Acampamento Terra Livre: após encontro em Brasília, indígenas pedem fim da violência

'Resistiremos, custe o que custar', diz trecho do documento final da 15ª edição do evento. Conferência reuniu 4 mil pessoas em Brasília; veja fotos.
Por Marília Marques, G1 DF

Jovem indígena caminha pelo Eixo Monumental, em Brasília, durante Acampamento Terra Livre — Foto: Paulo Sales/ TV Globo

A 15ª edição do Acampamento Terra Livre, em Brasília, terminou na sexta-feira (26) com um documento final que reúne as principais pautas reivindicadas pelos indígenas nos três dias de evento. O encontro é a maior conferência do país sobre povos tradicionais (veja galeria de fotos no fim da matéria).

No manifesto público, as lideranças pedem o "fim da violência, da criminalização e discriminação" contra a população indígena. Ao todo, 900 mil brasileiros se autodeclaram índios, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Resistiremos, custe o que custar!", diz trecho do documento.

No texto, as lideranças reivindicam ainda a "reparação dos danos causados e comprometimento das instâncias de governo na proteção das nossas vidas".

Indígenas fecham parte da Esplanada em protesto do Acampamento Terra Livre

Mulheres do povo Kayapó, do Pará, no Acampamento Terra Livre em Brasília — Foto: Marília Marques/G1DF

Em outro ponto, o documento cita a necessidade da demarcação de terras indígenas – o que chamam no texto de "bens da União". O grupo cita que a medida é "fundamental para garantir a reprodução física e cultural dos nossos povos".

"A demarcação de terras é, ao mesmo tempo, estratégica para a conservação do meio ambiente e da biodiversidade, e a superação da crise climática", diz trecho do manifesto.

"Realizamos este XV Acampamento Terra Livre para dizer ao Brasil e ao mundo que estamos vivos e que continuaremos em luta em âmbito local, regional, nacional e internacional."

Indígenas e gays: jovens contam como é ser LGBT dentro e fora das aldeias

Indígenas chegam à Esplanada dos Ministérios para 15º Acampamento Terra Livre — Foto: Marcelo Coelho/TV Globo

Há 5 séculos

No mesmo manifesto, os participantes do encontro citam o histórico de luta indígena pela manutenção de direitos. "Resistimos há 519 anos e continuaremos resistindo", diz trecho da carta.

Após a divulgação do documento, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) anunciou a criação da Comissão Especial de Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas. O grupo vai funcionar como uma espécie de departamento voltado para defesa dos direitos desses povos tradicionais no país.

Suicídio entre índios cresce 20% em um ano; confinamento é apontado como causa

Acampamento Terra Livre

A 15ª edição do Acampamento Terra Livre começou na terça-feira (23) e teve programação até sexta (26). O tema este ano foi "Sangue indígena, nenhuma gota a mais”.

Em Brasília, mais de 4 mil pessoas acamparam no gramado ao lado do Teatro Nacional. Entre o público, estavam centenas de mulheres que escolheram levar os filhos para viverem a experiência de protestar no centro do poder. Ao todo, cerca de 150 etnias enviaram representantes para a conferência este ano no DF.

O G1 reuniu fotos do evento. Veja rostos do acampamento indígena em Brasília:

Jovem indígena usa colar e pintura típica durante manifestação, em Brasília — Foto: Paulo Sales/ TV Globo


Indígena em acampamento em Brasília — Foto: Paulo Sales/ TV Globo

Mulheres indígenas durante 19º Acampamento Terra Livre, em Brasília — Foto: Paulo Sales/ TV Globo

Indígena em Acampamento Terra Livre, em Brasília — Foto: Paulo Sales/ TV Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.