Foto: Divulgação/internet

O inventário e o procedimento utilizado para que possa apurar os bens, dividas e direitos do falecido com o objetivo de realizar a partilha entre os seus herdeiros. 

Com o advento da lei 11.441/07 que permitiu a realização do inventário por intermédio de escritura pública (NO CARTÓRIO), pôde facilitar a realização do procedimento, que se tornou mais RÁPIDO, simples e seguro. 

Portanto o inventario realizado no cartório possui uma vantagem que é mais célere, podendo ser resolvido em um pequeno espaço de tempo. Todavia também possui desvantagens, pois em alguns casos pode se tornar mais dispendioso para as partes.

 • REQUISITOS PARA REALIZAÇÃO DE INVENTARIO EXTRAJUDICIAL

1. Todos os herdeiros devem ser obrigatoriamente maiores e capazes;
2. Todos os herdeiros devem estar de acordo com a partilha dos bens deixados pelo falecido;
3. O falecido não pode ter deixado testamento;
4. A presença de um advogado é obrigatória;

Em caso de não cumprimento dos requisitos acima elencados e necessário que a abertura do inventario ocorra perante um Juízo de direito. 

Obs. Caso os herdeiros já tenham entrado com o inventario judicial, é possível a desistência do processo para realizar o inventário por escritura pública.

O preço do inventário é de acordo com o patrimônio deixado pelo falecido. 

Portanto a abertura do inventário é necessária quando o falecido deixa bens, portanto se os herdeiros cumprem os requisitos e necessitam de celeridade para a realização é possível que o procedimento ocorra por escritura pública realizada em cartório.

MICHELE