Na abertura, o governador em exercício, Paco Britto, foi recepcionado pelos organizadores do evento e conferiu a feira ao lado do secretário de Desenvolvimento Econômico, Márcio Faria Júnior (E) | Fotos: Vinicius de Melo/ Agência Brasília

Estande da Secretaria de Desenvolvimento Econômico no evento atende empresários do segmento com orientações sobre abertura e formalização de negócios

Foi dada a largada para o maior evento de beleza do Centro-Oeste no Estádio Mané Garrincha — a 11ª edição da Hair Brasília. Pelo menos 120 expositores, representando mais de 600 marcas de cosméticos, estão trazendo novidades e experiências do segmento para os visitantes, deste domingo (31) até terça (2).

Presente à abertura oficial da feira, o governador em exercício, Paco Britto, foi recepcionado pelos organizadores, Érika Lobo e Walteni Souza, que agradeceram o apoio do Governo do Distrito Federal (GDF) ao segmento. Para Paco, esta edição “é importante não só no mercado formal, mas no informal também.”

“Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e no DF. Estamos aqui não só apoiando, mas sendo o elo entre o setor produtivo e o governo” Márcio Faria Júnior, secretário de Desenvolvimento Econômico

“Uma grande quantidade (dos profissionais da beleza), ou quase meio a meio, fica no mercado informal da beleza”, lembrou. “Nós temos que ter um olhar especial para essas pessoas, que não se iludiram, mas acreditaram no GDF”, continuou, referindo-se à pandemia.

Na ocasião, Paco Britto anunciou que, em breve, haverá novidades no setor. “Sob orientação do nosso maestro Ibaneis Rocha, teremos grandes novidades para este segmento, com incentivos para trazer esse pessoal da clandestinidade, que está à margem, para dentro da sociedade brasiliense, mas trabalhando, gerando emprego e impostos para o Distrito Federal. Em breve, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) fará o anúncio”, completou.

A SDE está participando da feira com um estande, orientando empreendedores. “Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e no DF. Estamos aqui não só apoiando, mas sendo o elo entre o setor produtivo e o governo”, disse o secretário da pasta, Márcio Faria Júnior, na abertura oficial do evento.

R$ 1,2 bilhão é quanto o setor de beleza movimenta no DF anualmente.


São 14 órgãos integrados, segundo o secretário, para atender os participantes. “Estamos dando todas as orientações, desde a abertura de uma empresa até àqueles que querem vir para a formalização”, complementa.

Durante a abertura, o secretário recebeu do Movimento Beleza DF, formado por sindicatos do segmento, o Manual da Biossegurança para estabelecimentos do setor de beleza. A ideia é discutir com o governo a situação sanitária e políticas públicas para os profissionais.

O comércio depois da pandemia

Após um ano turbulento devido à pandemia da covid-19, o setor de beleza começa a respirar aliviado com a retomada da economia. Este foi um dos segmentos que mais sentiu com as medidas necessárias para conter o avanço do coronavírus.


Durante a visita, Paco Britto anunciou: “Sob orientação do nosso maestro Ibaneis Rocha, teremos grandes novidades para este segmento”

Segundo pesquisa feita em julho de 2021 pelo Sindicato das Empresas do Comércio Varejista de Cosméticos, Produtos de Perfumaria e Higiene Pessoal (Sindibele), estima-se que o DF possuía mais de 13 mil estabelecimentos. Este mesmo estudo aponta que cerca de 25% tiveram que fechar as portas durante o período de lockdown.

Segundo pesquisas internacionais, o Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo. Só no DF, o setor movimenta R$ 1,2 bilhão anualmente.

“Esses profissionais prometem aquecer novamente este setor tão importante para a economia do DF. Queremos proporcionar, além da apresentação de produtos, boas possibilidades de novas técnicas e tecnologias aos profissionais da beleza”, ressalta a diretora da Hair Brasília and Beauty, Erika Lobo.

Na última edição, segundo a organização, mais de 60 mil pessoas participaram do evento. Neste ano, a meta é atingir esse mesmo patamar de presença.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF