Foto: Jadson Douglas/Divulgação

O grupo Transições Companhia de Artes e Danças desenvolve ritmos, como o “brasilidade”, pautado pelas manifestações populares nordestinas, observa o deputado Reginaldo Sardinha

Em comemoração ao Dia Internacional da Dança, a Câmara Legislativa vai debater, em audiência pública nesta sexta-feira (30) às 19h, a influência do grupo Transições Companhia de Artes e Danças, de Planaltina, na formação de artistas e para a cultura do DF. O evento remoto será transmitido ao vivo pela TV Web CLDF e pelo canal da Casa no Youtube, com participação pelo e-Democracia.

O autor da iniciativa, deputado Reginaldo Sardinha (Avante), considera que a dança, como forma de expressão artística, é fundamental para a cultura local. A história de Planaltina, berço do grupo Transições Companhia de Artes e Danças, é contada por meio de coreografias que mesclam danças urbanas, populares e clássicas. Dirigido pelo bailarino Leandro Lira, o grupo desenvolve ritmos, como o “brasilidade”, pautado pelas manifestações populares nordestinas, conforme explica o parlamentar.

Hibridismo artístico na dança

Considerada um marco cultural em Planaltina, a Transições Companhia de Artes e Danças foi fundada em 2012 com o propósito de conciliar o hibridismo artístico na linguagem da dança. Da bagagem artística, destaca-se “As faces de um povo centenário”, espetáculo exibido em 2016 e 2017, que expôs as histórias culturais de Planaltina, cidade onde o grupo atuou também na tradicional encenação da Via Sacra durante a Semana Santa. No DF, a Transições já fez apresentações em Samambaia, Ceilândia e Plano Piloto, além de outros estados, como Santa Catarina. Em reconhecimento pelo trabalho, a companhia recebeu moção de louvor da CLDF em 2018.

Franci Moraes – Agência CLDF