Vila Cidadã: um lugar para aprender que água não é só para matar a sede

Já imaginou poder sobrevoar de asa delta uma floresta, o curso de um rio, uma usina hidrelétrica? Essa é apenas uma das aventuras que esperam pelos visitantes da Vila Cidadã, montada ao lado do Estádio Mané Garrincha, para a 8º Fórum Mundial da Água, que começa no próximo dia 18.

Mas não é a única das atrações oferecidas nos 2,7 mil metros quadrados de estandes do Green Nation, um movimento que nasceu em 2012, na época da Rio+20, com o intuito de despertar o interesse pela sustentabilidade por meio de experiências interativas e multimídia.

“Nós procuramos trabalhar com a sociedade em todos os níveis, de idade, de formação e de cultura, aproximando o tema da sustentabilidade de uma forma mais lúdica, mais palatável, mais interessante fazendo com que as pessoas possam correlacionar isso com as suas paixões. Porque você só faz as pessoas mudarem quando elas se apaixonam por aquilo”, explica o criador do Green Nation, Marcos Dodinet.

Dodinet mostra as asas deltas que através da realidade virtual podem dar ao visitante a emoção do voo, com a sensação do corpo em movimento e do vento batendo no rosto.

“Ele [visitante] vai voar pelo Brasil por onde a água é protagonista, mostrando que a água não serve só para matar a sede, tomar banho, mas também para outras funções como gerar energia, por exemplo. Então, ele voa sobre a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira [localizada em São Paulo]. E voa sobre as Cataratas do Iguaçu, onde a água gera entretenimento. E ele voa pela Amazônia, ele mergulha no Rio Bonito com uma câmera subaquática. Ele entende que a água tem relação com muito mais do que ele imagina.

NBN

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.