Dentistas da atenção primária padronizam atendimento a crianças

Curso de capacitação e reciclagem estimula os profissionais a desenvolverem projetos de melhoria do serviço. No Itapoã, por exemplo, equipe reforçou atividades educativas com as crianças.

Até o fim de 2018, todos os dentistas da atenção primária da rede pública de saúde terão passado por capacitação para padronizar o protocolo de atendimento da odontopediatria. O curso começou a ser ministrado por voluntários em maio deste ano, e cada turma terá oito encontros.

Equipe técnica de saúde bucal da Unidade Básica de Saúde 2 visita escolas do Itapoã e aplica atividades de educação que envolvem diversos métodos, como jogos. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

“Na atenção primária, o cirurgião-dentista é colocado para atender várias faixas etárias. No entanto, a criança demanda uma atenção mais especializada”, explica uma das responsáveis pelo curso, Andréa Amaral Soares, da Gerência de Odontologia da Secretaria de Saúde.

A maior parte das aulas é ministrada por dentistas da rede. Trata-se de um curso sem ônus para a secretaria, desenvolvido em parceria com a Escola de Aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde.

“São pessoas atualizadas no assunto e que entendem a realidade da rede”, ressalta o chefe do Núcleo de Treinamento e Avaliação da Gerência de Desenvolvimento de Projetos da escola, Renato Rodrigues Camarão.

Os servidores foram divididos em sete turmas, de acordo com a realidade da região onde atendem.

“Com isso, o especialista vem com a parte teórica já contextualizada para as características próprias de cada região”, detalha Camarão.

Na capacitação, os dentistas conversam sobre a importância da análise comportamental, da avaliação da dieta e de conhecer a realidade em que a criança está inserida.
Trabalho envolve outras especialidades

A ideia é padronizar o atendimento dos profissionais e atualizá-los sobre novas técnicas. Nos encontros, eles ainda são instigados a criar um projeto e aplicá-lo onde trabalham.

No Itapoã, por exemplo, além de elaborar um manual de rotinas para os técnicos em saúde bucal, a equipe de Sandra Aguiar, lotada na Unidade Básica de Saúde 2, repensou as atividades de educação que a unidade desenvolvia com as crianças.

“Percebi que estava ficando muito dentro do consultório e fazendo poucas atividades em grupo”, conta.

Em parceria com estudantes de nutrição da unidade, que desenvolveram um jogo para as crianças, a equipe de dentistas passou a visitar as escolas para discutir assuntos relacionados à boa alimentação e aos cuidados com os dentes. “Comer bem e não ter cáries tem tudo a ver.”

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo