LIVE com dirigentes nacionais do MPS, MST, CONTAG e José Dirceu bate recorde de acessos nas redes sociais

Ministério Público processa Acilino Ribeiro por subversão política ...
A “live das lives” dessa quarentena aconteceu na noite desta quinta-feira, 21, e bateu todos os recordes de acessos no país: mais de 5 mil internautas foram alcançados em plataformas digitais como o YouTube, Facebook entre outras. A Live foi transmitida ao vivo pelas páginas do Facebook do MPS – Movimento Popular Socialista, o segmento mais a esquerda dentro do PSB, liderado nacionalmente pelo advogado e ativista dos direitos humanos Acilino Ribeiro, e ainda nas páginas da CONTAG, do MST, da UNIPOP – Universidade de Políticas do Movimento Popular, do MDD, Movimento Democracia Direta, da JSF – Justiça Sem Fronteiras e do movimento Nova Esquerda e Revolução Cidadã.

Ancorada pelo dirigente nacional do MPS, Acilino Ribeiro, a live foi estrelada por líderes populares, sindicais e partidários como Miguel Stedile do MST, o presidente da CONTAG, Aristides Santos, e o ex-ministro chefe da Casa Civil no governo Lula, José Dirceu, respectivamente. No centro do debate, estavam temas como <Guerras Híbridas, Mobilização Popular e Organização da Resistencia ao Fascismo>. 

O primeiro tema, Guerras Hibridas cujo significado está associado a estratégias bélico-militar e não se materializa com uso de armas ou batalhas físicas. Sua arma prevalente é a retórica desestabilizadora de identidades, a desconstrução de grupos hegemônicos e foi analisada e debatida pelo historiador Miguel Stedile da direção nacional do MST. A mobilização popular também fez parte de sua análise quando Ele propõe recuperar o sentido original da palavra revolução que no atual contexto tem a ver com as transformações estruturais e sociais sobretudo no campo. Para Stedille é preciso radicalizar essa democracia e ampliar a participação popular para além dos espaços que já estão constituídos. É preciso dialogar com a sociedade independente de sua concepção política . ''A unidade alcança a diversidade'' disse ele. 

Por sua vez o líder da CONTAG, Aristides Santos vê com preocupação o futuro de milhares de famílias no campo e destacou a pandemia como um fator agravante já que a realidade rural exige uma atenção maior em função da ausência de medidas preventivas por parte do poder público. Ele falou do desafio de agregar em sua base grupos bastante plurais em sua concepção ideológica algo que exige um diálogo permanente sobre a conjuntura política e econômica. Sobre o futuro da Reforma Agrária que saiu da pauta do atual governo, ele vê com preocupação. ''Quando o campo tem sua produção afetada, o efeito é em cadeia. Falta trabalho e comida na mesa dos brasileiros e o passivo social desestabiliza a economia. A consequência mais grave segundo Aristides Santos é o desabastecimento é o desemprego'', disse ele sugerindo uma ampla participação dos municípios em garantir a compra antecipada da safra da agricultura familiar como forma de fortalecer e socorrer o setor. A CONTAG tem aproximadamente cinco mil sindicatos de trabalhadores rurais no país e é considerada a entidade sindical com o maior potencial de mobilização do Brasil.

Um dos principais destaques da LIVE foi a participação do ex-ministro José Dirceu e sua análise sobre a conjuntura nacional. O ex-ministro apontou que o Brasil deve reagir ao programa político de militarização do governo de Bolsonaro. Para ele ''Bolsonaro está desmontando o Estado Nacional que levou décadas para ser construído. Ele está numa escalada rumo ao regime autoritário no Brasil. A gente precisa dar uma resposta à altura a esse governo que é militar em sua base'', afirmou.

Como mobilizar a sociedade a reagir é o grande desafio na visão de Dirceu. Ele entende que, com a pandemia não é possível fazer o chamamento às ruas neste momento. Analisa que é preciso deixar o governo se mostrar, mostrando a que veio, para que a sociedade tenha uma leitura clara do momento político no Brasil e então sair as ruas, com responsabilidade, depois da pandemia.

O líder socialista Acilino Ribeiro considerou que é preciso organizar a resistência contra o bolsonarismo. e concordou com as análises de Stédile, Aristides e Dirceu. Disse que: “Há uma Guerra Híbrida muito intensa sendo travada no Brasil neste momento que afeta todas os aspectos da vida do cidadão brasileiro”. Ela é fomentada, segundo Acilino, por agentes externos que vêm tentando condicionar a população e dirigir a opinião pública. 

Acilino finalizou propondo que se organizem comitês pelo impeachment de Bolsonaro no país tal como aconteceu com o ex-presidente Collor e afirmou que após a pandemia o Brasil deve estar pronto para as mobilizações declarando que: “Nesse momento é preciso salvar a pátria ameaçada, pelo imperialismo e a submissão de um governo fascista, entreguista e que deve ser levado aos tribunais por crimes de lesa-pátria” e concluiu propondo a organização desses comitê pelo impeachment em universidades, sindicatos, comunidades, escolas, fabricas, empresas e ruas, e conclui a LIVE lembrando a frase de Eduardo Campos para animar a militância: “Não vamos desistir do Brasil”.

Durante a live, a hashtag #Fora Bolsonaro, esteve entre os assuntos mais comentados mobilizando pelo menos duas pessoas em cada município do Brasil. 
Em 21.05.2020.
Por Katharina Garcia

Participantes da LIVE.

                 

ACILINO RIBEIRO                                                                      ARISTIDES SANTOS
Secretário Nacional do PSB \ MPS.                                                 Presidente da CONTAG


                 
               MIGUEL STÉDILE                                                                              JOSÉ DIRCEU
            Direção Nacional do MST                                                      Ex-ministro e direção nacional do PT





Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.