Vacinação contra a gripe será estendida para toda a população do DF

A partir desta segunda-feira (5), qualquer pessoa poderá procurar um dos 107 postos da rede pública e receber a dose.

A partir desta segunda-feira (5), seguindo orientação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde oferecerá a vacina contra a gripe para toda a população enquanto durarem os estoques. A decisão do órgão federal só é válida neste ano e foi adotada devido à baixa adesão à Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza.
A partir desta segunda-feira (5), qualquer pessoa poderá procurar um dos 107 locais de vacinação da rede pública e receber a dose da vacina contra a gripe. Foto: Andre Borges/Agência Brasília-23.5.2017

Até sexta-feira (2), 41,3 milhões de pessoas do público-alvo — crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, detentos, gestantes, funcionários do sistema prisional, idosos, indígenas, jovens do sistema socioeducativo, pessoas com doenças crônicas, professores das redes pública e privada, puérperas (mulheres cujo parto ocorreu até 45 dias antes da vacina) e profissionais da área de saúde — se vacinaram contra a gripe no País.

O Amapá é a única unidade federativa que atingiu a meta de 90% até este momento, com 95,6% do público-alvo vacinado. Em 26 de maio, o prazo da campanha foi prorrogado por determinação do Ministério da Saúde até 9 de junho.
Crianças, gestantes, puérperas e profissionais de saúde são os menos imunizados

Desde a abertura da campanha, apenas 548.379 pessoas se imunizaram, ou seja, 79,8% do público-alvo. A meta da pasta é alcançar 687.155 pessoas e atingir os 90% de cobertura dos grupos de risco.

No DF, os grupos com os menores índices em relação à meta são as crianças, as gestantes, as puérperas e os profissionais de saúde.


LEIA TAMBÉM








As crianças maiores de seis meses e menores de cinco anos contabilizam 184.047 nas regiões de Saúde, mas apenas 98.044 foram vacinadas, o que corresponde a 53,27% da meta. A população de gestantes soma 33.541 e, dessas, 20.260 receberam a dose.

Das 5.514 puérperas, somente 3.408 foram imunizadas. No caso dos profissionais de saúde, apenas 69.456, de um total de 98.547, foram protegidos.

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Heloísa Araújo, explica que quando as pessoas não se vacinam, ficam mais suscetíveis a desenvolver gripe no decorrer do ano, principalmente no período epidêmico, compreendido entre março a junho e setembro. “Vale ressaltar que os grupos alvo da campanha são aqueles que apresentam maior risco de desenvolver complicações relacionadas à gripe. Por isso, é essencial que todos participem”, enfatiza a gestora.

O Ministério da Saúde destinou 755.900 doses à pasta. Desse total, 663.900 foram distribuídas às salas de vacina da rede pública. O DF conta com 107 locais de vacinação.
Vacina reduz mortes por complicações da gripe

A vacina disponibilizada para a temporada 2017 é trivalente e protege dos três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul no último ano — da influenza A, a H1N1 e a H3N2, e a influenza B — seguindo a determinação da Organização Mundial de Saúde.

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação contra a influenza pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, e de 39% a 75%, a mortalidade por complicações da doença.

Neste ano, no DF foram confirmadas duas mortes por vírus respiratório influenza A H3. Nos dois casos, a pasta destaca que não havia histórico de vacinação.

No mesmo período de 2016, o DF registrou 12 óbitos por síndrome respiratória aguda grave, sendo dez relacionados ao influenza A H1N1.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo