Disputa ao GDF | Eliana promete reduzir em 50% o número de pardais no DF

Candidata se diz a favor do diálogo (Foto Rafaela Felicciano / Metrópoles)

A candidata do GDF também defendeu a liberação do uso das faixas exclusivas fora dos horários de pico. “Não justifica ver elas livres e o pessoal preso nas outras vias. Tem que flexibilizar”


A candidata ao Governo do Distrito Federal (GDF) pela coligação Juntos de Você, Eliana Pedrosa (Pros), foi a primeira convidada da sabatinas do portal Metrópoles. Na manhã desta desta terça-feira (21/8), Eliana respondeu perguntas de sindicalistas e de jornalistas. O evento foi transmitido ao vivo em todas as redes sociais do portal: Facebook, Twitter e YouTube.

A coligação Juntos de Você, encabeçada por Eliana Pedrosa, tendo como vice Alírio Neto (PTB), é composta pelo Pros, PTB, PHS, Patriota, PMN, PTC e PMB.

Ao Metrópoles, Eliana afirmou que o diálogo é uma forma de despertar interesse da população. “Hoje as pessoas estão estarrecidas com tantas notícias de corrupção. Esta é uma oportunidade de mostrar a nossa intenção e o nosso propósito, além de proporcionar o retorno de uma esperança com a política que a gente não pode perder”, afirmou.


Veja os principais pontos da entrevistas na matéria dos jornalistas Isadora Teixeira e Ricardo Taffner:
Família e denúncias

Eleita deputada distrital por três vezes, em 2002, 2006 e 2010, foi secretária de Desenvolvimento Social do Distrito Federal. Eliana Pedrosa está pela segunda vez na disputa ao Buriti. Nas eleições de 2014, chegou a ser anunciada pelo PPS, mas não fechou aliança para vice de José Roberto Arruda (PR). Por fim, saiu para deputada federal, mas não conseguiu se eleger. Antes de iniciar carreira na política, atuava em empresas da família.

De família dona de empresas que prestam serviços ao GDF, Eliana disse que vai abrir mão dos contratos. “Vamos sair, caso seja eleita. Já tivemos 18 contratos com o governo e hoje temos apenas três”, disse. No entanto, ela disse que manterá as terceirizações, em caso de vitória, nos serviços de vigilância, limpeza, informática e telefonia. “Dentro dessas áreas, sim, mas as atividades fins o governo tem que preservar”, defendeu.

A candidata garantiu, ainda, que o irmão Eduardo Pedrosa não terá participação em sua eventual gestão. Ele foi citado em investigações como a da máfia dos sanguessugas, que apurou o desvio de recursos públicos em aquisições de ambulâncias. “Já não participou em nenhuma das ações enquanto fui deputada e secretária. Ele tem vida pessoal, é empresário e tem empresas fora de Brasília. Agora, ele, como meus amigos, me ajudam na caminhada política.”

Sobre um suposto envolvimento dela na denúncia do Ministério Público do DF de provimento de cargos com desvio de finalidade na Fundação Câmara Legislativa, Eliana disse que na época estava à frente de secretaria e não na CLDF. “Nunca tolerei que ninguém recebesse contrapartida salarial sem dar seu melhor. Não tenho nada a esconder sobre isso”, pontuou. Ela também refutou qualquer ligação com as suspeitas de irregulares nos cemitérios do DF, alvo de CPI da casa distrital.
Gestão

Sobre a promessa de reduzir em 50% os radares eletrônicos no DF, Eliana disse que a população pode assumir a responsabilidade sobre o controle da velocidade. “Não precisamos ter mais pardais assim. Eles têm que vir com visão educadora e não de arrecadação. Eu ando nas ruas e só enxergo pardais”, avaliou. A ex-distrital também defendeu a liberação do uso das faixas exclusivas fora dos horários de pico. “Não justifica ver elas livres e o pessoal preso nas outras vias. Tem que flexibilizar”, afirmou.

Ainda na mobilidade, ela disse que vai estudar uma possível redução no valor das passagens de ônibus. A representante do Pros lembrou que há uma investigação em relação ao DFTrans sobre desvio de recursos. “Se isso for verdade e puder economizar, a gente pode até sonhar em abaixar um pouquinho.”

Eliana considerou, ainda, ser possível diminuir o valor dos impostos no Distrito Federal. “Recentemente, o governador aumentou o IPTU. Começar a reduzi-los já é um bom caminho”, afirmou.

Na sabatina, a candidata falou em criação da Secretaria de Gestão Estratégica. “É fundamental para fazer acompanhamento de todas as ações do governo”, disse. Também pretende criar a Agência Brasília de Turismo. “Uma empresa de eventos para dar mais celeridade na captação para a cidade.” Ela afirmou, ainda, não ter intenção de diminuir o número de pastas.

Servidores

No primeiro bloco do programa, com perguntas feitas pelos sindicatos parceiros, Eliana afirmou que irá encaminhar o pedido de paridade da Polícia Civil com a Federal. “Também faremos o equacionamento da PM e do Corpo de Bombeiros e nivelar, pelo líquido, com a Civil”, prometeu.

Sobre a terceira parcela do reajuste dos servidores, que deveria ter sido paga em 2015, afirmou que irá efetivá-las de imediato, caso vença: “Se nós aumentarmos a eficiência arrecadatória, dá para cumprir perfeitamente esses aumentos requeridos e que já estão, inclusive, em lei”.

A respeito da conversão em pecúnia das licenças-prêmio, a buritizável declarou que fará uma programação com a participação dos interessados. “De início não dá para quitar tudo em um ano. Depende da nossa capacidade de melhorarmos a nossa arrecadação”, completou.

Na área da Saúde, Eliana mostrou-se contrário ao Instituto Hospital de Base. “Queremos trabalhar com a volta da fundação hospitalar, com o modelo já experimentado e que deu certo”, esclareceu.

Na Segurança, prometeu reabrir as delegacias que, atualmente, fecham as portas durante o período da noite. “Para isso, podemos chamar os que estão aposentados há até cinco anos, principalmente para os serviços administrativos”, explicou. Ela também pretende criar um banco de horas de 20h mensais para cobrir o horário em que os policiais realizam os flagrantes.
Dinâmica

A dinâmica da sabatina funcionará da seguinte forma: primeiro, o candidato fará uso da palavra por um minuto para se apresentar. Em seguida, responderá perguntas elaboradas pelas entidades sindicais patrocinadoras do evento – os questionamentos foram previamente gravados e serão exibidos em um telão. Por fim, os jornalistas indagarão os postulantes ao Palácio do Buriti. No total, a conversa terá duração de 1 hora e 15 minutos.

Serão realizadas perguntas das seguintes entidades: Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (SindSaúde), Sindicato dos Professores do DF (Sinpro), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol), Sindicato dos Delegados de Polícia (Sindepo), Sindicato da Categoria dos Peritos Oficiais Criminais (SindiPerícia) e o Sindicato dos Bancários de Brasília.

Fonte: NBN Brasil

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.