Pesquisa do Unicef aponta que 82% das crianças do Brasil temem a violência

A violência, o terrorismo e a pobreza são os assuntos que mais preocupam as crianças no mundo. No Brasil, 82% das crianças temem principalmente a violência – é o país em que essa preocupação atingiu o índice mais alto.

Maior preocupação das crianças brasileiras é com a violência – Fernando Frazão / Arquivo / Agência Brasil

A informação foi divulgada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) , que realizou pesquisa em 14 países para marcar o Dia Mundial das Crianças, lembrado hoje (20). Foram ouvidos 11 mil crianças e adolescentes de 9 a 18 anos na África do Sul, Brasil, Egito, Estados Unidos, Holanda, Índia, Japão, Malásia, México, Nigéria, Nova Zelândia, Quênia, Reino Unido e Turquia.

Na preocupação com a violência, o Brasil é seguido pelo México e pela Nigéria, onde o índice supera os 70%. Já no Japão, apenas 23% das crianças pensam na violência da mesma forma. Outros temas que angustiam as crianças são a educação de baixa qualidade (principalmente no Brasil e na Nigéria) e o terrorismo (com destaque para Egito e Turquia).


Em todo o mundo, metade das crianças se sentem marginalizadas em relação às decisões que as afetam e dizem que não são ouvidas: 45% delas não confiam que os líderes mundiais possam tomar boas decisões em seu nome. No Brasil, o pior caso, este índice sobe para 81%.

O tratamento injusto de refugiados é outra inquietação, que atinge 40% das crianças no México, no Brasil e na Turquia.
Crianças no controle

Para marcar o Dia Mundial da Criança, 130 países realizam ações em que as crianças e adolescentes assumem o controle de importantes instituições. A iniciativa, batizada de #CriançasNoControle, tem ações em oito capitais brasileiras.

“É o dia que marca a importância de se dar voz a meninos e meninas e garantir que eles sejam protagonistas nas decisões que afetam a sua vida”, afirmou Florence Bauer, representante do Unicef no Brasil.

Em São Luís, os adolescentes Thiago Emanuel Leite Cutrim e Kimberly Saori Marques Viegas tornaram-se o prefeito e a vice-prefeita crianças. Os alunos do 6º ano da Unidade de Educação Básica Maria Rocha foram eleitos após apresentar um projeto de reciclagem na escola.

Eles foram diplomados pelo Tribunal Regional Eleitoral maranhense e tomaram posse na Câmara Municipal. O prefeito criança eleito, Thiago Cutrim, reafirmou o compromisso de desenvolver ações de sustentabilidade. “Temos que fazer o local em que vivemos mais agradável”, declarou.

No evento, 12 adolescentes apresentaram suas propostas e expectativas para as autoridades presentes. Na ocasião, a prefeitura de São Luís aderiu à iniciativa de Busca Ativa Escolar, que localiza crianças e adolescentes fora da escola e os leva de volta à sala de aula.

No Rio de Janeiro, adolescentes serão os protagonistas, amanhã (21), no Ministério Público Estadual. Uma estudante assumirá o lugar do procurador-geral na abertura da reunião solene do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça do Rio de Janeiro e outros dois menores farão discursos no evento. Eles também serão recebidos pelo secretário estadual de Segurança Pública, Roberto Sá, e pelo secretário municipal de Educação, César Benjamin.

Câmara Legislativa comemora Dia Internacional do Judô

Homenagem proposta por Agaciel Maia

Por iniciativa do deputado Agaciel Maia (PR), a Câmara Legislativa realiza nesta segunda-feira (20), às 19h, no Plenário da Casa, sessão solene em comemoração ao Dia Internacional do Judô. A solenidade contará com a participação de parlamentares, autoridades, professores, alunos, empresários e admiradores das artes marciais.

Agaciel Maia destaca que o judô – arte marcial de origem japonesa - possui grande importância como ferramenta educacional que ensina as pessoas a viver em harmonia e com respeito ao próximo. Em razão disso, a Câmara Legislativa, segundo o parlamentar, não poderia deixar de destacar a importância do esporte e prestar uma "justa e sincera homenagem" aos judocas de todo o país.

O deputado lembra que a Federação Internacional de Judô (IJF) instituiu o dia 28 de outubro para celebrar o Dia Mundial do Judô. A data não foi escolhida por acaso, pois foi neste dia que nasceu o criador do judô, o mestre japonês Jigoro Kano. "O objetivo de ter uma data específica para comemorar o judô se deu em função da necessidade de lembrar os mais importantes princípios e ensinamentos do chamado ‘caminho suave', o maior legado de Jigoro Kano", acrescentou.

Valores – Agaciel Maia observa que o judô é uma arte marcial que foi compilada não para ser simplesmente uma arte de guerra ou um esporte competitivo. "O judô é baseado também em conceitos e valores morais que não se encontram apenas na teoria, mas que é colocado em prática em cada instante do treino de um judoca", diz.

O judô é um esporte saudável que pode ser praticado por crianças, jovens e adultos de ambos os sexos, proporcionando-lhes um melhor equilíbrio psicológico. Por meio da prática do judô consegue-se o aprimoramento técnico, físico e espiritual, uma vez que esse esporte tem como meta não apenas aperfeiçoar as técnicas para ser imbatível nos campeonatos. Ele envolve, principalmente a formação espiritual do praticante, tornando-o apto a enfrentar todos os obstáculos da vida de forma honesta e sempre leal.

"O treinamento do judô é árduo como as dificuldades que enfrentamos no nosso dia-a-dia. Portanto, o bem-estar dos praticantes é gratificante e compensador, levando-os ao aperfeiçoamento, não só físico, mas também mental e espiritual. Esta é a essência da disciplina do judô, que realça a verdadeira beleza e valoriza essa arte também como educação", finalizou Agaciel.

História - O judô se originou como uma espécie menos agressiva do jiu-jitsu. O seu criador foi o japonês Jigoro Kano que, em 1882, após pesquisar por diversos estilos de artes marcais, desenvolveu uma técnica de golpes onde o ponto chave era a inteligência acima da força física.

Na tradução literal do japonês, judô significa "caminho suave" ou "caminho da suavidade".A filosofia do judô está baseada nos três princípios que inspiraram Jigoro Kano: Princípio da Máxima Eficiência (Seiryoku Zen'Yo); Princípio da Prosperidade e Benefícios Mútuos (Jita Kyoei); e Princípio da Suavidade (Ju). Em 1972, após 90 anos da sua criação, o Judô passa a ser oficialmente integrado na lista dos esportes olímpicos.

O judô teria surgido no Brasil no começo do século XX, por volta de 1910 a 1920, por influência do aumento no número de imigrantes japoneses no país. No entanto, apenas em 1954 foi registrado o primeiro Campeonato Brasileiro de Judô. Em 1969 foi criada a Confederação Brasileira de Judô, visto que até então esse esporte era regido pela Confederação Brasileira de Pugilismo.

CLDF

Número de pessoas com planos de saúde no Brasil cresceu em outubro

Segundo a ANS, planos odontológicos também ganharam mais usuáriosValter CampanatoArquivo/Agência Brasil

O número de pessoas com planos de saúde no Brasil cresceu em outubro, atingindo 47.399.495 de usuários. Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), houve aumento de 84,09 mil beneficiários em relação a setembro.

Os dados mostram que os planos odontológicos também aumentaram em outubro, um acréscimo de 129,06 usuários em relação ao mês anterior, chegando a mais de 22,9 milhões de clientes.

O levantamento da ANS mostrou também que, em comparação com outubro do ano passado, 13 estados registraram aumento do número de beneficiários em planos de assistência médica: Acre, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

O Ceará foi o estado que registrou o maior crescimento, com 40,29 mil pessoas com planos de saúde. Em segundo lugar, está o Amazonas e, em terceiro, o Distrito Federal.

O estado com o maior número de beneficiários ainda é São Paulo, com 17,3 milhões de usuários, seguido do Rio de Janeiro, com 5,4 milhões, e de Minas Gerais, com 5 milhões.

Entrega do Buritizinho está prevista para dezembro

Obras no setor habitacional estão com 89% da drenagem e 85% da pavimentação executadas. Intervenções custaram quase R$ 7 milhões a menos do que o orçado inicialmente e vão beneficiar cerca de 8 mil pessoas.

O Setor Habitacional Buritizinho, em Sobradinho II, tem entrega prevista para dezembro. São cerca de 8 mil pessoas beneficiadas em um dos principais conjuntos de obras de infraestrutura do governo de Brasília. O sistema de drenagem está 89,6% executado, e a pavimentação, 85%.Obras no setor habitacional Buritizinho, em Sobradinho II, estão com 89% da drenagem e 85% da pavimentação executadas. Intervenções custaram quase R$ 7 milhões a menos do que o orçado inicialmente e vão beneficiar cerca de 8 mil pessoas. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

As intervenções ocupam uma área de 90 hectares (cerca de 83 campos de futebol). Elas incluem duas lagoas de retenção, 8 quilômetros (km) de redes para captação de águas pluviais, 51,5 km de calçadas, 22 km de meios-fios e 11 km de ruas, em fase final de pavimentação.

“As obras facilitam coleta de lixo, circulação de transportes público e escolar, fluxo de ambulâncias e policiamento. É mais saúde, mais segurança e pré-requisito para a regularização fundiária”, diz o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Antônio Coimbra.

Além das melhorias para os moradores, foram criados aproximadamente 150 empregos diretos e 300 indiretos.

O investimento é de cerca de R$ 30,44 milhões, menor do que o inicialmente orçado (R$ 37 milhões). Os recursos são provenientes da Caixa Econômica Federal, via Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC Pavimentação e Qualificação de Vias), com contrapartida do governo de Brasília.

“O Buritizinho melhorou bastante nos últimos meses. Agora vejo as obras terminando e percebo que a infraestrutura é outra. Só é necessário ter fiscalização para não jogarem lixo aqui [nas lagoas de retenção]”, disse o pedreiro Francisco Pereira, de 58 anos, morador da região há 25.
Como estão os sete lotes das obras do Setor Habitacional Buritizinho

O Setor Buritizinho está dividido em cinco quadras residenciais (de 1 a 5), mas para fins de execução das obras, a área foi fracionada em sete lotes.
Lote O que engloba Andamento das obras
1 Quadra 1 e os Conjuntos E, F, G, H e I da Quadra 2 98% da drenagem e 80% da pavimentação foram executados
2 Conjuntos A, B, C, D e J da Quadra 2; os Conjuntos A, B, D, F, H, J, L e N da Quadra 3; e a Praça Murici Drenagem, pavimentação e instalação de passeios estão concluídas
3 Conjuntos A, C, E, G, I, K e M da Quadra 3; as Praças Buritis e Ipê; e os Conjuntos A, B, D, F, H, J e L da Quadra 4 Drenagem, pavimentação e instalação de passeios estão concluídas
4 Conjuntos A, C, E, G, I, K e M da Quadra 4; e os Conjuntos A e EC da Quadra 5 A drenagem está pronta, e a pavimentação, 99% executada
5 Parque Ecológico Canela de Ema Foram executadas as Bacias 1A e 1B, e a drenagem está em 98%
6 Parque Ecológico Canela de Ema Está em curso a obra da Bacia 2A, com a drenagem a 80%
7 Parque Ecológico Canela de Ema Foi construída a Bacia 2B, com 85% da drenagem

Governador destaca fomento à economia em encontro com empresários do DF

Em reunião de grupo com cerca de 250 representantes do setor produtivo, na noite dessa segunda (20), Rollemberg citou iniciativas como o Simplifica PJ e a sanção da lei que convalida incentivos fiscais.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou, na noite dessa segunda-feira (20), de encontro com cerca de 250 empresários do setor produtivo do Distrito Federal. Além dos empreendedores, a reunião, em um restaurante do Setor de Clubes Sul, contou com a presença do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Ao falar para os anfitriões, Rollemberg citou ações do Executivo local que fomentam a economia da cidade, como o Simplifica PJ, espaço que reúne serviços para facilitar a abertura e regularização de empresas, e a sanção da Lei Complementar nº 160, que torna o DF mais atraente para a indústria.O governador Rollemberg participou de encontro nessa segunda-feira (20) com cerca de 250 empresários. Reunião contou com a presença do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

“Quero manifestar o respeito, o apreço e a admiração pelos empresários que acreditaram em Brasília. Com o seu esforço e a crença no futuro, constroem uma cidade e um País melhores.”

O ministro Meirelles destacou a importância dos empresários para as finanças brasileiras diante de crises econômicas.

“Eles incentivam a economia com produção e com serviços, além de criar empregos.”

Do governo de Brasília, também participaram do encontro os secretários de Economia, Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia, Antônio Valdir Oliveira Filho, e de Relações Institucionais e Sociais, Igor Tokarski.

Nota Legal sorteia 12,6 mil prêmios que somam R$ 3 milhões

Valores variam de R$ 100 a R$ 500 mil. O governador Rodrigo Rollemberg participou do sorteio eletrônico na sede da Secretaria de Fazenda nesta segunda-feira (20).

O Nota Legal sorteou, na tarde desta segunda-feira (20), 12,6 mil bilhetes do programa. Os prêmios somaram R$ 3 milhões, distribuídos entre os consumidores que indicaram o CPF em compras de 1º de novembro do ano passado a 30 de abril de 2017.O governador Rodrigo Rollemberg fez o sorteio eletrônico do Nota Legal na sede da Secretaria de Fazenda do DF, na tarde desta segunda-feira (20). Foto: Tony Winston/Agência Brasilia

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou do sorteio eletrônico, feito por aplicativo na sede da Secretaria de Fazenda do DF, às 15 horas.

Para o sorteio, as notas fiscais eletrônicas tiveram o mesmo peso, independentemente do valor. Ou seja, quem fez uma compra de R$ 5 teve as mesmas chances de quem comprou algo no valor de R$ 5 mil.

“[Pelo resgate de crédito], mais se beneficia com o Nota Legal quem ganha mais e, portanto, gasta mais. Agora, temos o estímulo, porque quem faz uma compra de R$ 1, de R$ 10 pode ganhar o maior prêmio do sorteio”, ressaltou o chefe do Executivo.

O maior prêmio de hoje, de R$ 500 mil, foi para uma compra feita no Aeroporto de Brasília no valor de R$ 25.

O segundo e o terceiro sorteados ganharam R$ 200 mil. Do quarto ao sexto, foram R$ 100 mil. Do sétimo ao décimo, cada um recebeu R$ 50 mil (veja abaixo lista com todos os valores dos prêmios).
Sorteio do Nota Legal será feito a cada semestre no DF

Um novo sorteio de prêmios do programa está previsto para o próximo semestre, entre março e maio de 2018. O valor total será o mesmo, R$ 3 milhões. Para a disputa, serão considerados os comprovantes lançados de 1º de maio a 31 de outubro de 2017.
Todas as notas fiscais eletrônicas emitidas com o CPF valem para o sorteio, mesmo que o estabelecimento não participe da modalidade de resgate de créditos, como postos de combustíveis

Segundo o secretário de Fazenda do DF, Wilson José de Paula, haverá um sorteio por semestre. A iniciativa, além de tornar o programa mais justo, visa estimular o consumidor a pedir o CPF na nota fiscal independentemente do valor. “É um processo de educação fiscal. Convocamos a sociedade a ajudar o Estado na fiscalização.”

Uma novidade na modalidade sorteio é que todas as notas fiscais eletrônicas emitidas com o CPF do consumidor valem para concorrer, mesmo que o estabelecimento não participe da modalidade de resgate de créditos, como postos de combustíveis.

“Pedir a nota é um exercício de cidadania fiscal. A empresa que emite a nota fiscal se vê obrigada a declarar o faturamento, recolher os impostos, e isso reverte para toda população”, destacou o coordenador de Cadastro e Lançamentos Tributários da pasta, Márcio Silva Gonçalves.
Sorteados serão avisados na área restrita do portal Nota Legal

Os premiados, segundo a secretaria, serão avisados individualmente do resultado por meio da área restrita do programa. Eles terão 180 dias para indicar uma conta-corrente ou poupança, a contar de 5 de dezembro, quando os bilhetes premiados serão publicados. Ou seja, a indicação da conta deverá ser feita até 19 de maio de 2018.
"Pedir a nota é um exercício de cidadania fiscal. A empresa que emite a nota se vê obrigada a declarar o faturamento, recolher os impostos, e isso reverte para toda população"Márcio Silva Gonçalves, coordenador de Cadastro e Lançamentos Tributários da Secretaria de Fazenda

O depósito será feito no mês seguinte à indicação feita pelo ganhador. Quem ganhou mais de R$ 10 mil ou quem é menor de idade terá de se apresentar pessoalmente à Secretaria de Fazenda.

Se não houver resgate do prêmio, o dinheiro retorna para o Tesouro do DF. Para saber se foi premiado, basta acessar o portal do Nota Legal.

A limitação é que cada consumidor pode participar com 200 bilhetes ou documentos fiscais por mês. Nesse primeiro sorteio, do total de participantes, 65% concorreram com até 50 bilhetes. Apenas 131 consumidores tentaram a sorte com mais de 500 bilhetes cada um.

Como funciona o sorteio do Nota Legal

Em que consiste o sorteio Nota Legal?

A Secretaria de Fazenda do Distrito Federal sorteia prêmios em dinheiro para os consumidores (somente pessoas físicas) cadastrados no programa Nota Legal. Os benefícios variam de R$ 100 a R$ 500 mil e são depositados em conta-corrente ou poupança.

Ao inserir o CPF cadastrado no Nota Legal em qualquer documento fiscal, o beneficiário participa automaticamente do sorteio. Isso significa que, independentemente do valor da compra, é possível concorrer a prêmios de até R$ 500 mil.

São considerados documentos fiscais válidos somente a nota fiscal eletrônica e a nota fiscal eletrônica ao consumidor. Notas fiscais manuais e cupons fiscais valem para o sorteio se emitidos pelos estabelecimentos participantes do programa de concessão de créditos.

As regras do sorteio estão estabelecidas no Decreto nº 38.504, de 2017.

Quem pode participar?

Qualquer pessoa física pode participar. Para isso, é preciso incluir o CPF na nota quando consumir em qualquer estabelecimento comercial do DF ou prestador de serviço e se cadastrar no portal do Nota Legal.

As pessoas já cadastradas entram no sorteio automaticamente. Caso não queiram participar, é preciso escolher essa opção na área restrita.

Os contribuintes com débitos com o governo de Brasília precisam regularizar a situação para concorrer aos prêmios em dinheiro.

Quando ocorrerão os sorteios?

Inicialmente, por limitações operacionais, serão até dois sorteios por ano, um em cada semestre. A previsão para 2018 é que o segundo sorteio ocorra entre março e maio.

Qual é o valor da premiação?

Em cada sorteio, 12,6 mil bilhetes fiscais serão contemplados. A premiação será distribuída da seguinte forma:
1 prêmio de R$ 500 mil
2 prêmios de R$ 200 mil
3 prêmios de R$ 100 mil
4 prêmios de R$ 50 mil
10 prêmios de R$ 10 mil
30 prêmios de R$ 5 mil
50 prêmios de R$ 1 mil
500 prêmios de R$ 200
12 mil prêmios de R$ 100

Há limite para a quantidade de notas fiscais por CPF?

Cada consumidor pode participar com 200 bilhetes ou documentos fiscais por mês.

Onde consultar as notas fiscais válidas para os sorteios?

No site do programa (www.notalegal.df.gov.br), é possível verificar as notas fiscais válidas para os sorteios.

Quais notas fiscais são válidas para o sorteio?

Todos os documentos fiscais eletrônicos de empresas instaladas no DF podem participar, independentemente do porte da empresa ou do segmento de atuação.

Para o segundo sorteio, em 2018, concorrerão os bilhetes emitidos de 1º de maio de 2017 a 31 de outubro de 2017.

Como o prêmio é pago aos sorteados?

Os prêmios serão depositados na conta-corrente ou na poupança indicados no site do Nota Legal. Os ganhadores deverão acessar a área restrita, onde estará disponível um formulário eletrônico para indicação dos dados bancários a partir da validação do resultado do sorteio para o recebimento do dinheiro.

