Alunos da Estrutural conhecem Embaixada da Suécia

Grupo do Centro Educacional 1 puderam saber detalhes sobre a cultura, a educação e a gastronomia do país europeu.

“Eu estou me sentindo na Suécia”, comentou a aluna Maria Jordana Batista, de 11 anos, maravilhada com o que aprendeu sobre o país nórdico. Ela e outros 23 colegas do Centro Educacional 1 da Estrutural visitaram a embaixada sueca nesta quinta-feira (16).O embaixador da Suécia, Per-Arne Hjelmborn, entregou à aluna Maria Jordana Batista de Sá um certificado pela participação na visita. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Eles provaram quitutes tradicionais, viram fotos e vídeos e ouviram um pouco sobre a educação do país. “A visita me encheu de novas informações, como saber que lá existem rei e rainha”, destacou Maria Jordana.

A atividade faz parte do Embaixadas de Portas Abertas, programa do governo de Brasília que promove intercâmbio entre escolas públicas e representações diplomáticas na capital federal.

O embaixador da Suécia, Per-Arne Hjelmborn, e a embaixatriz, Anette Hjelmborn, receberam os alunos do quinto ano. O casal conduziu o grupo pelas dependências do órgão diplomático e mostrou como funciona o trabalho.

“A embaixada não é uma coisa fechada, é um local para interagir com a sociedade”, ressaltou o embaixador, ao dizer que ficou muito feliz em participar do projeto.
Fotos, vídeos e curiosidades sobre a Suécia

Na apresentação, as crianças viram fotos de algumas celebridades suecas, entre elas jogadores de futebol, como Zlatan Ibrahimović, e astros da música, como ABBA e Roxette. Além disso, descobriram que os famosos jogos virtuais Candy Crush e Minecraft foram criados no país europeu.

Também foram listadas algumas invenções suecas, como o rolamento interno da roda do carro, o fósforo de segurança, o cinto de segurança com três pontas e o zíper.
No passeio, os alunos visitaram a horta da embaixada e receberam informações sobre a Agenda 2030 da ONU, da qual a Suécia e o Brasil fazem parte

A embaixatriz Anette Hjelmborn, que é professora, deu detalhes sobre o sistema educacional da Suécia.

As crianças receberam de presente um kit com um diploma simbólico, um caderno e uma publicação com informações sobre a Suécia e as relações com o Brasil.
O programa Embaixadas de Portas Abertas

Idealizado pela colaboradora do governo Márcia Rollemberg, o Embaixadas de Portas Abertas é organizado em parceria entre a Assessoria Internacional do governo de Brasília, a Secretaria de Educação e a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — que leva os estudantes às embaixadas.

A chefe da Assessoria Internacional, Renata Zuquim, e o presidente da TCB, André Brandão, acompanharam a visita.

As atividades integram ainda o programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília.
Visita à Embaixada da Suécia teve sustentabilidade como tema

No passeio, os alunos visitaram a horta orgânica da embaixada e receberam informações sobre a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), da qual a Suécia e o Brasil fazem parte.

O projeto contempla 17 objetivos de desenvolvimento sustentável mundial.

O embaixador disse que o órgão diplomático está com várias ações em relação à Agenda 2030 e que fez questão de mostrar para as crianças como forma de incentivar a participação em projetos ambientais. “Não é um projeto só do governo. A sociedade civil precisa fazer parte para alcançarmos esses objetivos”, completou.

Esta foi a 26ª visita do Embaixadas de Portas Abertas. A próxima e última deste ano será na Embaixada da Itália, em 23 de novembro.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo