Ações do Ministério Público e da Justiça recebem críticas na Câmara

Ribeiro criticou atentado à liberdade de imprensa

O deputado Raimundo Ribeiro (PPS) demonstrou preocupação na sessão ordinária desta quarta-feira (24) com os rumos do País. Ribeiro questionou a legalidade de algumas ações do Ministério Público e da Justiça recentemente. Citou como exemplo o caso envolvendo a divulgação de uma conversa entre o jornalista Reinaldo Azevedo, da Veja, com Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves.

Na opinião do parlamentar, a divulgação da conversa entre um jornalista e sua fonte, por mais que não se concorde com a linha do jornalista, afeta a imprensa livre e se configura como um atentado à liberdade de imprensa.

Raimundo Ribeiro chamou a atenção dos colegas para os riscos à democracia. Na avaliação do distrital, a ação da Procuradoria Geral da República ao divulgar a conversa intimida a imprensa e fere o estado democrático de direito. Ribeiro comunicou que realizará no próximo dia 13 de junho, às 10h, uma sessão solene em comemoração ao Dia da Liberdade de Imprensa.

O deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) também condenou o que chamou de "decisões equivocadas" do Ministério Público e da Justiça. Segundo ele, não se pode aceitar a violação de direitos fundamentais por nenhum órgão.

O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), também abordou o tema e disse que é necessário interromper a caminhada para o estado de exceção. Para ele, os homens de bem precisam se preocupar com o que está acontecendo e condenar os abusos.
CLDF

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo