O que é Hipertrofia

Hipertrofia significa o aumento do tamanho de um órgão como conseqüência do aumento das funções celulares. A hipertrofia mais comum acontece na musculatura e pode ser provocada por fatores biológicos, como o crescimento na fase de puberdade, fatores fisiológicos, como pode ocorrer em alguns órgãos, em vista do aumento das exigências feitas a eles em determinadas fases da vida, como a da musculatura uterina durante a gravidez, por exemplo. A hipertrofia também pode ser causada por um estímulo hormonal, como a hipertrofia do endométrio, durante a fase estrogênica do ciclo menstrual. As hipertrofias podem se tornar patológicas como, por exemplo, a hipertrofia do músculo cardíaco, em razão de pressão arterial alta e no caso de Hipertrofia Benigna da Próstata (HBP). A hipertrofia é um processo reversível, quando cessa o estímulo, porém se o estímulo for além da capacidade adaptativa pode causar degeneração e até morte celular. O contrário da hipertrofia, quando a massa muscular diminui, é a atrofia. 

Qual a diferença entre hipertrofia e hiperplasia?

Na hipertrofia, não se desenvolvem células novas, mas as já existentes aumentam de tamanho. Já na hiperplasia, acontece um aumento do número de células de um tecido ou órgão. A hipertrofia corresponde, pois, ao aumento do tamanho e volume das células, sem aumento do número delas. Em se tratando dos músculos, a potência mecânica deles é aumentada.

O que é Hipertrofia Muscular?

Hipertrofia muscular é um aumento do diâmetro do músculo, esse aumento pode ser metabólico (sarcoplasmática) ou tensional (miofibrilar). Isso ocorre devido há estímulos, gerando mais força para suportar cargas maiores. A hipertrofia muscular ajuda no ganho de força e na tão sonhada estética. Para algumas pessoas esse ganho é muito mais fácil e maior e para outros mais difíceis, isso varia de indivíduo para indivíduo (individualidade biológica). Alguns fatores como genética e a atividade principal que pratica são responsáveis pelo aumento ou não da massa muscular. Todo estímulo provocado no músculo ocasionará certo ganho de massa magra, porém podemos fazer isso de uma forma muito mais objetiva. 

Afinal, o que são estímulos metabólicos ou tensionais?

Basicamente, os estímulos tensionais atuam mais diretamente sobre as fibras musculares, aumentando as microlesões e os estímulos metabólicos, tem atuação também sobre as vias energéticas. Neste sentido, ao falar sobre estímulos tensionais Guedes Júnior (2003) afirma que o aumento que ocorre na síntese das proteínas contráteis, estimulado principalmente pelo treinamento de força, promove o aumento do tamanho e também da quantidade de miofibrilas em cada fibra muscular. Esta adaptação é conhecida como hipertrofia miofibrilar. Sendo assim, o estímulo tensional, que está relacionado com o alto nível de tensão que é imposto ao músculo, através de um peso elevado a ser vencido causaria este tipo de adaptação. Desta forma, em um treinamento resistido, quanto maior a carga de trabalho (peso) maior será a sobrecarga tensional imposta. Grandes sobrecargas tensionais são feitas com menos repetições em um curto período de execução. Um treino com objetivo de maior estímulo tensional, precisa ser composto por cargas mais elevadas, com tempo de recuperação entre as séries maior (entre 1,5 e 2 minutos) e menos repetições. A execução correta sempre será fundamental, independentemente de qual seja o estímulo ou objetivo.

Já o estímulo metabólico, vai fazer com que as células musculares sofram um maior estresse bioquímico, pelo tempo maior de execução de cada série, mas em contrapartida, com um menor número de carga do que nos estímulos tensionais. Segundo Santarem (1999), durante as contrações musculares mais prolongadas ocorre um aumento considerável na atividade dos processos de produção energética, caracterizando uma maior carga metabólica no que se refere as vias energéticas. Essa sobrecarga metabólica tem grande contribuição para o aumento do volume muscular, através do considerável aumento dos substratos energéticos localizados no sarcoplasma.

Além disso, com a utilização de estímulos tensionais, ocorre um considerável aumento de vascularização do tecido muscular. Este fenômeno é conhecido como hipertrofia sarcoplasmática ou ainda de volumização celular, estimulada pelos estímulos metabólicos. Este tipo de estímulo é caracterizado pelo elevado número de repetições, que conseqüentemente causa um tempo mais prolongado de execução de cada série de um exercício.

Os dois tipos de hipertrofia são importantes para o corpo, e os treinos darão ênfase mais em um do que no outro, por isso é importante periodizar o seu treino. Não se esqueça também de uma alimentação.

Procure SEMPRE um profissional qualificado. Saúde é coisa séria.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo