Hospital do Câncer Anchieta investe em tratamento com imunoterapia

Resultado de imagem para Hospital do Câncer Anchieta investe em tratamento com imunoterapia
Tratamento traz benefícios ao estimular as células de defesa do paciente a combaterem o tumor.

Pouco conhecida do público em geral, a imunoterapia vem sendo utilizada como um tratamento promissor para diversos tipos de câncer. A técnica estimula o combate da célula tumoral pelo próprio sistema de defesa do paciente. O Hospital do Câncer Ancheita (HCAN) implantou esse método desde o início das suas atividades, em outubro de 2017.

O sistema imunitário humano é formado por um conjunto de células e estruturas que atua no combate a infecções ou invasões por substancias e germes estranhos ao organismo. Esse sistema consegue também identificar células mutadas como uma substância estranha ao organismo, induzindo a morte dessas células. Com os tumores, no entanto, a célula mutada consegue escapar desse reconhecimento. “A partir do momento em que a ciência descobriu essa atividade da célula tumoral, tornou-se possível o surgimento de medicamentos que consertam esse ‘defeito’ do sistema imunitário, fazendo com que a célula tumoral seja combatida pelo sistema de defesa da própria pessoa. Esse tratamento chama-se imunoterapia. É um conceito semelhante ao das vacinas, mas de maneira mais específica”, destaca o oncologista Marcos França, responsável técnico pelo HCAN.

De forma geral, a ciência já comprovou que os pacientes que são submetidos à imunoterapia aumentam seu tempo de vida e apresentam menores índices de efeitos colaterais. “A indicação de imunoterapia se faz em cenários específicos e para tumores específicos. O grande benefício dessa terapia é que, no geral, ela tem menores efeitos colaterais do que os tratamentos convencionais e possui melhores taxas de resposta. Mais importante ainda é que um percentual dos pacientes, que oscila entre 10 a 20%, pode ter respostas muito além do esperado e por tempo duradouro, gerando taxas de controle superiores à quimioterapia convencional, por exemplo”, ressalta França.

Alguns tratamentos combinam quimioterapia e imunoterapia. Além disso, é possível combinar também mais de um tipo de imunoterapia para atendimento do câncer. Os tumores que se beneficiam dessa combinação são os de pulmão e de rim, e o melanoma.

O Hospital do Câncer Anchieta atua no cuidado ao paciente, integrando todas as etapas do enfrentamento do câncer, do diagnóstico à superação. As atividades são conduzidas por uma equipe interdisciplinar dedicada e experiência.

Mais informações e agendamento de consultas podem ser feitos no site: www.hcanchieta.com.br.

Hospital do Câncer Anchieta investe em tratamento com imunoterapia

Tratamento traz benefícios ao estimular as células de defesa do paciente a combaterem o tumor

Pouco conhecida do público em geral, a imunoterapia vem sendo utilizada como um tratamento promissor para diversos tipos de câncer. A técnica estimula o combate da célula tumoral pelo próprio sistema de defesa do paciente. O Hospital do Câncer Ancheita (HCAN) implantou esse método desde o início das suas atividades, em outubro de 2017.

O sistema imunitário humano é formado por um conjunto de células e estruturas que atua no combate a infecções ou invasões por substancias e germes estranhos ao organismo. Esse sistema consegue também identificar células mutadas como uma substância estranha ao organismo, induzindo a morte dessas células. Com os tumores, no entanto, a célula mutada consegue escapar desse reconhecimento. “A partir do momento em que a ciência descobriu essa atividade da célula tumoral, tornou-se possível o surgimento de medicamentos que consertam esse ‘defeito’ do sistema imunitário, fazendo com que a célula tumoral seja combatida pelo sistema de defesa da própria pessoa. Esse tratamento chama-se imunoterapia. É um conceito semelhante ao das vacinas, mas de maneira mais específica”, destaca o oncologista Marcos França, responsável técnico pelo HCAN.

De forma geral, a ciência já comprovou que os pacientes que são submetidos à imunoterapia aumentam seu tempo de vida e apresentam menores índices de efeitos colaterais. “A indicação de imunoterapia se faz em cenários específicos e para tumores específicos. O grande benefício dessa terapia é que, no geral, ela tem menores efeitos colaterais do que os tratamentos convencionais e possui melhores taxas de resposta. Mais importante ainda é que um percentual dos pacientes, que oscila entre 10 a 20%, pode ter respostas muito além do esperado e por tempo duradouro, gerando taxas de controle superiores à quimioterapia convencional, por exemplo”, ressalta França.

Alguns tratamentos combinam quimioterapia e imunoterapia. Além disso, é possível combinar também mais de um tipo de imunoterapia para atendimento do câncer. Os tumores que se beneficiam dessa combinação são os de pulmão e de rim, e o melanoma.

O Hospital do Câncer Anchieta atua no cuidado ao paciente, integrando todas as etapas do enfrentamento do câncer, do diagnóstico à superação. As atividades são conduzidas por uma equipe interdisciplinar dedicada e experiência.

Mais informações e agendamento de consultas podem ser feitos no site: www.hcanchieta.com.br.

Por: Rayane Bueno - Capital & Group





© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.