Coluna Fitness| Síndrome do túnel do carpo

Imagem relacionada
O túnel do carpo é formado pelos ossos do punho (carpo significa punho) e pela faixa rígida de tecido conjuntivo conhecida como ligamento transverso do carpo. Entre as estruturas que se encontram dentro do túnel estão o nervo mediano e os tendões que flexionam os dedos e o polegar. Qualquer edema ou espessamento de tecido dentro do túnel pode fazer com que o nervo mediano fique comprimido entre o ligamento transverso do carpo e os tendões e outros conteúdos do túnel. O nervo que está sendo comprimido (que controla o polegar, indicador e terceiro dedo) não pode funcionar como deveria, causando os sintomas da síndrome do túnel do carpo.

À medida que a condição piora, o desconforto ocorre com mais freqüência e torna-se mais incômodo. Em casos graves, a dor pode começar no punho, subir pelo antebraço e chegar até o ombro; a dormência nos dedos e no polegar pode tornar-se constante e os músculos do polegar podem se atrofiar, causando perda da força de garra e de coordenação.

A principal causa é a LER (lesão por esforço repetitivo) que acontece por movimentação excessiva repetidamente, mas existem outras causas relacionadas, como: traumáticas (por fratura), medicamentosas, hormonais, inflamatórias (artrite reumatóide), além de tumores que também podem estar causando a síndrome.

É mais freqüente no sexo feminino, principalmente na menopausa, que é onde hormônios atuam, causando um aumento da quantidade de líquido corporal, o que traz um espessamento dos tendões, ocorre entre 30 e 60 anos de idade. Geralmente acomete a mão dominante, por causa do maior uso. Outras doenças podem tornar vulnerável à síndrome do túnel do carpo: diabetes, artrite reumatóide e hipotireoidismo, além de outras condições como a gravidez (neste caso, é comum desaparecer os sintomas logo após o parto).

Diagnosticando a síndrome do túnel do carpo

Baseado nas causas descritas anteriormente, alguns testes específicos que irão comprovar a existência da patologia:

teste de phalen: é feita a flexão máxima dos punhos, um contra o outro, durante um minuto, piorando a compressão do nervo. Nesse teste o paciente pode relatar aumento ou diminuição ainda maior de sensibilidade, além de sensação de formigamento na região inervada.

teste de phalen invertido (“reverso”): ao contrário do phalen, este pede uma extensão máxima dos punhos, um contra o outro, durante um minuto também. As sensações serão as mesmas citadas acima.

teste do pinçamento: com os dedos em forma de pinça, segurar um papel em até um minuto. Sinais de dormência e formigamento podem aparecer logo ao fazer o movimento.

teste de tinel: percussão do nervo mediano no punho, causando sensação de choque com irradiação para os dedos.

Mais testes normalmente são necessários se o seu médico estiver em dúvida e quiser eliminar outras condições com sintomas semelhantes. Outros testes incluem:

Exames de sangue

Um exame de sangue pode ser usado se o médico suspeita de uma doença subjacente, relativa a STC, tais como:
  • diabetes
  • artrite reumatoide
  • hipoatividade da tireoide (hipotireoidismo)
Estudo da condução nervosa

Um estudo da condução nervosa é um teste que mede como os sinais são transmitidos através de seus nervos. Durante o teste, os eletrodos são colocados na sua mão e pulso e uma pequena corrente elétrica é usada para estimular os nervos no dedo, pulso e, às vezes, o cotovelo.

Eletromiografia

A eletromiografia (EMG) fornece informações úteis sobre como os músculos respondem quando um nervo é estimulado, indicando qualquer eventual dano do nervo. Durante o teste, agulhas finas são inseridas nos músculos. As agulhas detectam qualquer atividade elétrica natural dada fora por seus músculos. 

Estudos de imagem

Um raio-X pode ser recomendado, mas geralmente apenas para ajudar no diagnóstico de fraturas e outras doenças tais como a artrite reumatóide. Um raio-X é um procedimento que produz imagens do interior do corpo. Para examinar minuciosamente a estrutura do nervo mediano na mão, o médico também pode sugerir que você faça uma ecografia, que utiliza ondas sonoras de alta freqüência para produzir uma imagem do interior do corpo.

Tratamentos

A síndrome do túnel do carpo deve ser tratada o mais cedo possível logo após o início dos sintomas. Algumas pessoas com sintomas leves podem aliviar seu desconforto fazendo pausas para descansar as mãos. Aplicar compressas frias para reduzir o inchaço ocasional também é saudável. Caso essas técnicas não oferecem alívio dentro de algumas semanas, opções de tratamento adicionais incluem a imobilização do punho, medicamentos e cirurgia.

Terapia não-cirúrgica

Se a condição é diagnosticada precocemente, métodos não-cirúrgicos podem ajudar a melhorar a síndrome do túnel do carpo. Os métodos podem incluir imobilização. Uma tala que mantenha seu punho imobilizado, mesmo enquanto você dorme, pode ajudar a aliviar os sintomas noturnos de formigamento e dormência. Medicamentos podem ajudar a aliviar a dor da síndrome do túnel do carpo em curto prazo.

O médico pode injetar no túnel do carpo um corticosteróide (infiltração), como cortisona para aliviar sua dor. Os corticosteróides diminuem a inflamação e o inchaço, aliviando a pressão sobre o nervo mediano. Corticosteróides orais não são considerados tão eficazes como as injeções de corticosteróides. Se síndrome do túnel do carpo resulta de uma artrite inflamatória, como artrite reumatóide, o tratamento da artrite pode reduzir os sintomas.

Cirurgia de Síndrome do Túnel do Carpo

Se os sintomas são graves ou persistem após a tentativa de terapia não-cirúrgica, a cirurgia pode ser a opção mais adequada. O objetivo da cirurgia do túnel do carpo é aliviar a pressão sobre o nervo mediano cortando o ligamento que está pressionando o nervo. A cirurgia pode ser realizada com duas técnicas diferentes. 

Cirurgia endoscópica

Na cirurgia endoscópica, o cirurgião usa um dispositivo tipo telescópio com uma pequena câmera anexada a ele (vídeoendoscópio). Vendo dentro do túnel do carpo ele pode cortar o ligamento através de uma ou duas pequenas incisões em sua mão ou punho. A cirurgia endoscópica pode resultar em menos dor do que a cirurgia aberta nos primeiros dias ou semanas após a cirurgia.

Cirurgia aberta

Na cirurgia aberta, o cirurgião faz uma incisão maior na palma da mão sobre o túnel do carpo e corta o ligamento para liberar o nervo. Este procedimento também pode ser realizado utilizando uma incisão menor, o que pode reduzir o risco de complicações. Durante o processo de cicatrização, os tecidos do ligamento são retraídos, permitindo mais espaço para o nervo do que existia antes. A dor, dormência ou fraqueza pode levar várias semanas a alguns meses para resolver após a cirurgia. Se os sintomas forem muito graves antes da cirurgia, podem não desaparecer completamente após a cirurgia.

Dicas de estilo de vida

A chave para combater a síndrome do túnel do carpo é a prevenção: faça mudanças antes que a síndrome do túnel do carpo se torne um problema. Caso estiver sentindo algum pequeno formigamento, dormência e queimação associados à síndrome do túnel do carpo, pode ser capaz de impedir danos adicionais e se curar fazendo umas poucas e simples mudanças no seu estilo de vida. As dicas abaixo podem ajudar você a manter suas mãos e punhos saudáveis e reduzir os sintomas da síndrome do túnel do carpo.

Mantenha-se em forma. Você terá menor probabilidade de sofrer lesão se a circulação do seu corpo e os sistemas de reparo funcionarem bem. Ajude seu corpo se alimentando de forma nutritiva, tendo sono e repouso adequados e se exercitando regularmente;

Pare ou evite fumar, pois isso inibe a circulação em todas as áreas do corpo, incluindo punhos e mãos;

Perca um pouco de peso. O excesso de peso pode comprimir o nervo mediano do punho;

Faça pequenos intervalos, a fadiga ou cansaço das articulações ou músculos é um sinal de alerta para que você mude sua postura e/ou padrão de movimento;

Alterne tarefas utilizando músculos diferentes e evite fazer a mesma tarefa durante várias horas;

Mantenha-se “neutro” enquanto estiver trabalhando, mantendo o corpo e punhos em uma posição neutra e confortável;

Segure os objetos corretamente, pois a maioria das pessoas tem a tendência de segurar apenas com os dedos polegar, indicador e médio, o que pode aumentar a pressão sobre o punho e causar irritação dos tendões correspondentes;

Alterne as mãos e dê uma folga à sua mão dominante sempre que possível. Tente usar sua outra mão para fazer algumas tarefas;

Seja “ergonômico”, com freqüência a síndrome do túnel do carpo pode ser prevenida ou tratada usando-se ferramentas e estações de trabalho redesenhadas ergonomicamente para causar menos sobrecarga no corpo.

Contudo, se os seus sintomas forem graves (se interferirem nas suas atividades cotidianas, por exemplo), e/ou não se resolverem após duas semanas de cuidados pessoais ou ainda se vierem acompanhados de febre, edema, erupção cutânea ou vermelhidão sobre o punho ou qualquer perda de função ou massa muscular, procure seu médico.

Procure SEMPRE um profissional qualificado. Saúde é coisa séria.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo