Segundo o Sindicato do Comércio Varejista, as festas de fim de ano movimentará R$ 670 milhões nas lojas do DF
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A expectativa é enorme para o comércio brasiliense neste final de dezembro. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista), mais de 7 bilhões de reais serão injetados na economia do Distrito Federal até o próximo dia 20 de dezembro, graças ao pagamento do 13° salário para mais de 1,5 milhões de brasilienses.

O valor médio do 13° salário pago no Distrito Federal é de R$ 4.541, sendo um dos maiores no país. Os brasilienses geralmente aproveitam o dinheiro adicional para realizar compras no comércio das cidades. A expectativa do Sindivarejista é que R$ 670 milhões sejam colocados na economia local durante as festas de fim de ano.

Graças ao benefício, grande parcela do comércio brasiliense está otimista. A esperança é que as vendas cresçam entre 12% e 14% neste feriado natalino. Os setores que mais irão lucrar neste final de mês são os de confecções, calçados, brinquedos e objetos para o lar.

De acordo com o Sindicato, as lojas não abrirão no feriado de Natal, mas funcionarão normalmente no dia 24 de dezembro, véspera da comemoração natalina.

No Natal do ano passado, os efeitos da pandemia de covid-19 fizeram com que os faturamentos caíssem, gerando também novos índices de desemprego. Nas festas de fim de ano de 2020, a economia local faturou R$ 190 milhões, já a expectativa deste ano, é de um lucro quatro vezes maior.

Agora, com o grande avanço da campanha de vacinação, os brasilienses se sentem mais confortáveis para ir até às lojas durante este final de ano. “O avanço da vacinação contra a covid-19 mudou para melhor o cenário da economia e deixou o comércio otimista”, explica o Sindicato.

Segundo Sebastião Abritta, vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista), o gasto médio dos brasilienses neste Natal deve ficar em torno de R$ 230. “Muita gente usará parte do abono natalino — o 13° salário — para pagar dívidas, mas quase todos vão presentear”, afirma.

Comércio de vestuários deve ter grandes lucros neste final de ano:

Os brasilienses devem ir para as lojas comprar roupas novas para passar o Natal e o Réveillon. Por isso, o comércio de confecções e de calçados deve ser uns dos setores que mais irão obter faturamento durante as festas de fim de ano.

Para Cristiane Moura, dona da rede de boutiques “2 Tempos”, os presentes que maiz serão comprados neste Natal serão as peças de vestuário e os de calçados, produtos vendidos pelos seus empreendimentos. “Objetos para o lar, além de eletrônicos, também vão entrar nessa brincadeira dos presentes”, afirma a empresária.

Cristiane diz que os efeitos do pagamento do 13° salário para os trabalhadores e a proximidade das festas de fim de ano já está sendo uma realidade nas suas lojas: “Já estamos sentindo o crescimento de clientes dentro das lojas, e eu acredito que de hoje até o dia 24, isso só vai se intensificar”.

Fonte: Jornal de Brasília