A professora e artesã Danielle Silva Moura paga aluguel desde que saiu de casa, aos 21 anos. Hoje, aos 33 anos, com uma filha de três anos, faz contas para equilibrar as despesas, que incluem o valor do aluguel do apartamento de dois quartos em Samambaia, onde reside. Em breve, essa realidade vai ficar somente na lembrança.

“Agora que a casa própria não é mais somente um sonho, eu posso me organizar financeiramente e até juntar dinheiro, para quando for começar a amortização. Seria muito difícil pagar o aluguel e a prestação ao mesmo tempo”Danielle Moura , professora e artesã

Danielle é uma das 54 pessoas contempladas para adquirir a casa própria no programa Morar Bem da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF). A empresa assinou o contrato para construir 54 apartamentos do Residencial Lúcio Mauro, localizado na QN 305, conjunto 7, Lote 7, em Samambaia. O empreendimento será construído em parceria com a Associação Habitacional Nova Casa.

As unidades contam com sala, cozinha, banheiro e dois quartos, além de garagem e espaço gourmet. O financiamento será pela Caixa Econômica Federal (CEF). A previsão de entrega do empreendimento pela construtora DSM é de 18 a 24 meses.

Quem foi contemplado, como Danielle, já se inteirou de outras boas notícias, que vão valorizar ainda mais as unidades habitacionais. O empreendimento está localizado nas imediações do metrô, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e da Escola Classe nº 303. “Ele veio do jeitinho que eu pedi a Deus”, comemora a professora.

A celebração é extensiva a outras facilidades para os beneficiados pelo programa Morar Bem. Os contemplados somente vão começar a pagar as prestações de suas unidades – cerca de R$ 987,00 -, quando o empreendimento estiver pronto.

“Agora que a casa própria não é mais somente um sonho, eu posso me organizar financeiramente e até juntar dinheiro, para quando for começar a amortização. Seria muito difícil pagar o aluguel e a prestação ao mesmo tempo”, explica Danielle Moura.

A felicidade da professora Danielle é mesma de Lucimones Correia Barbosa, 51 anos, moradora do Riacho Fundo, onde desembolsa R$ 750,00 pelo aluguel de uma quitinete.

Inscrita na Codhab, há pelo menos duas décadas, Lucimones foi para o final da fila depois de recusar uma chance de adquirir uma unidade de um empreendimento nas imediações do Gama, por causa da distância para o seu trabalho. Agora é diferente. Trabalhando como vigilante na Esplanada dos Ministérios, Lucimones já começou a contagem regressiva para se instalar no imóvel próprio.

“Estou mesmo contando os dias para ter a minha casa. É uma conquista que muda completamente a vida da gente. O prédio vai ter até espaço gourmet e eu já fico pensando na inauguração, na família e amigos reunidos, e no tanto que preciso agradecer a Deus”Lucimones Barbosa, vigilante

“Estou mesmo contando os dias para ter a minha casa. É uma conquista que muda completamente a vida da gente. O prédio vai ter até espaço gourmet e eu já fico pensando na inauguração, na família e amigos reunidos, e no tanto que preciso agradecer a Deus”, explicou Lucimones.

Beneficiários

As famílias beneficiadas para adquirir uma unidade no Residencial Lúcio Mauro são da faixa de renda de até 12 salários mínimos e atendem aos demais requisitos estabelecidos na Lei nº 3.877/06, que dispõe sobre a política habitacional do DF. “É uma habitação que é classificada como de interesse social e que atende às famílias com renda média”, esclarece a diretora da Federação dos Inquilinos do DF, Rute Stéfane Costa.

A distribuição das unidades contempla 40% para a Associação Habitacional Nova Casa, 40% para famílias habilitadas na Codhab e 20% para os candidatos que não estão na lista, mas cumprem os critérios da Lei nº 3.877/06.

Para participar de programas habitacionais destinados a cooperativa ou associação, o cidadão deve ter maioridade ou ser emancipado na forma da lei, residir no DF nos últimos cinco anos, não ser proprietário (nem ter sido) promitente comprador ou cessionário de imóvel no DF, não ser beneficiado em outro programa habitacional no DF e possuir renda familiar de até doze salários mínimos.

O presidente da Codhab, Wellington Luiz de Souza Silva, explica que a empresa está fazendo todos os esforços para concretizar a casa própria para as famílias de baixa renda do DF. “Por determinação do governador Ibaneis, mais uma vez a Codhab chega às famílias para tornar realidade o sonho da casa própria. Esse novo empreendimento demonstra o respeito e compromisso que o nosso governo tem para com essas famílias, que já esperaram muito. Agora chegou o momento de realizar esse sonho”, disse Wellington.

(Agência Brasília)