A obra “Lugar ao Sol”, de Elton Skartazini, foi criada em 2005 dando início ao projeto Monumentos para Samambaia | Fotos: Divulgação

Oito obras de arte vão passar por reparos. Serviços são realizados em parceria entre governo, artistas plásticos e empresários.

A 22 quilômetros do Plano Piloto – referência em monumentos tombados como Patrimônio Cultural da Humanidade – Samambaia também também tem sua galeria de arte a céu aberto. Para valorizar as estruturas que contam a história da cidade, a administração regional vai reformar oito obras de arte – em parceria com artistas plásticos e empresários. Criadas a partir de 2005 (com exceção da construção “Casinhas de Boneca”, dos anos de 1960), elas vão passar por uma série de reparos.

As estruturas fazem parte do projeto Monumentos para Samambaia – criado em 2005 pelo mestre em educação, Clayton Braga, e o artista plástico e pioneiro da cidade, Elton Skartazini.

Autor do primeiro monumento, Lugar ao Sol – localizado no balão da Avenida Central – , Skartazini explica que a obra de arte é composta por três casas coloridas: amarelo, azul e vermelho. As residências homenageiam a população recém-chegada em Samambaia.

“A ideia era dar um presente de aniversário de 16 anos para a cidade. Quase que a cada ano, fazíamos um monumento. Cada um deles tem um significado para Samambaia”, lembra o artista plástico. “Como eu ainda não tinha muita experiência, utilizei materiais que não eram tão resistentes. Agora estamos usando materiais que vão durar 200 anos”, garante o artista plástico.

Para Elton Skartazini, além do GDF prestigiar um projeto cultural da cidade, a reforma também motiva outros artistas da cidade. “O governo local está reconhecendo a importância dessas obras, que são públicas, da comunidade. Nossa intenção também é incentivar aqueles que têm vontade de criar novos monumentos”, adianta.

Identidade

O professor Clayton Braga destaca que as estruturas passaram a ser a identidade da cidade. “A reforma incentiva os moradores a conhecerem a história do lugar onde moram. Os monumentos precisam e merecem essas reformas depois de tantos anos”, ressalta.

“Cada canto da cidade conta uma história. Desde pequeno acompanhei o desenvolvimento de Samambaia e esses monumentos são motivo de orgulho para os moradores”, destaca o administrador da região, Gustavo Aires. “Reformar essas estruturas é uma forma de honrar essas memórias”, completa.

As “Casinhas de Boneca” foram criadas na década de 1960 e incorporadas ao projeto Monumento para Samambaia

Conheça os monumentos de Samambaia:

– Lugar ao sol, 2005: localizado no balão da segunda Avenida Norte e Central, é uma homenagem à população recém-chegada na cidade;
– Luz do Saber, 2007: localizado no balão da primeira Avenida Norte e Central, representa a importância do conhecimento;
– Transparência, 2009: localizado no balão da segunda Avenida Sul e Central, faz referência ao fórum de Samambaia.
– Encontro, 2010: localizado no balão da primeira Avenida Sul e Central, tem esse nome por estar no centro urbano da cidade;
– Figuras do Agreste, 2021: localizado na Avenida Leste, próximo ao viaduto do Recanto das Emas, é uma parceria com o artista plástico Ramon Rocha. O monumento faz referência às pessoas que vieram do nordeste;
– Três Meninas, 2005: localizado no balão da Avenida Leste e Norte, em frente ao Hospital Regional de Samambaia, a obra de arte é do artista Lia Samara e faz referência à obra Casinha de Bonecas;
– Asas da Imaginação, 2006: localizado na entrada da expansão da região, a estrutura foi feita pelo artista Lia Samara e é uma forma das pessoas refletirem por meio da imaginação e
– Casinhas de Boneca, 2011: localizado no Parque Três Meninas, é uma homenagem que o pioneiro Inezil Penna Marinho fez às suas filhas ao dar o nome de Três Meninas ao local.