Ministério Público investiga empresa que rastreia localização de usuários

Shutterstock

Segundo o inquérito, startup desenvolveu um sistema de geolocalização que chega a ser 30 vezes mais exato que o GPS

O Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) instaurou inquérito civil público para investigar a obtenção de dados pessoais de brasileiros pela empresa In Loco Tecnologia da Informação. Segundo a Comissão de Proteção de Dados Pessoais, a startuppernambucana desenvolveu um sistema de geolocalização de ambientes internos e externos que chega a ser 30 vezes mais exato que o GPS.

De acordo com veiculada pela imprensa, a empresa rastreia, atualmente, 60 milhões de celulares, seguindo os passos do consumidor depois que ele interage com uma publicidade digital. Os aparelhos geram, por mês, 250 bilhões de novos pontos de localização.

A tecnologia, com precisão que varia de um a dois metros, contaria com uma rede de mais de 500 aplicativos parceiros. Ao baixar esses aplicativos, o usuário permite o rastreamento em tempo integral de suas atividades. Entre os aplicativos parceiros estão o Buscapé e a Turma da Galinha Pintadinha.

O inquérito leva em consideração a regulamentação do Marco Civil da Internet, que considera como dado pessoal a localização ou identificadores eletrônicos quando estiverem relacionados a uma pessoa. A Comissão também investiga o uso de dados dos usuários para envio as informações de geolocalização para a empresa.

Fonte: MPDFT

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.