Situação das creches de Taguatinga ganha destaque em reunião da Comissão de Educação


Moradores de Taguatinga compareceram à reunião da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), na manhã desta quarta-feira (16), para pedir a mediação dos deputados junto ao GDF a fim de evitar o fechamento da creche São Lucas, em funcionamento há 30 anos naquela cidade. Atualmente, a creche atende 410 crianças de 3 a 5 anos. De acordo com Carlos Costa, quem expôs o problema na reunião do colegiado, a atual presidência da creche quer rescindir o contrato que garante o funcionamento da instituição.


Também de Taguatinga, o representante da associação de moradores da QNL, Roney Silva, solicitou à comissão a construção de creche na QNL 9/11. O deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) lembrou ter sido por meio de emenda parlamentar no valor de R$ 150 mil que foi realizada a limpeza da área e a construção de um campo de areia. "O espaço é para a construção da creche", garantiu. O deputado Wasny de Roure (PT) alertou ser necessário articular com os setores de arquitetura e engenharia da Secretaria de Educação a construção naquele local.

Sobre as demandas, a deputada Luzia de Paula (PSB) afirmou que, mesmo em cenário de crise econômica, não se pode perder de vista a importância das creches. Por isso, ela defendeu tanto a instalação de equipamentos públicos para garantir a construção de creche na QNL, quanto a atuação da comissão para evitar o fechamento da São Lucas.

"Muitas instituições, como o Lar Fabiano de Cristo, estão desistindo de atuar; há um desânimo nas instituições devido à burocracia do governo", afirmou. O deputado Prof. Reginaldo Veras prometeu agendar reunião da CESC com a Secretaria de Educação para tratar da situação das creches de Taguatinga – demanda que já foi, inclusive, apresentada por moradores da cidade durante sessão do projeto "Câmara em Movimento", no último 29 de junho.

Alimentação – Ainda na reunião de hoje, os deputados Wasny de Roure, Prof. Reginaldo Veras e Luzia de Paula apreciaram algumas propostas; entre elas, o projeto que determina aos estabelecimentos que comercializam produtos alimentares para consumo imediato informar sobre os males provocados pelo consumo excessivo de sódio.

Aprovado na forma de substitutivo, o PL nº 499/2015 especifica que bares, quiosques, lanchonetes, hotéis e restaurantes deverão expor, em mesa ou balcão, o seguinte alerta: "O consumo excessivo de produto que possua sódio em sua composição nutricional, como sal, ketchup, mostarda e maionese, provoca danos à saúde". O principal objetivo, segundo o autor do projeto, deputado Bispo Renato Andrade (PR), é cuidar da saúde dos consumidores.

A comissão aprovou também o PL nº 1.902/2014, do deputado Joe Valle (PDT) e dos ex-distritais Alírio Neto e Eliana Pedrosa, incluindo no calendário oficial de eventos do DF o dia "Segunda sem Carne", a ser comemorado na primeira semana de outubro. Ao proferir parecer favorável à matéria, a deputada Luzia de Paula destacou que a data será uma oportunidade de conscientização sobre os impactos do consumo de carne no meio ambiente, nos animais e na saúde das pessoas. De acordo com a proposta, a data vai incluir debates sobre crise ambiental, direitos dos animais e doenças cardiovasculares, os quais estão vinculados ao consumo de carne.

Franci Moraes - Coordenadoria de Comunicação Social

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo