Como anda a educação dos brasileiros?

Dados do INEP apontam que alfabetização estagnou entre 2014 e 2016.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) divulgou o resultado da última Avaliação Nacional de Alfabetização, nesta quarta (25). Segundo os dados da pesquisa, a alfabetização estagnou entre os anos de 2014 e 2016.

Mais da metade dos alunos do 3° ano do Ensino Fundamental apresentou nível insatisfatório em leitura e matemática. Em 2014, este índice foi de 56,17%. Já em 2016, o percentual quase não sofreu alteração e foi de 54,73%. As regiões que tiveram a pior avaliação foram Norte e Nordeste, com respectivamente 70,21% e 69,15% dos alunos possuem dificuldades em interpretação de texto e cálculos matemáticos adequados ao período escolar.

MEC anuncia medidas para melhorar os números da educação

O Ministério da Educação anunciou mudanças visando reverter o quadro apresentado pelo INEP. Entre as medidas que serão instituídas pela Política Nacional de Alfabetização, está a inclusão de professores auxiliares em turmas de 1° e 2° ano do ensino fundamental para desenvolver a alfabetização dos alunos. As escolas ficarão responsáveis por escolher os monitores e também pela escolha do material didático a ser utilizado na unidade.

A ministra substituta da educação, Maria Helena Guimarães, afirmou que todas as mudanças só serão sentidas a médio e longo prazo e que o governo estabelecerá um diálogo com os estados e municípios para que haja a continuidade desta política.

Quantitativo de escolas no Distrito Federal

Segundo dados de 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Distrito Federal existem 1.684 escolas, sendo: Pré-escola (642); Fundamental (826) e Médio (216).


A pesquisa revela também o número de alunos matriculados em cada um dos níveis de ensino. São: na pré-escola (61.561); no ensino fundamental (390.079) e no médio (110.370).




O analfabetismo no DF

A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) realizou pesquisa que abrange os meses de julho a dezembro de 2016. Ela separa os grupos etários do DF para determinar o índice de analfabetismo na capital.15 a 24 anos - 3,0% 25 a 59 anos - 2,1% 60 anos ou mais - 10,6%

Foto: Reprodução internet
Fonte: Alô Brasilia

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo