Termina prazo de matrícula e de adesão à lista de espera do Sisu

Hoje (17) é o último dia para que os estudantes selecionados na chamada regular do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) façam a matrícula nas instituições de ensino superior públicas nas quais foram aprovados. Aqueles que não foram selecionados têm também até esta segunda-feira para aderir à lista de espera do programa. 
Cabe aos estudantes verificar os horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em edital próprio.
Por Mariana Tokarnia

O resultado da chamada única do Sisu foi divulgado no último dia 10 e está disponível no site do programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear auxílio para pagar transporte, moradia e outras despesas nas próprias instituições de ensino superior, de acordo com determinados critérios, como renda familiar. Os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições.
Lista de espera

As vagas que não forem preenchidas serão ofertadas para os estudantes em lista de espera.

Quem não foi selecionado em nenhuma das duas opções de curso. feitas na hora da inscrição, na chamada única, e quiser integrar a lista tem até hoje para fazer a adesão, no site do Sisu.

O candidato deve acessar o sistema e, em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu.

O estudante poderá manifestar interesse para a primeira ou segunda opção de curso. Ao finalizar a manifestação, o sistema emitirá uma mensagem de confirmação.

Esses estudantes serão convocados a partir do dia 19. A convocação para a matrícula será feita pelas próprias instituições de ensino.

Nessa etapa caberá aos próprios candidatos acompanhar a convocação na instituição na qual estiverem pleiteando uma vaga.
Sisu 2019

Nesta edição, o Sisu oferece 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país.

A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018.

Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação. Ao todo, 640.205 estudantes se inscreveram no programa, de acordo com balanço divulgado pelo MEC.

Receita paga hoje as restituições do 1º lote do Imposto de Renda

A Receita Federal começa a pagar hoje (17) as restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2019. Serão depositados R$ 5,1 bilhões nas contas de 2.573.186 contribuintes. Neste lote, receberão a restituição os 245.552 contribuintes idosos acima de 80 anos, 2.174.038 contribuintes entre 60 e 79 anos e 153.596 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Ao todo, serão desembolsados R$ 4,99 bilhões, do lote deste ano, a 2.551.099 contribuintes. A Receita também pagará R$ 109,6 milhões a 20.087 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2018, mas estavam na malha fina.

As restituições terão correção de 1,54%, para o lote de 2019, a 109,82% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

Vice-governador participa de ação conscientizadora sobre doença degenerativa

Evento reuniu comunidades atuantes na divulgação e orientação sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A).

“É importante e é preciso conscientizar a população sobre essa grave doença”. O alerta foi dado pelo vice-governador Paco Britto durante a 2ª Caminhada e Cadeirata de Conscientização da E.L.A, evento realizado neste domingo (16), no trajeto entre o Museu Nacional e a Catedral Metropolitana de Brasília.

A ação, organizada pela Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (ABrEla), foi promovida pelo ex-deputado Odilon Aires, que há cinco anos sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A), doença degenerativa ainda sem cura. Odilon é pai do secretário das Cidades, Gustavo Aires, que, presente ao evento, agradeceu a participação dos amigos e famílias e destacou: “Muitas vezes, as pessoas não sabem o que fazer [diante da E.L.A] e a desinformação acaba prejudicando o paciente. É preciso divulgar para conscientizar”.

Helena Aires, mulher de Odilon, conta que a família demorou oito meses para chegar ao diagnóstico da doença no ex-deputado, cujo processo de paralisia começou pelas mãos. “Em outubro daquele ano [2015], foi colocada a sonda para alimentação e, em dezembro, ele já estava na cadeira de rodas”, relata. “Em 2016, foi colocada a traque [tubo alojado na garganta para promover a traqueostomia, ventilação mecânica invasiva]”.

Atualmente, o ex-deputado se trata em casa, demandando um esquema de home care, com apoio de uma cuidadora responsável por toda a medicação. É um tratamento bastante dispendioso. Odilon se comunica por meio de um aparelho que “traduz” os movimentos da íris. “É o difícil da doença, mas ele reconhece todo mundo”, explica Gustavo Aires. “O cérebro está melhor que antes – inclusive ele fica mais animado quando fala com ele sobre política”, brinca.

“Odilon Aires sempre deu total apoio à comunidade”, fez questão de ressaltar a líder comunitária Regina Célia Monteiro Magalhães, moradora de Samambaia. “Ele quis promover essa caminhada, pois queria conscientizar as pessoas. São mais de três mil pessoas com E.L.A no Distrito Federal”.

Também presente à ação, Maria Angélica Veiga acompanhava o marido, o arquiteto Paulo Henrique Veiga, que, há nove anos com a doença e já cadeirante, depende de três cuidadoras e de um fisioterapeuta para seu tratamento. Segundo a mulher, a doença se manifestou em Paulo primeiro na fala, que se tornou enrolada, e posteriormente nas pernas, que foram enfraquecendo. Enquanto não chega o computador capaz de otimizar a comunicação do paciente por meio da leitura da íris, ele se comunica com uma espécie de tabela de acrílico, transparente, adaptada para esse fim. São duas colunas com “sim” e “não” e letras destinadas à formulação das respostas, às quais o paciente se dirige com os olhos.

A doença

A Esclerose Lateral Amiotrófica é uma doença degenerativa do sistema nervoso, que acarreta paralisia motora progressiva, irreversível, de maneira limitante, sendo uma das mais temidas enfermidades conhecidas. Atinge os músculos responsáveis pela mobilidade e pela respiração. O diagnóstico de E.L.A, em um passado recente, impunha um prognóstico reservado, com ausência de perspectivas terapêuticas.

Atualmente, os pacientes e seus familiares contam com a orientação, informação e assistência da ABrELA, que busca oferecer melhor qualidade de vida a quem sofre com a doença. A associação ajuda a divulgar informações técnico-científicas sobre o diagnóstico e tratamento da E.L.A., sendo um ponto de apoio também para os profissionais de saúde que se dedicam a essa área.

Caminhada

A primeira caminhada, em 2018, aconteceu em São Paulo. Nesta edição, estava prevista a participação de 11 cidades, além do DF: São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Vitória (ES), Juiz de Fora (MG), Oliveira (MG), Passo Fundo (RS) e Redenção (PA).

Com uma faixa intitulada “Vivendo com E.L.A . Aprendendo com eles – Caminhada e Cadeirata de Conscientização de Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A”), o evento contou com o apoio do Governo do Distrito Federal, por meio das secretarias das Cidades e do Atendimento à Comunidade; do Departamento de Trânsito (Detran) e da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb).

Governador Ibaneis anuncia obras em Brazlândia

Além da chegada de uma Unidade de Pronto Atendimento e da reforma do hospital regional, a duplicação da BR-080 foi uma das novidades divulgadas durante ação realizada neste sábado (15) pela Sejus.

A ação movimentou a comunidade de Brazlândia, oferecendo uma série de atendimentos para que todos pudessem resolver pendências para as quais nem sempre sobra tempo no dia a dia /Foto: Renato Alves/Agência Brasília

O governador Ibaneis Rocha prestigiou, na manhã de sábado (15), o evento “Sejus mais Perto do Cidadão”, em Brazlândia. Durante a visita à ação social, ele anunciou novas obras para a região. A cidade vai ganhar a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a duplicação da BR-080 e ainda a reforma do Hospital Regional. “É muito importante ouvirmos o que a população deseja, mas, acima de tudo, é importante assegurarmos a vida das pessoas”, destacou o governador obre essas iniciativas.

Ibaneis informou que a obra de duplicação da rodovia BR-080 já está licitada e com recursos garantidos, dependendo apenas da liberação de licença ambiental. “A promessa do ICMBIO [Instituto Chico Mendes] é que as autorizações saiam até segunda-feira [17]”, afirmou. “Vamos garantir mais segurança para todos e mudar o rumo dessa ‘rodovia da morte’.”

O chefe do Executivo ressaltou o empenho de todo o governo para melhorar o atendimento na rede pública de saúde. Enumerou diversas ações, como a contratação de 3 mil novos servidores, a reforma de seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e a revitalização no Hospital de Santa Maria. “Recebi uma rede muito sucateada, mas graças ao apoio da Câmara Legislativa, em cinco meses, mudamos a gestão das UPAs e as coisas estão melhorando”, assegurou.

Agora, uma emenda da deputada federal Flávia Arruda (PR), envolvendo investimentos do montante de R$5 milhões, vai ajudar na construção da primeira UPA de Brazlândia. “Estamos numa parceria muito afinada com todos os parlamentares, construindo soluções para melhorar a vida da população”, declarou, anunciando a boa nova: “O dinheiro já está na conta e o projeto da UPA, pronto”.

O governador destacou ainda a parceria com o deputado distrital Iolando (PSC) para viabilizar a reforma do Hospital Regional de Brazlândia. “Quero agradecer também a emenda dele [Iolando], porque agora poderemos tocar a ampliação e revitalização do hospital. Em setembro, queremos lançar o edital para dar início às obras.”

Ação social

O evento da Secretaria de Justiça e Cidadania do DF (Sejus) reuniu mais de 500 pessoas, numa ação integrada que levou à comunidade de Brazlândia serviços públicos do Na Hora, prevenção de doenças e atenção jurídico-social. É a quarta edição da iniciativa, que contemplou Candangolândia, Paranoá e Planaltina.

“Nossa proposta é levar para perto das pessoas os serviços do governo, de forma integrada e unificada”, explica o secretário de Justiça e Cidadania, Gustavo Rocha. “Já estamos planejando a próxima ação, que será no Recanto das Emas”, completou.

Quem participou da ação deste sábado em Brazlândia aprovou a iniciativa do GDF. “Hoje matei dois coelhos de uma única vez”, brincou Josiane Neves Sousa, que conseguiu atendimento odontológico para o filho Marlon, de 6 anos, e a emissão da Carteira de Identidade da enteada, Natália, de 13. “A gente gosta demais dessas ações, porque nem sempre tenho tempo para resolver tantas coisas. Fiquei muito feliz em conseguir resolver duas situações importantes ao mesmo tempo”, detalhou.

Entre os serviços oferecidos, destacaram-se a emissão de documentos (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho, CPF), consulta e negociação de débitos na Secretaria da Fazenda, na CEB e na Caesb. Uma unidade móvel da Secretaria de Saúde também aferiu glicemia e pressão arterial dos populares, além de prestar orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis e realizar testes rápidos de HIV.

Pessoas com deficiência

Durante o evento, o governador Ibaneis falou sobre a intenção de criar uma nova pasta: a Secretaria da Pessoa com Deficiência. “Temos no DF uma população de 650 mil pessoas que precisam da atenção do governo nos cuidados com a saúde, moradia, emprego”, justificou.

Para assumir a pasta, o governador pensa em indicar o deputado distrital Iolando. “Juntamente com o secretário Gustavo [Rocha, titular da Sejus], acredito que os dois vão buscar recursos de programas que já existem no governo federal para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência”, valorizou.

GDF incentiva campanha de conscientização sobre idosos

Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa foi comemorado com evento que reuniu convidados especiais e representantes do GDF na Residência Oficial de Águas Claras
O sábado começou com um café da manhã reunindo todo o grupo de convidados.
Foto: P H Carvalho/Agência Brasília

Um grupo de 45 integrantes do Centro de Convivência do Idoso da Universidade Católica de Brasília (UCB) passou a manhã deste sábado (15) na Residência Oficial de Águas Claras para celebrar o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. Promovido por iniciativa da primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha, o evento, que contou com a participação do vice-governador Paco Britto, teve o objetivo de incentivar o debate e o fortalecimento das diversas formas da prevenção dos maus-tratos contra essa faixa etária.

As atividades foram abertas com um café da manhã. Depois, os idosos assistiram a uma palestra da juíza Monize da Silva Freitas Marques, coordenadora da Central Judicial do Idoso – uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o Ministério Público e a Defensoria Pública do DF. A magistrada lembrou que o Estatuto do Idoso assegura inúmeros direitos às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos e estabelece que é violência contra o idoso qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico.

Segundo Monize, 60% dos atos de violência contra o idoso, em casos atendidos pela Central, são praticados pelos filhos. A maioria dessas agressões é de violência psicológica, negligência e de ordem financeira. “Às vezes, o pai morre e o filho vem morar com a mãe; ele acaba construindo um quartinho para ela nos fundos da casa e, aos poucos, ela [a mãe] fica abandonada nesse local”, exemplificou. “Nenhuma mãe quer denunciar um filho, mas isso é abuso. A legislação trata como crime, precisamos refletir sobre isso.”

De abril de 2014 a dezembro de 2018, a Central do Idoso atendeu a quase duas mil pessoas que relataram conflitos familiares. “Sentamos todos os envolvidos na mesa e tentamos resolver o problema. Com a mediação, a gente evita que o crime aconteça”, contou a juíza. “Se o relato inicial tiver algum indício de crime, porém, nem começamos a conciliação: passamos para o Ministério Púbico proceder à denúncia.” O secretário de Relações Internacionais, Pedro Luiz Rodrigues, que completa 70 anos na próxima semana, disse que a secretaria está fazendo estudos para identificar políticas públicas de outros países que possam ser replicadas no DF.Presente ao evento, o vice-governador Paco Britto destacou a importância da campanha /Foto: P H Carvalho/Agência Brasília

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil ultrapassou a marca de 30 milhões de pessoas com 60 anos ou mais em 2017. Segundo o instituto, nos próximos cinco anos, o número de idosos vai superar o de crianças e adolescentes de até 14 anos de idade. “A falta de respeito aos idosos é uma violência”, declarou o vice-governador Paco Britto. “Eu quero estar entre esses 30 milhões, porque não quero morrer jovem e quero ter o apoio e respeito dos meus filhos, dos meus netos e de todos os cidadãos do DF.”

Dinâmica 

O grupo de idosos também conheceu a Residência Oficial de Águas Claras e participou de uma dinâmica de apresentação. Para Giselda Coutinho, 64 anos, eventos como o ocorrido na manhã deste sábado são importantes para manter o bem-estar e a saúde mental dos idosos. ”Eu tinha dois empregos muito puxados e, depois que me aposentei, só queria ficar na cama me queixando da artrose”, contou. Por iniciativa da filha, ela se inscreveu no Centro de Convivência do Idoso, passou a frequentar aulas de informática e de espanhol, fez novos amigos e encontrou uma nova forma de viver. “Entrei nesse grupo há um ano e minha vida mudou.”

A Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa instituíram 15 de junho como o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data foi celebrada pela primeira vez em 2006, com a realização de campanhas por todo o mundo. O principal objetivo é criar uma consciência mundial, social e política sobre a necessidade de combater a violência contra a pessoa idosa – problema que, conforme comprovam os dados, infelizmente existe.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.