Fundadores do Instagram deixam a empresa

Os fundadores e diretores do Instagram, Kevin Systrom e Mike Krieger, pediram demissão da direção do aplicativo de compartilhamento de fotografias, segundo a imprensa por divergências com Facebook, que comprou a empresa há seis anos.

“Mike e eu somos agradecidos pelos últimos oito anos no Instagram e seis com a equipe do Facebook”, anunciou Kevin Systrom em um comunicado divulgado na segunda-feira à noite, que confirmou a informação do jornal The New York Times sobre a saída da dupla.

“Estamos planejando ter um tempo livre para voltar a explorar nossa curiosidade e criatividade”, completaram.

Systrom, 34 anos, deixar a direção executiva do Instagram e Krieger, 32, a direção da área de tecnologia. Os dois criaram o aplicativo em 2010 quando eram estudantes da Universidade de Stanford no Vale do Silício.

A revista Forbes calcula a fortuna de Systrom em 1,4 bilhão de dólares.

“Construir novas coisas exige nossa afastamento, que compreendamos o que nos inspira e combinemos isto com o que o mundo precisa. Isto é o que planejamos fazer”, afirmaram no comunicado.

“Agora estamos prontos para nosso próximo capítulo”, completa o texto.

A imprensa, no entanto, atribui a saída da dupla a divergências com os executivos do Facebook.

“Kevin e Mike são líderes de produto extraordinários e o Instagram reflete a combinação de seus talentos criativos. Aprendi muito trabalhando com eles nos últimos seis anos e aproveitei muito”, escreveu Mark Zuckerberg, principal executivo do Facebook, no Twitter da empresa.

O Instagram anunciou em junho ter superado 1 bilhão de usuários, graças a seu sucesso entre os jovens. Também lançou um aplicativo de vídeo (IGTV).

O Facebook comprou o Instagram em 2012 por 1 bilhão de dólares e desde então incluiu publicidade e conteúdo patrocinado no aplicativo de compartilhamento de imagens.

Nos últimos anos, o Facebook perdeu usuários entre os adolescentes e os jovens, que preferem outras redes sociais, como o Snapchat. Por este motivo, o Instagram se tornou um aplicativo fundamental para a matriz.

O Facebook, que obtém a maior parte de seu faturamento com a publicidade, precisa de novas plataformas como o Instagram para incluir os anúncios por falta de espaço no Facebook, completamente saturado.

O Wall Street Journal informou que Krieger e Systrom “estavam em conflito nos últimos meses sobre a questão da autonomia do Instagram, em particular porque os executivos do Facebook, incluindo Mark Zuckerberg, estavam estimulando o Instagram a ampliar rapidamente o número de usuários do aplicativo”.

Facebook atravessa há alguns meses uma grave crise, após ser acusado de servir de plataforma de manipulação política, em particular durante a campanha eleitoral americana de 2016, a partir de dados de usuários entregues à empresa britânica Cambridge Analytica.

Os fundadores do Whatsapp (outro aplicativo comprado pelo Facebook), Jan Koum e Brian Acton, deixaram a rede social em maio de 2018 e em 2017 respectivamente, segundo a imprensa americana por divergências com os diretores do Facebook sobre a confidencialidade dos dados e a monetização do aplicativo de mensagens.

Fonte: Brasília de Fato

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.