Fábrica Social aumenta chances de emprego de mais 893 jovens

As primas Laiana e Claudilene Nunes estão entre os alunos que receberam o certificado de conclusão de curso nesta quarta (4), em solenidade com a presença do governador Rollemberg.

As primas Claudilene e Laiana Nunes formaram-se no curso de costura da Fábrica Social. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Laiana e Claudilene Nunes, primas de 18 e 21 anos, respectivamente, buscaram o curso de costura na Fábrica Social para investir no currículo. “Eu sempre quis aprender a costurar e procurei assim que terminei o ensino médio. Ainda consegui algum diferencial”, contou a mais nova.

Claudilene disse gostar muito das aulas e da possibilidade que teve com o curso. “Pude crescer e aumentei as chances de conseguir um emprego.” Ela começou a estudar em março de 2017 e Laiana, em novembro.

As duas receberam o certificado de conclusão em cerimônia, na tarde desta quarta-feira (4), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, com outros 891 alunos. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou do ato.

Ele disse ter profundo carinho pelo trabalho desenvolvido na Fábrica Social. “Investir na produção familiar e artesanal ajuda a diminuir o desemprego. Essa qualificação é um patrimônio de vocês, que podem levar para suas famílias e suas vidas”, enfatizou Rollemberg.
"Investir na produção familiar e artesanal ajuda a diminuir o desemprego. Essa qualificação é um patrimônio de vocês"Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

Os cursos são divididos em longa duração – ministrados nas unidades I e II da Fábrica Social – e em curta duração – dados nas dependências da instituição e nas modalidades do programa Fábrica Itinerante em Planaltina, em Sobradinho e no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Os certificados entregues hoje abrangem turmas que começaram nos anos de 2015, 2016 e 2017 nas modalidades de:
Produção e cultivo de alimentos saudáveis, de 484 horas
Marcenaria, de 458 horas
Instalação e manutenção de sistemas fotovoltaicos, de 640 horas
Confecção de vestuário, acessórios e materiais esportivos, de 2 anos
Agente de portaria, de 20 horas
Costura (pequenos reparos), de 60 horas
Cuidador de idosos, de 60 horas
Design de sobrancelhas, de 20 horas
Informática, de 20 horas
Merendeira, de 20 horas
Pequenos reparos (elétrica e hidráulica), de 20 horas
Serigrafia básica, de 20 horas
Empreendedorismo, de 12 horas
Automaquiagem, de 20 horas

Os únicos formandos desses anos não contemplados nesta quarta são os das turmas de manutenção de cadeira de rodas – sediadas na Fábrica Itinerante, que certifica no local das aulas – e as de construção civil, que se formarão no meio do ano.
O que é a Fábrica Social

Coordenada pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, a Fábrica Social tem como objetivo promover inclusão socioprodutiva e difundir economia solidária por meio da educação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade.

Para participar das seleções é preciso:
Estar inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais do governo Federal (CadÚnico)
Residir no DF
Ter renda per capita de até R$ 170
Ter pelo menos 16 anos de idade

A sede do programa fica na Cidade do Automóvel, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA), Quadra 14, Conjunto 2, Lote 16.

Fonte: Agencia Brasilia

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.