Estudantes recebem orientações para combate

“Trabalho infantil é quando uma criança começa a trabalhar por necessidade ou porque é obrigada pelos pais”. Esta é a definição de trabalho infantil dada pela estudante Ângela Maria de Oliveira, de 17 anos, aluna da Escola Estadual Professora Vanda da Silva Pinto. Ela foi uma das 450 estudantes que acompanharam a palestra sobre combate ao trabalho infantil, realizada nesta segunda-feira (12) em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

A programação que, além das palestras, conta com uma caminhada de sensibilização, é realizada Setrabes (Secretaria Estadual do Trabalho e Bem-Estar Social), o Forrpeti (Fórum Roraimense de Prevenção e Erradicação ao Trabalho Infantil), Peti-RR (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil de Roraima) e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Roraima.

A palestra ministrada pela presidente do Cedcar (Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente), Verônica Oliveira, abordou a definição, a realidade do trabalho infantil em Roraima e orientações aos estudantes sobre como essa prática é prejudicial para o desenvolvimento da criança e adolescente, por exemplo, em relação aos estudos e, muitas vezes, à saúde.

“O Cedcar está atuando em parceria com as outras instituições para combater tanto o trabalho infantil, como o uso de drogas e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Esta união é essencial porque juntos somos mais fortes”, afirmou Verônica.

A diretora da escola, Conceição Timóteo, explicou que a unidade, que conta com 840 alunos do Ensino Médio, com idade entre 15 e 17 anos, realiza um acompanhamento e orientação aos estudantes, por meio de parceria com empresas que desejam contratar um Jovem Aprendiz, programa que oferece oportunidades de estágio para estudantes a partir de 14 anos dentro da legalidade e sem prejudicar os estudos.

Um desses estudantes é o Paulo Vítor, de 15 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio. Pela primeira vez, ele está tendo a oportunidade de trabalho como Jovem Aprendiz. “Estou há menos de dois meses na empresa de construção e estou gostando muito. Estudo de manhã e trabalho à tarde e não está prejudicando em nada meus estudos. Muito pelo contrário, porque a empresa acompanha o desempenho na escola e preciso ter boas notas”, explicou.

PALESTRAS – Nesta terça-feira, 13, a serão ministradas palestras nas Escolas São José e Carlos Drummond de Andrade. Na quarta-feira, 14, será a vez das escolas Professor Antônio Ferreira de Souza e Escola Estadual Lobo D´Almada

CAMINHADA – No dia 20 de junho, às 17h, será realizada uma caminhada de sensibilização e panfletagem, com saída da Escola Estadual Lobo D´Almada, percorrendo todo o Centro Cívico.

Para a coordenadora estadual do Peti-RR, Rita Melo, a caminhada objetiva sensibilizar a sociedade. “O intuito é refletir sobre a importância de combater o trabalho infantil e como esta prática causa prejuízos diversos à criança e adolescente”, ressaltou.

PETI-RR – Desde 2015, o Peti-RR tem realizado ações de supervisão e orientação junto aos municípios com foco no combate trabalho infantil em todo o Estado. Além de ações de sensibilização, como panfletagens, esse trabalho contempla as audiências públicas que estão sendo realizadas junto aos municípios que recebem recursos federais para realizar as ações de combate a essa prática. Essas audiências já ocorreram em Rorainópolis, Uiramutã e Alto Alegre, e este ano serão realizadas em Bonfim e Boa Vista.

“Essas audiências integram todos os órgãos da rede de proteção, como saúde e educação, propondo ações para realizar em âmbito municipal. Na sequência será realizada a audiência estadual, que deve acontecer no mês de novembro”, adianta Rita Melo.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo