Equipe da unidade de Ceilândia comemorou a vitória contra a covid na tarde desta terça-feira (6)

Agência Brasília

Já são 500 histórias de superação e vitória sobre o novo coronavírus celebradas nos hospitais de campanha do Autódromo, Gama e Ceilândia (Escola Parque Anísio Teixeira). A de número 500 ocorreu na tarde desta terça-feira (6), em Ceilândia, quando Sthefane Costa Almeida, de 27 anos, pôde reencontrar a família e voltar ao aconchego do lar. A saída foi marcada pela comemoração dos familiares e da equipe do hospital e pela emoção da paciente.Emoção dos dois lados: paciente e profissionais celebram o resultado positivo do tratamento | Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Balões soltos ao céu e chuva de papel picado celebraram o momento. “Eu me curei da covid graças ao excelente atendimento que recebi aqui. Todos os profissionais que estavam ali fizeram todo o possível por mim e por quem está internado. Os dias longe de casa foram difíceis, principalmente por conta da minha filha, mas eu consegui e venci”, relata Sthefane.

O médico Bruno Graciano, que atua na Unidade de Cuidados Intermediários e cuida dos pacientes mais graves, explica que recebeu a paciente depois que ela teve uma crise de ansiedade e precisou ser intubada para conforto respiratório. Ele relata que a evolução da paciente foi considerada boa ao passar das horas.

“Sou muito grato a Deus e a toda equipe por poder devolvê-la à família com vida, por poder ter feito parte desse processo. São momentos iguais a este, com muito amor, com muita alegria, com muitas lágrimas de felicidade, ver o abraço fraternal de mãe e de filha, que nos movem”, declara.


Atendimento prestado nos três hospitais de campanha do Distrito Federal é multidisciplinar

Internação

Sthefane deu entrada inicialmente no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), no dia 14 de junho, dez dias após perceber os primeiros sintomas. Ao ser acolhida no HRC, fez o teste de RT-PCR e o resultado deu positivo para covid-19. Ela então foi direcionada pela regulação para o Hospital de Campanha da cidade, onde permaneceu internada até a tarde desta terça-feira.

O quadro geral era considerado grave, pois estava com quase 80% dos pulmões comprometidos. Foi preciso intubar a paciente por duas vezes, sendo que na primeira vez, quando Sthefane chegou ao quadro mais crítico, a saturação chegou a 82%, quando o normal é 98%.

Internada no Hospital de Campanha, a paciente seguiu com o tratamento definido pela equipe multiprofissional e se recuperou no decorrer dos dias.

Atendimento multidisciplinar

Os hospitais de campanha do Autódromo, Gama e Ceilândia (Escola Parque Anísio Teixeira) somam, até a data de hoje, 1.007 atendimentos contra a covid-19. No total já foram 506 altas.

Os atendimentos abrangem as seguintes frentes: odontologia, fisioterapia, terapias ocupacional e psicossocial, nutrição e fonoaudiologia. A taxa de ocupação dos leitos, nesta terça-feira, está em 41%.

*Com informações da Secretaria de Saúde