A conta bancária indicada deve ser de titularidade do sorteado.

Qual é o prazo para indicar a conta para o depósito do prêmio?

Os vencedores terão 180 dias — contados a partir da publicação dos bilhetes premiados — para informar a instituição financeira, a agência e o número da conta-corrente ou da poupança onde o depósito deverá ser efetuado.

Caso não seja feita a indicação nesse período, o dinheiro retorna ao Tesouro do Distrito Federal.

A liberação do valor, no entanto, vai depender dos trâmites bancários.

Para os prêmios acima de R$ 10 mil, o ganhador precisa se apresentar pessoalmente em uma agência de atendimento da Receita do DF para que o valor seja liberado.

O que acontece se a conta indicada não estiver no nome do ganhador?

Os créditos referentes aos prêmios retornarão para a Secretaria de Fazenda caso a conta bancária indicada não seja do ganhador ou se houver erro na indicação do banco, da agência, do tipo e do número da conta.

As informações poderão ser corrigidas no site do programa. Se o contribuinte não tiver conta em nome próprio, precisará providenciar uma, em nome próprio, para poder receber o prêmio.

Onde serão divulgados os resultados?

Os resultados dos sorteios do Nota Legal serão divulgados na internet, no site do programa (www.notalegal.com.br) e no Diário Oficial do DF.

Os ganhadores receberão o valor total ou haverá algum desconto tributário?

O consumidor vai receber o valor total, sem qualquer tipo de desconto.

Os bilhetes não sorteados poderão ser usados novamente nos sorteios seguintes?

Não. No sorteio do primeiro semestre, serão considerados documentos fiscais emitidos de 1º de maio a 31 de outubro do ano anterior. No do segundo semestre, entram no sorteio bilhetes emitidos de 1º de novembro do ano anterior a 30 de abril do ano corrente.

Os outros benefícios do Nota Legal vão acabar?

Não. Todos eles serão mantidos: o abatimento no IPTU e no IPVA e o depósito em dinheiro na conta bancária para quem não tem imóvel ou veículo em nome próprio.

Os mesmos documentos usados para os outros benefícios também servem para o sorteio, só que limitado ao número de 200 notas fiscais por mês.

Mãe de menino que desmaiou de fome no DF fala sobre dificuldade de 'ser mãe e pai'

Mulher de 29 anos cria 6 filhos; era catadora de reciclados, mas está desempregada desde que foi morar em condomínio do Minha Casa Minha Vida. No local, a 30 km do centro de Brasília, não há emprego e nem escola.

Por G1 DF
Mãe de menino que desmaiou de fome em escola do DF cria 6 filhos com R$ 1 mil

A mãe do menino de 8 anos, que desmaiou de fome em uma escola pública do DFna última semana, falou pela primeira vez sobre o caso, neste sábado (18). Leidiane Amorim tem 29 anos, cuida de 6 filhos, e está desempregada. Um outro filho da ex-catadora mora com a avó, no Ceará.

"Eu sou o pai e a mãe deles. Sou tudo ao mesmo tempo."

Leidiane vivia com a família em um barraco em uma área invadida no Noroeste, região nobre do Plano Piloto, em Brasília. Como estava perto do centro da capital, ela trabalhava como catadora de lixo reciclável. Há um ano foi contemplada com um apartamento do programa Minha Casa MInha Vida no Paranoá Parque e se mudou para o condomínio, a 28 km da área central.

No condomínio, moram cerca de 6 mil famílias, mas não há escola. Por conta disso, os filhos de Leidiane, assim como outras 250 crianças – todas de famílias de baixa renda – estudam no Cruzeiro, que fica a 30 km de distância. Também não há emprego na região, dizem os moradores que receberam as chaves do programa habitacional.

Leidiane recebe R$ 946 de programas assistenciais. Ela explica que não consegue pagar todas as contas e ainda comprar roupas e comida para os seis filhos com idades entre 2 e 13 anos. "São R$ 138 de água e condomínio, R$ 80 da parcela [do apartamento], a energia vem um absurdo, vem R$ 70 ou R$ 80".

A filha mais velha, de 13 anos, diz que é comum que ela e os irmãos vão para a escola com fome.

"A barriga da gente fica doendo de tanta fome . A gente fala pra professora, mas ela não tem como resolver."

Irmãos de menino que desmaiou de fome em escola no DF dizem que muitas vezes não tem comida para o almoço (Foto: TV Globo/Reprodução)


Nesta semana, depois da repercussão do desmaio de um dos filhos de Leidiane, a escola e voluntários doaram alimentos para a família. Neste sábado (18), o governador Rodrigo Rollemberg disse que o problema é pontual da família, e não da escola.

Mesmo assim, o GDF diz que vai entregar uma cesta básica e mais um auxílio vulnerabilidade de seis parcelas de R$ 408 para Leidiane. Uma equipe de nutricionistas também foi à escola, e a Secretaria de Educação estuda mudanças no cardápio dos alunos que moram longe do colégio.

Especialista questiona

Para o especialista em educação Afonso Galvão, o caso do menino revela um problema sistêmico. "É uma dívida que é reflexo de nossa situação de desigualdade extrema. Eu acho que essa situação tem que ser resolvida de um modo mais competente. Não é com soluções medíocres, não é com soluções, desculpe a expressão, 'meia boca', que se vai resolver isso", afirma.

"O governo não pode ajudar essas pessoas que estão desassistidas, que estão em situação de extrema pobreza, pela metade."

De acordo com Galvão, o governo não deveria, por exemplo, oferecer uma condição de moradia onde o contemplado tem que pagar uma prestação que muitas vezes não consegue. "Para manter a casa ele vai tirar dinheiro de um aspecto fundamental, que é a própria alimentação das crianças e adolescentes".

Ele também contesta o entendimento do GDF de que a fome não é um problema da escola. Segundo Galvão, "a escola é um epicentro de proteção à criança e ao adolescente, e todas as políticas, as educacionais e sociais também, elas devem ter como centro de desenvolvimento o espaço escolar."
"É na escola que se observa se a criança está com um comportamento estranho, se a criança está mal nutrida, se a criança está com qualquer tipo de problema ."

Para o especialista, políticas sociais devem ser desenvolvidas a partir da escola. "O espaço escolar deve ser um lugar onde as crianças sejam devidamente protegidas e tenham um ambiente acolhedor capaz de fazer com que a sua capacidade cognitiva seja otimizada", explica.

Galvão diz ainda que acredita que o caso do filho de Leidiane seja uma exceção, mas chama o episódio de "uma metáfora da crise do sistema educacional".

"Ao que parece, é uma escola que recolhe as crianças às 11h para uma aula que começa às 13h30. Evidentemente, não há condições de almoçar direito [...] e eles vão ter merenda só mais tarde. Com isso, lógico, ela vai ficar prejudicada em sua capacidade de aprender e prejudicada também em sua própria capacidade de condição humana, de desenvolvimento humano."



Mais de 60 meninas foram estupradas em outubro no Distrito Federal

Shutterstock

Sessenta e quatro meninas foram estupradas no mês de outubro, no Distrito Federal. A maioria delas têm entre 10 e 14 anos. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, isso significa que meninas foram vítimas em quase 70% dos casos registrados de violência sexual ocorridos no mês passado. Os autores do crime geralmente são pessoas próximas, como pai, padrasto ou avô.

A partir desta segunda-feira (20), o Distrito Federal começa a participar dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Esta é uma campanha das Nações Unidas para chamar a atenção de fatos que naturalizam a agressão contra as mulheres.

No Distrito Federal, o lema da campanha é “Meninas, Mulheres, Respeito”. Haverá debates com a população sobre ações de prevenção à violência contra meninas e mulheres, como explica a assessora especial da Secretaria de Segurança, Ana Tereza Iamarino.

O lançamento dessa campanha no Brasil foi marcado para 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. Foi, também, uma forma de chamar atenção para os crimes cometidos contra as mulheres negras, que segundo o Governo do Distrito Federal, são as que mais sofrem violência psicológica, física, econômica e sexual.

Via: Agência Brasil

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo