Desidratação e hiponatremia

Resultado de imagem para Desidratação e hiponatremia
Após uma transpiração intensa, nossos níveis plasmáticos de sódio ficam muito baixos.

Em Brasília, temos muitos praticantes de esportes de rua, pois a cidade favorece, pelos parques, terreno plano e a presença de um belo lago. Como alertamos na semana passada sobre a hidratação de crianças e adolescentes, esta semana vamos falar sobre o problema de modo geral, entre praticantes de esportes, especialmente pela época do ano que se aproxima, de tempo quente e seco em nossa cidade.

Quando realizamos exercício físico, aumentamos a produção de calor no corpo, e o suor é uma forma de dissipar esse calor. Ou seja, fazer a troca de calor com o meio. Com isso, conseguimos manter uma temperatura corporal estável, mesmo com elevada produção de calor em decorrência do exercício, muitas vezes associada à temperatura ambiente.

Precisamos manter uma temperatura corporal estável, pois nosso sistema enzimático orgânico funciona nessas condições. A consequência dessa termorregulação corporal pode ser a desidratação, visto que, em algumas situações, podemos ter um volume alto de suor produzido.

Junto com o líquido, perdemos eletrólitos, e o principal eletrólito plasmático é o sódio. Por isso, seu suor é salgadinho! Após uma transpiração intensa, se repusermos apenas água correremos o risco de termos um quadro chamado hiponatremia, quando os níveis plasmáticos de sódio ficam muito baixos.

É como se estivéssemos diluindo o pouco sódio que restou. Por isso, a maior parte das bebidas esportivas tem um teor de sódio em torno de 700mg a cada 1 litro, para repor esse eletrólito e prevenir o quadro de hiponatremia.

Se você pratica esporte e quer saber mais sobre hidratação, consulte um nutricionista.

Por: Caroline Romeiro

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.