Prospera distribui cerca de R$ 800 mil em cartas de crédito

Vigésimo lote deste ano atendeu 42 microempreendedores urbanos e 20 rurais. A artesã Teresinha Marques Cotrim foi uma das contempladas.

Aos 72 anos, Teresinha Marques Cotrim já perdeu as contas de quantas vezes recorreu a cartas de crédito do Prospera para investir no negócio. Artesã, ela trabalha na Feira da Torre de TV desde 1978. No box, as prateleiras exibem de colares a peças feitas com pedra-sabão.A artesã Teresinha Marques, de 72 anos, recorreu diversas vezes às cartas de crédito do Prospera para investir no negócio. 

“O programa traz a soma de imediato, e a gente compra as coisas mais barato, porque paga à vista”, explicou. As parcelas, completou ela, são pagas em dia e, quando possível, até mais de uma por vez. “Realmente não sei quantas vezes [peguei crédito], mas assim que eu preciso eu bato na porta do Prospera e sou atendida. Tem me ajudado bastante!”, contou a artesã, que hoje foi novamente contemplada. A verba ajudará na compra de matéria-prima e na reforma do local de trabalho.

A carta de crédito por ela recebida é uma das 42 entregues nesta terça-feira (22) a microempreendedores urbanos, no valor total de R$ 490.808,66. A ação ocorreu no auditório da Secretaria Adjunta do Trabalho, na Quadra 6 do Setor Comercial Sul, e faz parte do vigésimo lote do programa.

Esse lote conta ainda com 20 cartas de crédito rural, que totalizam R$ 308.435,45. Com os dados de hoje, 676 microempreendedores foram contemplados pelo programa neste ano, com empréstimos que somam R$ 8.338.044,19.

“Aqui, percebe-se que há maneiras de encarar a crise com criatividade, criando emprego e renda”, ressaltou o secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes, que participou das entregas na manhã desta terça-feira.

A empreendedora Jussiara Farias, de 33 anos, também recebeu a carta. Ela mora em Samambaia, e o recurso a ajudará a começar uma empresa de eventos e cerimonial de casamentos. “Meu sonho é muito alto e ainda não está cabendo no papel, mas, aos poucos, a gente vai conseguir alcançá-lo, que é uma casa de festas”, contou, entusiasmada.

Quem pode obter recursos do Prospera DF

O Prospera é voltado a empreendedores do setor informal (como autônomos), a microempresários ou empresários de pequeno porte, a artesãos, a integrantes de cooperativas de trabalho e a produtores individuais de Brasília e da Região Integrada de Desenvolvimento Econômico do DF e Entorno (Ride). Os recursos saem do Fundo de Geração de Emprego e Renda.A empreendedora Jussiara Farias, de 33 anos, recebeu a carta das mãos do secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O recurso pode ser usado para adquirir máquinas, equipamentos, móveis, utensílios. O capital de giro na área urbana é exclusivo para comprar matérias-primas e mercadorias. A modalidade de custeio rural é para gastos com insumos e preparação de terra para plantio, por exemplo. Desde o pedido até depois da concessão do crédito, os beneficiados recebem acompanhamento e orientação.

Para a área urbana, as taxas de juros representam aproximadamente 0,7% ao mês para capital de giro e investimento. No caso da área rural, as taxas praticadas no Prospera são de 2% ao ano para custeio e de 3% anuais para investimento.

O programa é da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, com apoio do Banco de Brasília (BRB) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF).

Agência Brasília
Foto: Andre Borge

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo