Médicos barram visita de Fraga a Bolsonaro em hospital

Presidenciável deve manter o repouso para evitar infecções e outras complicações na recuperação

O candidato do Governo do Distrito Federal Alberto Fraga (DEM) não pode visitar o amigo e presidenciável Jair Bolsonaro (PSL/RJ), internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP). Por questões de saúde, neste sábado (8), os médicos barraram todas as visitas ao paciente em recuperação após ser vítima de ataque de faca em Juiz de Fora, na quinta-feira (6). Fraga e Bolsonaro trocaram apenas um aceno.

“Na verdade, o médico depois do esforço que ele fez, falando com muita gente decidiu proibir todas as visitas, até da família. É para não ter problema de infecção. Só consegui subir e fiz um aceno para ele. Ele estava sentado na hora. Mas não consegui falar com ele”, conta Fraga. O candidato ao Buriti conversou com a esposa e o filho do amigo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) e o senador Magno Malta (PR/ES).

“Não tem problema não. O importante era ir lá e mostrar minha solidariedade. O mais importante é que ele e a família sabem que eu estive lá e acabou”, pondera. Segundo Fraga, os médicos tem receio que o esforço da fala leve Bolsonaro a sofrer com excesso de gases e uma infecção.

“Ele fica querendo falar e a barriga vai inchando. E a proibição é correta. O corte e a operação pegou de uns quatro dedos abaixo do pescoço até o umbigo. O risco de infecção é alto. As pessoas falando perto dele podem contaminá-lo”, comenta.

O estado de saúde de Bolsonaro está estável , mas ainda é delicado. Segundo aliados, ele continua na corrida pelo Palácio do Planalto, nestas eleições. A previsão de alta é para daqui a 10 até 15 dias. Fraga retorna para Brasília e neste domingo (9) retoma a campanha.

Foto: Divulgação/Redes sociais
Fonte: Jornal de Brasília

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.