Letícia Alves Madalena, 12 anos, sonha em ser psicóloga. Enquanto pensa no projeto com paixão, a menina busca doses de esperança, com o pensamento de não desistir ao que tanto almeja. Sem poder ir para a escola, por causa da pandemia da covid-19, a adolescente divide o aparelho celular, diariamente, com uma prima para fazer as aulas online.Inauguração do Wi-Fi Social no Recanto das Emas faz parte de um projeto amplo da Secti para promover a inclusão digital e social no DF | Fotos: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Serviço gratuito vai ajudar mais de 200 famílias que vivem em condições de vulnerabilidade. Já são 57 pontos similares em todo o DF.
Agência Brasília

Nesta sexta-feira (25), Letícia comemorou a chegada da internet gratuita à comunidade da Quadra 406, do Recanto das Emas. Aluna da sétima série do Centro de Ensino Fundamental 405, a garota explica que precisa de acesso à rede digital para fazer as aulas, mas não pode pagar por esse serviço. “Assim fica mais fácil para estudar. Internet grátis é bom demais, porque a minha mãe está desempregada e não dá para pagar celular”, enfatiza a menina.

A chegada do projeto Wi-Fi Social à quadra 406 do Recanto das Emas vai beneficiar 200 famílias da região, pessoas em situação de vulnerabilidade e carência material. O banner e os adesivos com os dizeres “Aqui temos internet de graça para todos” já estão espalhados pela quadra.
“Queremos fazer de Brasília uma cidade inteligente. A nossa intenção é que a inclusão digital chegue a 10 mil famílias do DF”Gilvan Máximo, secretário de Ciência,Tecnologia e Inovação

“Agora cada um pode usar seu celular, sem se preocupar. Não dá nem para contar o número de vezes que as pessoas aparecem na minha casa só para me perguntar se tenho crédito para elas fazerem uma ligação”, confessa a moradora Maria de Fátima Borges dos Santos, 50 anos, 19 deles residindo no Recanto das Emas.

A diarista Vaneide de Moura, 53 anos, espera que, com o sinal gratuito, possa ajudar mais à neta, Camilly, de 11 anos. “Ela está na quinta série e eu é que empresto o meu celular todo dia para ela estudar, pois não dá ainda para ter um aparelho só para ela”, conta.

Já a dona de casa Jaqueline Antunes de Souza, 39 anos, destaca a utilidade do sinal gratuito na informação sobre a covid-19: “É maravilhoso demais a internet grátis. A gente aqui não tem condições de pagar internet. Vai ser bom para os estudos e para buscarmos informações sobre a covid-19. Todo mundo tem que saber sobre essa doença terrível”.


Maria de Fátima, Borges, moradora do Recanto das Emas, comemora: “Agora cada um pode usar seu celular, sem se preocupar”

Inclusão digital

Para o administrador do Recanto das Emas, Carlos Dalvan Soares de Oliveira, é uma grande conquista a implantação de internet grátis nessa comunidade de renda tão baixa e carente. “É importante para que as pessoas possam buscar um trabalho e para que as crianças acessem as plataformas de suas escolas”, disse.

A inauguração do Wi-Fi Social no Recanto das Emas faz parte de um projeto amplo da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti) para promover a inclusão digital e social da população do Distrito Federal. Lançado em 2019, o projeto já instalou 57 pontos de internet gratuita no DF e contabiliza 70 milhões de acesso, aproximadamente.

“Essa é mais uma realização do governo Ibaneis Rocha, no sentido de democratizar a internet em todo o DF. Queremos fazer de Brasília uma cidade inteligente. A nossa intenção é que a inclusão digital chegue a 10 mil famílias do DF”, explicou o secretário de Ciência,Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo.