Governo entrega 145 lotes no Trecho 2 do Sol Nascente

Foram beneficiadas com os termos de ocupação neste sábado (16) pessoas em situação de vulnerabilidade social cadastradas na Codhab.

Pessoas em situação de vulnerabilidade social receberam lotes do Trecho 2 do Setor Habitacional Sol Nascente, em Ceilândia, na manhã deste sábado (16). Os termos de ocupação foram entregues pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Um dos 145 beneficiados foi Simplicio Braz Neto, de 38 anos, que está desempregado e tem quatro filhos. “Estou morando de favor, mas hoje posso dizer que tenho minha casa. Aluguel não está fácil, está muito caro.”Simplício Braz Neto foi um dos que receberam o termo de ocupação entregue pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, na manhã deste sábado (16). Lotes ficam no trecho 2 do Setor Habitacional Sol Nascente, em Ceilândia. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Os contemplados são escolhidos por meio de cadastro da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab).

O cadastro tem hoje 178 vulneráveis — pessoas que vivem em extrema miséria, pessoas em situação de rua e catadores de resíduos sólidos, entre outros casos, como o de moradores que precisaram ser realocados por conta das obras que estão sendo feitas no Sol Nascente.

“Essas famílias querem construir suas casas em regime de mutirão. A Codhab está cedendo os projetos e vai acompanhar a construção. O governo também está construindo casas e entregando lotes em outras áreas, como no Trecho 1 do Sol Nascente, há duas semanas”, disse Rollemberg.

O presidente da companhia, Gilson Paranhos, acompanhou a entrega. “Existe um processo, por isso que demora, porque nós fazemos um projeto para cada família. Temos uma equipe de arquitetos que fazem os projetos atendendo às necessidades de cada família”, destacou.

Com a ação deste sábado, 81% da demanda será atendida. A expectativa é atender os outros 33 cadastrados no primeiro semestre de 2018.
Lei destina parte das unidades habitacionais a casos de vulnerabilidade social

O repasse dos lotes atende às exigências da Lei Distrital nº 3.877, de 2006, que destina 7% da oferta de unidades habitacionais a casos de vulnerabilidade social.

Além do projeto das casas, será feita a infraestrutura de abastecimento de água, esgotamento sanitário e energia elétrica.

Os lotes não podem ser vendidos pelos próximos cinco anos. Depois disso, os termos de ocupação serão substituídos por escrituras.

A auxiliar de cozinha Eduarda Maria da Conceição dos Santos, de 30 anos, também recebeu um lote nesta manhã. Ela mora em Ceilândia de aluguel e diz que a luta é pagar a conta mensal ou comprar comida. “A gente vai trabalhar pra construir uma coisa que vai ser nossa e que vai ser nosso endereço pro resto da vida”, comemorou.

Rollemberg também aproveitou para vistoriar as obras na Quadra 105 do Trecho 2, onde estão sendo construídas 161 unidades habitacionais por meio de Codhab. As casas serão vendidas a preços subsidiados a habilitados da lista da empresa pública, em ordem de classificação.
Quais são as obras de infraestrutura no Sol Nascente

O Sol Nascente recebe, desde 2015, asfalto, redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos.

O investimento é de R$ 220,3 milhões – 75% proveniente de financiamento com a Caixa Econômica Federal e 25% de contrapartida do governo de Brasília.

No Trecho 1, as obras de infraestrutura estão em fase final e englobam:
Conclusão de 25,2 quilômetros de redes de drenagem
Cinco lagoas de detenção
Pavimentação de 304,9 mil metros quadrados de vias

As intervenções no Trecho 2, previstas para serem entregues no primeiro semestre de 2018, compreendem:
Execução de 30,3 quilômetros de redes de drenagem
Construção de três lagoas de retenção
Pavimentação de 493,5 mil metros quadrados de vias

No Trecho 3, o contrato prevê:
21,3 quilômetros de redes de drenagem
3 lagoas de retenção
450,5 mil metros quadrados de pavimentação

Leia o pronunciamento do governador Rodrigo Rollemberg na entrega dos lotes do Trecho 2 do Sol Nascente.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.