 8 Fotos(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press ) 

"Todos foram agraciados"

Antes do encerramento, uma explicação: "Acreditem, todos foram atendidos e receberam o que desejam dentro do seu merecimento. As entidades trabalharam normalmente, mesmo com o tumulto criado pelos repórteres. Todos receberam sua caridade", garante.

Ela ainda destaca a participação de João de Deus nesta quarta-feira (13/12). "Mesmo sendo uma passagem breve, ele trouxe sua luz. Se o atendimento tivesse ocorrido com ele incorporado, não seria muito diferente. Todos foram agraciados", garante. 

Por fim, as pessoas são convidadas a consumir uma sopa distribuída gratuitamente. O alimento também seria fluidificado, abençoado por entidades. A recomendação é que se frequente o templo durante os três dias de trabalho. 

"Não é para passar pela corrente novamente, mas sim para receber a energia do local. Este é um ponto de ligação com as entidades e você. Aqui, a prece, a oração, é ouvida tranquilamente", orienta a médium. 

Cirurgias suspensas
Nesta quarta-feira, não ocorreram cirurgias espirituais. De toda forma, o conceito foi explicado. Entre as recomendações está o repouso de 24 horas e o não uso de aparelhos eletroeletrônicos (celular, televisão e computador). Para ser "operado", é preciso preencher alguns requisitos, como idade e resistência física. 
Após o tratamento espiritual, o Correio procurou a assessoria de imprensa da Casa Dom Inacio de Loyola, que se recusou a falar sobre o assunto. Os trabalhos de atendimento retornam no início da tarde. "Precisamos de muita energia e força neste momento. Temos que nos doar para a casa e para o fortalecimento do médium João", destacava a voluntária que recebe as pessoas.

Fonte: CB

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.