Mais de 2 mil identificações infantis foram feitas na Baratinha

Somente hoje, segundo e último dia do bloco, até o início da tarde foram distribuídas 200 carteirinhas. O pai de Ana Luiza, o empresário Auredyson Amorim, só deixou a menina pular o carnaval depois de ela estar devidamente identificada.

Na semana passada, a pequena Ana Luiza Gonçalves Amorim, de 6 anos, se perdeu na praia, durante viagem dos pais pelo litoral do Nordeste. Depois de cerca de 10 minutos de apreensão, a menina apareceu. Para evitar que isso ocorra novamente, o empresário Auredyson Amorim, de 36 anos, só deixou a criança cair na folia após fazer a identificação infantil fornecida pela Polícia Militar do DF.O empresário Auredyson Amorim, de 36 anos, passou na base móvel da PM e fez a carteirinha de identificação da filha, Ana Luiza Amorim, de 6 anos. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Na tarde desta terça-feira (27), Ana Luiza foi uma das mais de 2 mil crianças a receberem a identificação infantil no posto móvel da corporação nos dois dias em que o bloco desfilou no Parque da Cidade. Somente hoje, até às 15 horas, cerca de 200 crianças haviam recebido a carteirinha.

O documento também pode ser impresso pela internet. “Eu a oriento, também, a procurar um policial, caso se perca, mas o ideal é não perder a criança de vista”, disse o pai da menina.

Até às 15 horas de hoje, cerca de 5 mil pessoas estiveram no bloco, de acordo com estimativa da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social. Além das mais variadas fantasias, spray de espuma era item quase que obrigatório. O som mecânico começou a esquentar os pequenos foliões, mas a banda de percussão mirim Tambores da Cozinha foi quem deu o ritmo da festa.
SOS Criança Foliã

Outra ferramenta para auxiliar o encontro dos pequenos com os pais é o SOS Criança Foliã, contato via WhatsApp pelo número de telefone (61) 99212-7776, que está ativo durante todo o carnaval.

O telefone passou a funcionar na sexta-feira (24). É a primeira vez que esse tipo de serviço é oferecido no DF. O Criança Foliã também serve para desafogar o atendimento de urgência 190.

A pessoa que achar o pequeno deverá adotar alguns procedimentos simples. Na mensagem inserida no WhatsApp, ela deverá se identificar e, em seguida, informar o local em que encontrou a criança. Por fim, deve tirar uma foto dela e informar com que agente público foi deixada.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo