DF mantém tendência de alta em casos de estupro; homicídio cai em janeiro

Balanço da Segurança Pública aponta aumento de 3,4% nos estupros, em relação a janeiro do ano passado. Mortes violentas registraram menor número desde o ano 2000.

Por Marília Marques, G1 DF

Secretário Edval Novaes apresenta números da de Segurança Pública no DF (Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília)

Os casos de estupro têm aumentado, mês após mês, no Distrito Federal. O último balanço da Secretaria de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira (1º), aponta que o índice de violência sexual cresceu 3,4% em janeiro, quando comparado com o mesmo período do ano passado. Durante os 12 meses de 2017, foram registrados 883 casos do tipo.

De acordo com a pasta, a maioria das vítimas continua sendo de meninas ou mulheres (95%) com idades entre 10 e 39 anos. Dos 61 casos registrados em janeiro, 88% das vítimas eram consideradas vulneráveis – menores de 14 anos de idade, deficientes mentais, doentes ou qualquer pessoa que não tenha capacidade de resistência no momento do ato.

Em 83% do total, a agressão ocorreu na casa da vítima ou do autor, segundo a SSP. Em quase 100% das situações, eles se conheciam. No balanço anual dos dados, no início do mês, o secretário Edval Novaes, afirmou que a alta se dá pela "dificuldade" em combater esse tipo de crime, e recomendou que o cuidado "deve começar pela família".
Casos de estupros registrados no DF, ano a ano
Gráfico mostra que, em todos os meses de 2017, houve alta na comparação com 2016
Casos201620172018JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunhoJulhoAgostoSetembroOutubroNovembroDezembro20406080100
Fonte: Secretaria de Segurança Pública

Crimes violentos

Já o número de homicídios teve queda no primeiro mês do ano no DF. De acordo com a SSP, janeiro registrou 32 ocorrências nesse período, com 34 vítimas. Em janeiro de 2017 foram 41 casos, ou seja, 22% a mais que neste ano.

"Essa é a menor quantidade de ocorrência de toda série histórica desde o ano 2000", afirma Novaes.

O levantamento mostra ainda que 62% das vítimas e 75% dos autores tinham antecedentes criminais.

O balanço dos últimos doze meses também indicou uma redução história no número de homicídios no Distrito Federal. Segundo a Segurança Pública, em todo ano de 2017 houve 498 mortes violentas – o menor número absoluto dos últimos 15 anos. Em termos relativos, os dados representam 16,3 ocorrências por cada grupo de 100 mil habitantes. De acordo como Novaes, esta é a menor taxa dos últimos 29 anos.
Menos mortes violentas no DF
Queda foi de 18,4% em relação ao mesmo período do ano passado
registros de homícidios490490400400Casos de homicídios registrados no DF20162017375400425450475500
Fonte: Secretaria de Segurança Pública

O último mês de janeiro no DF não registrou nenhum caso de latrocínio – roubo seguido de morte –, segundo o balanço da secretaria. No mesmo período do ano passado, foram quatro casos.

Roubos e furtos

Roubos a pedestre, veículos, transporte coletivo, comércio e residência apresentaram redução em janeiro. Em números percentuais, o roubo a residência foi o que mais caiu: 46,5% de casos a menos. Foram registrados 86 casos neste ano, contra 46 em janeiro de 2017.

Em seguida, no balanço, aparece o roubo de transporte coletivo (-43,5%) – o DF passou de 232 casos, em 2017, para 131, neste ano.

"Além do bilhete único, que tem contribuído para a menor circulação de dinheiro nos ônibus, a implantação central que permite acompanhar o trajeto dos ônibus [...] e o sistema de biometria facial instalado nas catracas também estão contribuindo para essa redução dos roubos em coletivos”, explicou o subsecretário de Fiscalização, Auditoria e Controle da Secretaria de Mobilidade, Felipe Leonardo.

O roubo de veículos caiu 28,4% em janeiro. Os registros deste crime saíram de 443 para 317, ou seja, 126 crimes a menos.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo